CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Nota de partidos brasileiros pelo falecimento do líder Kim Jong Il


Depois de anunciada a morte do líder Kim Jong Il o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e o Partido Comunista Marxista-Leninista (Brasil) emitiram nota em sua imprensa partidária declarando solidariedade ao povo norte-coreano, ao Partido do Trabalho da Coréia e ao vice-presidente da Comissão Nacional de Defesa, Kim Jong Un. Queremos destacar que a nota publicada pelo PCdoB foi alvo de uma série de comentários de caráter reacionário, sendo reproduzida por destacados nomes do jornalismo de esgoto brasileiro, representado por figuras medíocres como a do blogueiro Reinaldo Azevedo, fiel serviçal da Revista Veja, panfleto burguês brasileiro da pior qualidade.


Nota do PCdoB

Estimado camarada Kim Jong Un
Estimados camaradas do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coréia

Recebemos com profundo pesar a notícia do falecimento do camarada Kim Jong Il, secretário-geral do Partido do Trabalho da Coreia, presidente do Comitê de Defesa Nacional da República Popular Democrática da Coreia e comandante supremo do Exército Popular da Coreia.

Durante toda a sua vida de destacado revolucionário, o camarada Kim Jong Il manteve bem altas as bandeiras da independência da República Popular Democrática da Coreia, da luta anti-imperialista, da construção de um Estado e de uma economia prósperos e socialistas, e baseados nos interesses e necessidades das massas populares.

O camarada Kim Jong Il deu continuidade ao desenvolvimento da revolução coreana, inicialmente liderada pelo camarada Kim Il Sung, defendendo com dignidade as conquistas do socialismo em sua pátria. Patriota e internacionalista promoveu as causas da reunificação coreana, da paz e da amizade e da solidariedade entre os povos.

Em nome dos militantes e do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) expressamos nossas sentidas condolências e nossa homenagem à memória do camarada Kim Jong Il.

Temos a confiança de que o povo coreano e o Partido do Trabalho da Coreia irão superar este momento de dor e seguirão unidos para continuar a defender a independência da nação coreana frente às ameaças e ataques covardes do imperialismo, e ao mesmo tempo seguir impulsionando as inovações necessárias para avançar na construção socialista e na melhoria da vida do povo coreano.

Renato Rabelo, presidente nacional do PCdoB e Ricaro Abreu Alemão secretário de Relações Internacionais do PCdoB

19 de dezembro de 2011




Nota do PCML (Brasil)

Nota de Condolências do PCML(Brasil) pelo falecimento do camarada Kim Jong Il

É com imensa dor que expressamos nossas mais profundas e sinceras condolências pelo falecimento do presidente da Comissão de Defesa Nacional da RPDC, camarada Kim Jong Il. Sabemos que seu exemplo revolucionário permanece vivo em todo o povo coreano que saberá continuar o caminho de soberania, independência e justiça de sua Pátria Socialista. Seu exemplo de luta é um patrimônio de toda a classe operária internacional.

Saudamos também o camarada Kim Jong Un, que expressando a vontade de todo o povo coreano, avançará no trabalho em prol de um Coreia Reunificada e Soberana, livre da ocupação imperialista de parte de seu território.

Jornal Inverta - Órgão Central do Partido Comunista Marxista - Leninista (Brasil)
Comitê Central do Partido Comunista Marxista Leninista (Brasil)


Um comentário:

  1. Concordo em número, gênero e grau político com a nota do PCdoB. O mundo agora discute se as lágrimas e o choro do povo coreano são reais. Duas são as vertentes conclusivas (segurem o riso!): a) O choro e as lágrimas são reais, frutos da lavagem cerebral a que os norte coreanos são submetidos (a lavagem deve ser por conta da água tratada que chega a 100% das residências); b)O choro e as lágrimas são falsos e se devem a constante vigilância da polícia (ai de quem não chorar!). O irônico é que acusam o regime de ser o mais fechado do mundo, mas opinam sobre tudo, como se conhecessem a CN "de cor e salteada". Por não conhecerem a história, apelam para o folclore: o presidente é tarado; tem seis dedos em cada pé; tem o cabelo arrepiado; inventou o arco-íris, etc. De minha parte, gostaria que em cada continente tivesse, pelo menos, umas duas Coréias do Norte. Buuuu!!!
    Ary

    ResponderExcluir