sábado, 21 de julho de 2018

Sobre a decisão da Conferência dos Ministros das Relações Exteriores de Moscou sobre a questão coreana


Discurso Proferido na Reunião Consultiva dos Diretores do Departamento do Comitê Organizador Central do Partido Comunista da Coreia do Norte

Hoje, gostaria de fazer algumas observações relacionadas com a decisão sobre a questão coreana adotada na Conferência dos Ministros das Relações Exteriores de Moscou.

Como todos sabem, a Conferência dos Ministros das Relações Exteriores da União Soviética, dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha foi realizada em Moscou de 16 a 26 deste mês. Esta conferência, ao discutir uma série de problemas que deveriam ser resolvidos internacionalmente após a Segunda Guerra Mundial, adotou uma decisão sobre a questão coreana. Esta decisão foi publicada em 28 de dezembro; De acordo com esta decisão, tendo em vista a reconstrução da Coreia como um Estado independente, um governo provisório democrático deve ser estabelecido através de consultas com os partidos políticos e organizações públicas de nosso país, e os quatro países - a União Soviética, os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a China - devem colocar a Coreia sob sua tutela por até cinco anos, para permitir que ela alcance um desenvolvimento democrático e independente como tal Estado.

Após a publicação da decisão da Conferência dos Ministros das Relações Exteriores de Moscou sobre a questão coreana, diferentes respostas foram feitas e a situação política no país está se tornando muito complexa.

Os reacionários sul-coreanos interpretam o conceito de tutela contido nesta decisão como uma “Administração Fiduciária” em particular, e estão desenvolvendo uma campanha “anti-Administração Fiduciária" contra a decisão. Jo Man Sik na Coreia do Norte também leva a mesma atitude.

Alguns comunistas também tendem a se opor à decisão da conferência. Várias pessoas no Partido Comunista da Coreia do Sul emitiram uma declaração contra essa decisão e juntaram ao clamor de “anti-Administração Fiduciária” dos reacionários.

Ao receber a notícia da decisão da conferência, nós a discutimos imediatamente com os membros do Comitê Executivo Permanente do Partido; nós decidimos fazer um anúncio oficial da atitude do nosso partido e defender esta decisão depois de discutir mais uma vez com os directores dos departamentos do Comitê Organizador Central do Partido, porque esta decisão é um problema político importante que decide o futuro da Coreia.

Portanto, que atitude e postura deve nosso Partido tomar em relação à decisão?

Para ter uma postura e atitude corretas em relação à decisão, penso que é importante, antes de mais nada, ter uma compreensão correta de sua intenção real.

Como pode ser visto no texto da decisão, uma coisa importante nesta decisão é estabelecer um governo democrático provisório para reconstruir a Coreia como um Estado independente. Em outras palavras, pode-se dizer que a verdadeira intenção desta decisão é a antecipação de reconstruir e desenvolver a Coreia como um país democrático e independente.

Pode-se dizer que o estabelecimento de um governo democrático provisório na Coreia liberta é o mais importante problema inicial na reconstrução e desenvolvimento de nosso país como um Estado livre e completamente independente.

Se um governo provisório democrático for estabelecido na Coreia, a divisão atual do país ao norte e ao sul será abolida, toda a Coreia reunificada e, portanto, todas as condições necessárias para a rápida reconstrução e desenvolvimento da cultura e da economia do país e para a melhoria do padrão de vida do povo serão criados.

A linha política do nosso partido está construindo nosso país como um estado próspero, independente e soberano através do estabelecimento de um governo democrático. Portanto, penso que a ideia de estabelecer um governo provisório democrático na Coreia contido na decisão está de acordo com a linha política do nosso partido e com a exigência do nosso povo para a construção de um Estado democrático e soberano.

É verdade que a decisão contém um ponto que mais ou menos contraria a vontade de nossa nação. Pode-se dizer que a ideia de colocar a Coréia sob a tutela dos quatro estados por até cinco anos é um pouco diferente do desejo de nossa nação que quer a independência do país o mais breve possível.

No entanto, penso que a decisão não significa permitir a interferência de forças estrangeiras nos assuntos do nosso país em desrespeito à sua soberania, como afirmam Syngman Rhee e outros reacionários sul-coreanos.

