segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Condolências à morte de Kim Jong Il

"Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons;
Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons;
Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda;
Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis."

(Bertolt Brecht)


Recebemos hoje (19 de dezembro de 2011) a notícia da morte do Dirigente Kim Jong Il. Depois de discutirmos melhor, resolvemos elaborar em conjunto, em nome do Centro de Estudos da Ideia Juche, essa pequena nota que mostra nossos respeitos e nossas condolências para com nossos irmãos coreanos, por conta da morte de seu estimado líder.

Pensamos que, no futuro, não serão poucas as pessoas que se lembrarão do camarada Jong Il como um ser humano que deu uma enorme contribuição à causa avançada do proletariado e da libertação dos povos do Terceiro Mundo. Pensamos, também, que o Brasil, por se encontrar numa condição de país do Terceiro Mundo e de semicolônia das potências estrangeiras, terá de render homenagens ainda mais significativas a esse grande líder. Tal como Stálin, Dmitrov e tantos outros líderes que dedicaram sua vida à vitória da causa revolucionária marxista-leninista, Kim Jong Il dedicou sua vida à causa da libertação do povo coreano e da construção socialista no Norte da Coreia. Graças à sua liderança, a Coreia Popular passou por inúmeras vitórias no seu caminho rumo à sociedade comunista. Como teórico, desenvolveu a Ideia Juche ao nível de ideia diretriz da construção socialista da RPD da Coreia, rechaçou o dogmatismo, a submissão às grandes potências e várias outras práticas degeneradas, que entravavam a luta do povo coreano pela edificação socialista.

Nos anos 90, a RPD da Coreia, num contexto de queda dos países socialistas, de bloqueio, sanções, ameaças e provocações militares por parte do imperialismo norte-americano e japonês e do regime títere sul-coreano, defendeu o socialismo e seguiu na sua construção mesmo nas épocas mais difíceis. É de conhecimento de todos os comunistas a famosa “Declaração de Pyongyang”, de 1992, assinada por mais de duzentos Partidos Comunistas e Operários do mundo inteiro, que retifica a vontade da RPDC e de tais partidos de continuar lutando pela sociedade socialista, numa época de ofensiva do imperialismo e das forças reacionárias, contra as forças avançadas e revolucionárias.

A morte de Kim Jong Il foi uma enorme perda para os comunistas, revolucionários e progressistas de todo o mundo. Para o povo coreano, foi o maior sofrimento desde o fim da famosa “Marcha Forçada” em meados dos anos 90. Apesar dos sentimentos de tristeza com a enorme perda de seu líder, o povo coreano retifica que transformará a tristeza e o sofrimento em garra e otimismo para seguir levando a cabo o projeto do Presidente Kim Il Sung de transformar a RPD da Coreia numa próspera potência econômica.

O camarada Kim Jong Il faleceu, mas o Partido do Trabalho da Coreia criou a base revolucionária e ideológica que fará sua causa vitoriosa inevitavelmente.

Glória eterna ao Dirigente Kim Jong Il! A Coreia Socialista vencerá!


Da redação

Um comentário:

  1. Obrigado por postar esse material !
    VIVA O SOCIALISMO !

    ResponderExcluir