A decisão aponta que a medida detalhada para colocar a Coreia sob a tutela dos quatro estados por até cinco anos será tomada depois de consultar este assunto com o governo provisório da Coreia. Portanto, este assunto não é o mesmo que a tutela imperialista, que é aplicada em desconsideração da vontade do povo. O problema da tutela pode ser entendido como uma expressão concreta da promessa dos quatro estados aos povos do mundo de ajudar e cooperar no desenvolvimento democrático do povo coreano e na construção da Coreia como um estado livre, unificado e completamente independente.

No entanto, o ponto em questão aqui é por que a decisão foi distorcida como a de "Administração Fiduciária ” e por que a campanha “anti-Administração Fiduciária" foi lançada. A proposta de “Administração Fiduciária” sobre a Coreia foi apresentada pelos Estados Unidos como sua política em relação à Coreia, e tem repetidamente insistiu nessa proposta em conferências de Teerã e Yalta.

Na recente Conferência de Ministros das Relações Exteriores de Moscou, o lado estadunidense propôs que as forças soviéticas e estadunidenses exerçam a administração militar na Coreia e, quando terminar, os quatro estados, a União Soviética, os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a China reforçarão “Administração Fiduciária” por dez anos. Alegou que, como os coreanos são incapazes de se auto-governar, mesmo após o término da administração militar, algum tipo de órgão deve ser estabelecido com representantes dos quatro estados que exercerá o “poder legislativo, jurisdição e poder administrativo” da Coreia.

Esta proposta dos Estados Unidos é, de fato, equivalente a tornar a Coreia libertada em sua colônia.

No entanto, a proposta dos EUA foi rejeitada, graças à justa afirmação e esforços positivos do lado soviético, e a recente decisão foi adotada.

Como eles não conseguiram concretizar sua ambição de fazer de nosso país sua colônia na Conferência dos Ministros das Relações Exteriores de Moscou, os reacionários estadunidenses estão imprudentemente dando publicidade distorcida a essa decisão como se fosse uma decisão de fazer cumprir a “Administração Fiduciária” sobre a Coreia, que teria sido avançada pela União Soviética, e estão instigando os reacionários sul-coreanos a lançar uma campanha de “anti-Administração Fiduciária contra a decisão.

Atualmente, algumas forças políticas na Coreia do Sul estão se ocupando com a campanha de “anti-Administração Fiduciária”, já que são incapazes de identificar a intenção astuta dos Estados Unidos e de tentar liderar a situação política aproveitando esta oportunidade. Mesmo os elementos pró-japoneses e traidores da nação, que foram abandonados pelo povo após a libertação, estão se disfarçando de patriotas sob o lema de "anti-Administração Fiduciária "

Os reacionários estão se opondo à decisão da Conferência dos Ministros das Relações Exteriores, dando publicidade distorcida a ela. Seu objetivo é frustrar a implementação desta
decisão, e assim impedir que nosso país seja reconstruído e desenvolvido como um estado democrático, independente e soberano e estabelecer um regime burguês pró-estadunidense na Coreia.

Temos de ver através da história interior e da natureza reacionária da campanha de “anti-Administração Fiduciária” que está sendo travada na Coreia do Sul, devido ao estratagema e armadilhagem dos reacionários estadunidenses, e rejeitá-la resolutamente.

Se ficamos divididos entre a direita e a esquerda, e o sul e o norte lutam em confronto um com o outro, um lado diz que “se opõe à Administração Fiduciária” e o outro lado diz que “apoia a Administração Fiduciária” em relação à decisão, será afinal de contas a nossa nação só que sofrerá uma perda.

No conjunto, a decisão visa realizar a reunificação de nosso país o mais breve possível e criar condições favoráveis ​​para o estabelecimento de um Estado democrático, independente e soberano. Devemos fazer o melhor uso possível destas
condições para o estabelecimento de um estado soberano e democrático na situação atual em que tanto as tropas soviéticas quanto as estadunidenses estão estacionadas na Coreia; devemos dar um apoio positivo a essa decisão e fazer esforços extenuantes para realizá-la.

Se nós, toda a nação coreana, apoiarmos esta decisão e trabalharmos duro para a sua realização, será possível encurtar o período da tutela agora definido por até cinco anos e acelerar a construção da Coreia como um estado soberano. Tudo depende de como nós, os mestres desta terra, construímos um estado soberano democrático.

Devemos lançar um movimento dinâmico para apoiar a decisão.

Em primeiro lugar, uma extensa explanação e campanha informativa da decisão deve ser realizada para que todos os membros do Partido e pessoas de todas as esferas da vida tenham uma compreensão correta da mesma.

Devemos explicar o conteúdo desta decisão para as massas através de jornais, transmissões e outros meios de comunicação e, ao mesmo tempo, dar-lhes uma compreensão clara do fato de que apoiar e implementar esta decisão promoverá o estabelecimento de um governo provisório democrático unificado e a construção de um estado completamente soberano.

Além disso, devemos conduzir uma campanha política em apoio à decisão.

Será uma boa idéia que o Partido Comunista publique uma declaração conjunta em apoio à decisão através de consultas com outros partidos políticos e organizações públicas; os diretores dos Departamentos Administrativos da Coreia do Norte também devem fazer isso. Tais declarações também devem ser emitidas em nome de cada comitê provincial do Partido e organização pública, bem como pessoas individuais. Ao mesmo tempo, uma reunião de cidadãos de Pyongyang deve ser organizada em larga escala em apoio à decisão. As províncias também devem organizar e conduzir comícios em massa de acordo com suas condições específicas.

As diretrizes do Comitê Central do Partido para apoiar a decisão devem ser mapeadas e transmitidas às organizações do Partido em todos os níveis.

O papel do Partido Comunista da Coreia do Sul é importante para expor e frustrar a trama dos reacionários para "se opor à Administração Fiduciária" e desenvolver o movimento de apoio à decisão no sul da Coreia. Um alto funcionário do Partido Comunista da Coreia do Sul está agora em Pyongyang; devemos fazer com que ele retorne à Coreia do Sul o mais rápido possível e tome medidas positivas para expor e frustrar a trama de “anti-Administração Fiduciária” e apoiar a decisão.

Através da luta para apoiar a decisão e desnudar e frustrar a trama dos reacionários sul-coreanos e estadunidenses para "se opor à Administração Fiduciária", devemos consolidar ainda mais a unidade e coesão do nosso partido e demonstrar em casa e no exterior a posição firme do povo coreano para construir um estado soberano, bem como o poder de sua unidade.

A fim de estabelecer um governo provisório democrático unificado pela execução da decisão, a unidade de toda a nação deve ser assegurada.

A adoção da decisão não significa que um governo provisório democrático será estabelecido por conta própria.

Mesmo que essa decisão seja razoável e a ajuda das grandes potências seja neutra, nenhum outro povo pode construir nosso país, somente nossa própria nação pode. Não devemos colocar nossas esperanças inteiramente nessa decisão nem tentar construir nosso país confiando em países estrangeiros.

O estabelecimento inicial de um governo provisório democrático na Coreia depende em grande parte de se reunirmos ou não todas as forças patrióticas e democráticas, formando uma frente nacional unida democrática. No curso de apoiar e implementar a decisão, devemos fortalecer ainda mais a frente unida com outros partidos políticos e organizações públicas.

Isso é praticamente tudo o que eu gostaria de dizer a vocês nesta reunião consultiva em conexão com a decisão.

Kim Il Sung, 31 de dezembro de Juche 34 (1945)

Tradução do A Voz do Povo de 1945

sexta-feira, 13 de julho de 2018

O socialismo coreano e a sua vitória são ciência



A simpatia ao redor do mundo todos os dias é ainda maior pelo socialismo coreano centrado nas massas populares, o que comprova mais uma vez que este modelo social é superior ao capitalismo e avança vitoriosamente.

O diário Rodong Sinmun aponta em um artigo publicado e continua:

No passado, os defensores do capitalismo diziam que a sociedade capitalista pode realizar “a felicidade e igualdade de todas as pessoas”. Mas agora reconhecem por si mesmos o fracasso dessa política.

A sociedade socialista reflete o ideal e a aspiração da humanidade.

A base do socialismo coreano são as massas populares.

O Partido do Trabalho da Coreia considera as massas como autores da revolução, as unidades revolucionárias que aderem ao seu poder inesgotável e serve abnegadamente para estas. Aqui está sua concepção e filosofia sobre o povo.

Cientificidade e veracidade do socialismo coreana e a vitória já confirmaram os ventos e as marés da história.

Os civis e militares coreanos realizaram o socialismo ao estilo coreano utilizando o espírito revolucionário de autoconfiança e perseverança, mesmo em condições difíceis e de escassez.

Hoje, a Coreia do Juche ocupa a posição de poder inigualável com dignidade.

A cientificidade do socialismo de estilo coreano e é também sua vitória.

Graças ao partido, a ideia Juche e a todo o povo, o socialismo coreano é invencível.

Da KCNA

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Exército Revolucionário da Coreia, precursor da luta armada antijaponesa


Foi o precursor da luta armada antijaponesa do Exército Revolucionário coreano, a primeira organização armada revolucionária que foi fundada em 6 de julho, 19 (1930) Juche.

Durante a Conferência de Kalun (30 de junho a 2 de julho de 1930), o Presidente Kim Il Sung apresentou a ideia do Juche e a linha da luta armada antijaponesa.

Para praticá-los, começou a trabalhar para organizar o Exército Revolucionário da Coreia.

Naquela época, quando era necessário preparar armas e acumular experiências militares por conta própria, ele decidiu estabelecer uma organização política e paramilitar provisória com base nas áreas de Kalun e Guyushu.

Ele proferiu o discurso "Missão e principais funções do Exército Revolucionário da Coreia" no dia da constituição deste corpo armado.

Sua missão e deveres principais que residem em formar o esteio da luta armada pelas atividades políticas e militares, preparando as armas necessárias e ao mesmo tempo, concluir os preparativos para a luta armada antijaponesa para acumular experiência militar e reunir as massas.

Graças à fundação do ERC, tornou-se possível dar um bom impulso aos preparativos para desenvolver a luta antijaponesa pela libertação nacional até ao estágio da luta armada organizada.

Da KCNA

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Novo livro de Kim Jong Il lançado no Brasil

 

O selo Edições Nova Cultura lançou mais um livro do Dirigente Kim Jong Il, "Sobre a Filosofia Juche", cuja orelha é assinada pelo Centro de Estudos da Ideia Juche - Brasil. O livro é baseado em um volume publicado pela Edições em Línguas Estrangeiras de Pyongyang que compila os mais importantes trabalhos do Dirigente Kim Jong Il sobre a filosofia Juche, desenvolvida pelo Grande Líder Kim Il Sung e que guiou todo o processo da Revolução Coreana. Os trabalhos publicados buscam fundamentar a ideia Juche como uma filosofia original e revolucionária, que desenvolvida criativamente a partir do marxismo-leninismo na época da construção socialista.

A edição impressa pode ser comprada na loja do NOVACULTURA.info: www.novacultura.info/loja

sábado, 30 de junho de 2018

A vontade do povo coreano de construir o poder socialista


A história de 70 anos da RPDC é de se orgulhar de que o partido e o povo coreano agiram para abrir caminho para a prosperidade e encurtar o tempo com suas próprias forças.

O diário Rodong Sinmun aponta em um artigo publicado hoje e continua:

Eles foram capazes de levantar em todo o território nacional, onde reinou atraso e pobreza anteriormente, um estado socialista invencível com o poder político-militar infalível e potencial econômico, reconhecido em todo o mundo, porque lutaram com perseverança a confiar e depender de suas próprias forças.

A história e a realidade ensinam a verdade de que a dependência de forças estrangeiras significa subjugação e ruína do país e o auto fortalecimento, a prosperidade eterna. Essa verdade nunca será mudada mesmo que se passe muito tempo.

É invariavelmente a vontade de nosso povo para acelerar a grande marcha da construção econômica sob a bandeira de dar prioridade à auto-capacitação e construir nesta terra um estado socialista digno e poderoso, admirado pelo mundo, seja como for a situação na Península Coreana e o ambiente externo.

Graças à sábia orientação do grande partido e dos militares e civis armados com o espírito de autoconfiança, ninguém pode parar nossa marcha para construir nossa potência.
Da KCNA

sexta-feira, 29 de junho de 2018

É exigido o combate ao envenenamento ideológico e cultural dos imperialistas


O jornal Rodong Sinmun e a revista Kulloja, órgãos do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia, publicaram um artigo conjunto intitulado "Rejeitemos o envenenamento ideológico e cultural imperialista".

Rodong Sinmun hoje em um extenso artigo diz que o envenenamento ideológico e cultural imperialista é um meio importante de executar sua estratégia de supremacia mundial, e que "a ideia capitalista corrupta é intolerável na sociedade socialista, o envenenamento ideológico e cultural imperialista deve ser frustrado por uma ofensiva ideológica revolucionária e a RPDC deve consolidar a frente ideológica e cultural socialista como firme como uma fortaleza inexpugnável."

Na primeira parte, o artigo diz: "O envenenamento ideológico e cultural imperialista é um meio de agressão e intervenção cometido sob o lema de 'cooperação' e 'intercâmbio'.

É a principal estratégia dos imperialistas dominar o mundo com ideias corruptas pois não conseguiram o pôr sob o seu controle apenas com bombas atômicas e dólares. Este envenenamento visa prejudicar o excelente caráter nacional de cada país e nação e fazer com que centenas de milhões de pessoas em todo o mundo se deformem mentalmente."

Na segunda parte, o artigo aponta: "Na sociedade socialista, a ideologia e a cultura imperialista - a ideia capitalista corrupta- , não deve ser tolerada sob nenhuma circunstância. É a verdade provada pela história que se uma tolerável manifestação da ideia capitalista corrupta é tolerada, a própria sociedade socialista não pode existir.

A antiga União Soviética e os países socialistas do leste europeu entraram em colapso não porque seus potenciais militares e econômicos fossem fracos e o nível de seu desenvolvimento cultural fosse baixo. Foi inteiramente porque abriram a porta para o envenenamento ideológico e cultural imperialista. As ideias corruptas difundidas pelos imperialistas são mais perigosas do que as bombas atômicas para os países no processo de construção socialista.

Este envenenamento ideológico e cultural é uma ofensiva viciosa reacionária destinada a quebrar a fé das pessoas no socialismo. É graças a essa fé que uma sociedade socialista é construída e um baluarte socialista é defendido. Uma vez que o envenenamento ideológico e cultural imperialista seja tolerado, até mesmo a fé inabalável diante da ameaça da baioneta estará fadada a ceder como uma parede de barro molhada. Isso é exatamente degeneração. Se alguém for levado à ideia capitalista, ele abandonará sua fé e será desarmado ideologicamente.

É um método importante empregado pelos imperialistas fazer com que a fé no socialismo desapareça para levar a cabo envenenamento ideológico e cultural sob o lema de religião.

De fato, são os métodos empregados pelos imperialistas para embelezar a sociedade exploradora, deslocar a confiança da classe trabalhadora em seu partido e incitar o antissocialismo ao abusar do credo religioso.

O envenenamento ideológico e cultural imperialista serve como um meio vicioso de destruir a unidade e a coesão na sociedade socialista. Isso inevitavelmente convida ao surgimento de forças contra-revolucionárias. É seguido pelo aparecimento de elementos contrarrevolucionários que abrigam uma ilusão sobre o imperialismo e o ressurgimento de sabotadores e elementos destrutivos.

A história mostra que qualquer tumulto e atividades de grupos contrarrevolucionários na sociedade socialista estão ligados aos movimentos dos imperialistas. O envenenamento ideológico e cultural imperialista é como os tentáculos da perigosa campanha para prejudicar o nobre modo de vida socialista. Se algum modo de vida heterogêneo é permitido na sociedade socialista, se opondo ao seu modo de vida, isso abalará a sociedade até o seu próprio fundamento."
 
Na terceira parte, o artigo diz: "Devemos frustrar o envenenamento ideológico e cultural imperialista por uma ofensiva ideológica revolucionária. O povo revolucionário deve empreender uma luta mais dinâmica contra o imperialismo até que ele chegue à sua ruína final e a ideologia e cultura corrupta burguesa seja totalmente eliminada da Terra.

É necessário manter a educação ideológica como nossa linha de vida e conduzi-la positivamente. Agora que o mundo está perturbado pela ideia corrupta, não há nada mais nada tão perigoso do que negligenciar a educação ideológica do povo e deixá-los ideologicamente indefesos. As pessoas não devem permitir que ideias estranhas entrem em sua mente. Aqueles que não estão equipados com a ideia socialista estão fadados a aceitar a ideia burguesa.

Principal ênfase deve ser colocada em ofensiva, em vez de defesa no combate ao envenenamento ideológico e cultural imperialista. É a ofensiva mais dinâmica e eficiente para levar a cabo uma educação ideológica do povo. Prestar atenção exclusiva à construção econômica e abandonar o trabalho ideológico é apenas um ato suicida de abrir as portas para que a ideologia e a cultura imperialistas se infiltrem.

Esforços devem ser concentrados na educação ideológica antes de qualquer outra coisa. Acelerar a construção econômica com prioridade definida para a educação ideológica é a estratégia mais revolucionária para frustrar a estratégia imperialista de 'transição pacífica'.

A educação ideológica na sociedade socialista deve ser estritamente socialista e revolucionária em seu conteúdo. A frente ideológica não deve permitir nada de ambíguo, compromisso ou concessão. A educação ideológica cambaleante é pior do que não fazer nada. Como alguns países que estavam construindo o socialismo no passado continuaram com educação irregular, nem socialista nem capitalista, isso trouxe degeneração e retrocessos para a frente ideológica. A educação ideológica deve ser estritamente vermelha tanto em sua forma quanto em conteúdo.

É imperativo montar uma rede mosquiteira em todos os domínios da vida social. É importante bloquear completamente, em primeiro lugar, os canais através dos quais o veneno ideológico e cultural imperialista pode se infiltrar. Sem essa educação, as pessoas podem adoecer mental, moral e fisicamente. É um ato muito tolo negligenciar tomar qualquer medida revolucionária para impedir isso, ciente dessas consequências desastrosas.

Montar uma rede mosquiteira significa um benefício e um amor revolucionários demonstrados pela parte que é responsável pelo destino do povo e os conduz, o único protetor genuíno do povo. "Falar sobre" e "pluralismo" exigido pelos imperialistas e renegados do socialismo nunca devem ser permitidos nos campos ideológico e político.

No domínio econômico, a menor ilusão não deve ser abrigada sobre o modo capitalista de gestão de negócios baseado em dinheiro e sobre "reforma" e "abertura" que convidam o imperialismo. No campo da literatura e das artes, as tendências em direção à arte pela arte, auto-indulgência e "liberdade de criação" devem ser estritamente rejeitadas. Elementos não-socialistas nunca devem ser permitidos. Estes são um foco de ideologia e cultura burguesa.

A ex-União Soviética e os países do leste europeu entraram em colapso quando foram coniventes e encorajaram elementos não socialistas. É importante frustrar decisivamente os elementos capitalistas e não-socialistas em seu desenvolvimento". Em sua última parte, o artigo pede a consolidação da frente ideológica e cultural socialista da RPDC como uma fortaleza inexpugnável.

Continua: "A sábia liderança do Partido do Trabalho da Coreia, que deu uma prioridade definitiva ao trabalho ideológico, já foi claramente provada na prática revolucionária. O Partido do Trabalho da Coreia é um partido militante que liderou a revolução e a construção com base na força da ideia.

O PTC levou adiante a causa socialista, invariavelmente tomando a teoria da ideologia como uma diretriz, não importando o caminho que o vento possa soprar. A posição resoluta, de princípio e intransigente mantida pelo PTC no confronto ideológico e cultural com o imperialismo continua a ser um exemplo brilhante na defesa da causa socialista.

Devemos manter firme as políticas do PTC sobre o trabalho ideológico e implementá-las completamente. Kim Jong Il é um grande arquiteto da ideologia e cultura socialista e um defensor da civilização humana. Nossa posição ideológica socialista não pode ser destruída nem como a aspiração da humanidade progressista pela independência pode ser reduzida enquanto houver o grande Kim Jong Il."

 Artigo da KCNA de junho de 1999.

Traduzido pelo blog A Voz do Povo de 1945

sábado, 23 de junho de 2018

Sobre as vantagens do sistema socialista de saúde pública



O sistema de saúde pública socialista da Coreia é o mais vantajoso que materializou completamente a ideia Juche.

É assim que Rodong Sinmun escreve em um artigo publicado no dia 23 e continua:

A saúde pública da Coreia simboliza as vantagens do socialismo ao estilo coreano centrado nas massas populares, onde são mestres do todo e as servem todas as coisas da sociedade.

No regime socialista coreano, todas as pessoas têm direito a assistência médica gratuita, que é uma das políticas estaduais e sociais importantes.

O sistema médico por zonas, a proteção da saúde de crianças e mulheres, a aposentadoria e outras políticas médicas são implementadas para a vida e promoção da saúde das pessoas.

E o sistema de telemedicina, o serviço médico de emergência e outros serviços médicos especializados são constantemente fortalecidos e desenvolvidos.

Na Coréia do Norte, a orientação da medicina profilática da festa foi plenamente realizada e, como resultado, todas as pessoas trabalham e vivem saudáveis ​​no ambiente mais higiênico.

Como se pode ver, o regime sanitário do socialismo coreano é o mais vantajoso e popular tanto em seu caráter quanto em seu conteúdo.

Da KCNA

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Há de se executar as declarações Norte-Sul



Nestes tempos de mudança histórica na Península Coreana, a nação coreana celebrará o 18º aniversário da publicação da Declaração Conjunta de 15 de junho.

Em 27 de abril, ocorreu o encontro histórico e conversação Norte-Sul em Panmunjom e foi aprovada a Declaração de Panmunjom para a Paz, prosperidade e reunificação da Península Coreana, graças à qual começou a melhorar as relações inter-coreanas congeladas por mais de uma década e a nova conjuntura de reconciliação, unidade, paz e prosperidade da nação foi aberta.

A Declaração de Panmunjom de 27 de abril é o programa independente de reunificação que herda a Declaração Conjunta de 15 de junho e a Declaração de 4 de outubro. Este documento declarou ao mundo inteiro que ambos os partidos coreanos abrirão uma nova era de reconciliação, união, paz e prosperidade unindo suas almas e forças.

A Declaração Conjunta de 15 de Junho, adotada pela primeira vez na história graças ao forte espírito de independência nacional e a vontade de reunificação de Kim Jong Il, é o programa imortal para conseguir a reunificação independente com forças unidas nacionais.

Como a ação guia da reunificação independente, a Declaração de 4 de outubro reafirmou o espírito fundamental da Declaração Conjunta de 15 de Junho, e com base nisso, claramente foram apresentadas as tarefas práticas para executar globalmente.

O espírito de "Entre nós, os nacionais" é penetrado nos dois acordos mencionados acima.

A justiça e a vitalidade desse ideal de independência e unidade nacional já foram expressas sem reservas.

O Presidente da Comissão de Estado da República Popular Democrática da Coreia, Kim Jong Un, age de acordo com a demanda da nova época histórica das declarações Norte-Sul que refletem a nobre vontade do líder na reintegração do território nacional. Desta forma, realizou um feito imortal na história do movimento pela reunificação da pátria.

A aprovação da Declaração de Panmunjom preparou um novo marco para a luta da nação coreana pela unidade e reunificação.

No passado, assim como no presente e no futuro, a nação coreana deve lutar pela independência e unidade nacional. E executando com sinceridade a Declaração de Panmunjom abre a boa perspectiva para o desenvolvimento das relações inter-coreanas e a paz e a reunificação independente da Península Coreana.

Todos os coreanos do Norte, do Sul e do exterior têm que manter e executar plenamente as declarações Norte-Sul independente da mudança da situação e da conjuntura.

Da KCNA