domingo, 10 de dezembro de 2017

A história do desenvolvimento da pintura ao estilo coreano


A pintura ao estilo coreano é um dos patrimônios nacionais da Coreia com longa história de desenvolvimento.

Sua longa tradição pode ser conhecida através das pinturas afresco dos túmulos de Koguryo de fama mundial.

As obras dos famosos pintores coreanos Tam Jing e Sol Ko permitem compreender como se desenvolveu essa forma pictórico na época dos Três Reinos.

Seus métodos de pintura experimentaram uma melhoria nos períodos de Koryo e da dinastia feudal da Coreia.

Contudo, prevalecia naqueles então o paisagismo de tinta chinesa devido a preferência dos pintores letrados em desenhar paisagens depreciando a pintura de pessoas.

Esta limitação histórica foi superada pelo Presidente Kim Il Sung e o Dirigente Kim Jong Il.

Sob a sábia liderança do Presidente, foi corrigida a tendência a menosprezar a pintura ao estilo coreano e a de restaurar o passado e esta forma pictórica começou a desenvolver-se de acordo com as ideias do povo coreano.

O Dirigente fez antepor a pintura ao estilo coreano aos demais gêneros, estabelecer o Juche neste setor e construir as belas artes socialistas de matiz nacional.

Hoje em dia, a pintura ao estilo coreano chega a era do esplendor sendo a principal modalidade das belas artes socialistas.

Da KCNA

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Obras dos grandes dirigentes da RPDC editadas pelo CEIJ-Brasil

O Centro de Estudos da Ideia Juche - Brasil passará a organizar o material já traduzido ao longo do tempo de atividades, com artigos, discursos e documentos escritos pelos camaradas Kim Il Sung, Kim Jong Il e Kim Jong Un, em pdf, em um formato digital que facilite o estudo dos interessados. Seguem os primeiros que disponibilizamos, basta clicar nos links a seguir:



KIM IL SUNG: Pela fundação do Partido Único das Massas Trabalhadoras | goo.gl/fkXmHJ



KIM JONG IL: A Difamação do Socialismo não será tolerada | goo.gl/VvvDtd



KIM JONG UN Sigamos na construção de um próspero país aplicando o patriotismo de Kim Jong Il | goo.gl/XpuEqr

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Sobre a redefinição da RPDC como "patrocinadora do terrorismo"


Dentro e fora do país, se ouvem as opiniões que ridicularizam a redefinição da RPDC como “patrocinadora do terrorismo” feita pelos EUA.

Fox News, New York Post, Wall Street Journal e outros meios dos EUA e do Ocidente insistem no que é ilógico por outra vez tal estigma ao Norte da Coreia, fazendo com que se o indica para tal sua condição de desenvolvimento de arma nuclear e míssil, todos os países, incluso EUA, que impulsionam o mesmo programa, devem ser considerados como “patrocinadores do terrorismo”.

Até os funcionários da administração estadunidense e os especialistas no problema coreano apontam que não há normal legal para determinar a Coreia do Norte como patrocinadora do terrorismo.

Por outra parte, nas páginas de internet na França foram publicados artigos que condenam os EUA e Trump, que “se existe um Estado que apoia o terrorismo, este são os Estados Unidos”, “EUA mentem outra vez” e “Quem quer exercer o papel de polícia é o pior criminoso do mundo”.

Como reconhece a sociedade internacional, os EUA são o patrocinador nº 1 do terrorismo e o quartel general do terrorismo internacional.

Ao ver a história da humanidade, constatamos que os EUA se enriqueceram do terror e matança desde seu surgimento no continente americano.

Desde 1979, este país qualifica de “patrocinadores do terrorismo” os países desobedientes. Quando Iraque e Líbia se ajoelharam diante de sua pressão, os EUA os tirou da lista de patrocinadores. O havia feito também em outubro de 2008 com a RPDC, que fora incluída nessa lista em 1988.

Estados Unidos, fonte de todas as formas de terrorismo, são incapazes de prevenir nem esquecer em casa os atentados terroristas, mas atua como “juiz do terrorismo internacional”, fato que significa um obstáculo à paz e à segurança do mundo.

A definição de “patrocinador do terrorismo” dos EUA é o pior método do terrorismo internacional para esmagar e isolar os países independentes, que não o obedecem, descrevendo-o como “satânicos”.

Este é um ato anti-ético que insulta a aspiração da humanidade à paz e estabilidade do mundo.

A redefinição da RPDC faz parte do terrorismo estatal multifacetado cometido paralelamente à chantagem militar, sanção e pressão sem precedentes.

Desta maneira, os EUA demonstraram a todo o mundo que tenta acabar com a ideia e regime da RPDC mobilizando todos os meios e métodos.

Contudo, nenhuma sanção nem coerção podem ante a força do povo coreano, unido monoliticamente em torno do seu líder.

Tanto mais os EUA tentem atropelar a RPDC, mais se multiplicará a vontade do povo coreano de ajustar as contas com este criminoso.

Da KCNA

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Intercâmbio Brasil-Coreia Popular de futebol masculino de surdos


A convite do Centro Cultural Coreano no Brasil, a CBDS vai participar de um intercâmbio com a equipe de futebol de surdos da Coreia do Norte. O evento será realizado entre 30 de novembro e 02 de dezembro, em São Paulo.

O objetivo é proporcionar aos surdoatletas brasileiros e norte coreanos momentos de interação dentro e fora de campo para troca de experiências, com reuniões, treinos e jogos amistosos.

A equipe da Coreia do Norte terá oportunidade de conhecer de perto nosso país, nosso esporte e nossa cultura. E, a equipe brasileira terá oportunidade de começar uma nova fase e se reestruturar para as próximas competições internacionais.

Um evento que vai além do simples futebol, por que esporte também é empoderamento e inclusão social.

Vocês estão convidados para assistir aos jogos amistosos. Entrada é gratuita, mediante doação de 1Kg de alimento não-perecível para doação a uma entidade de crianças com deficiência.


01/12/2017 (sexta-feira) – 19h00min
45 min – Brasil (Surdos) x Coreia do Sul (ouvintes de Bom Retiro/SP)
45 min – Coreia do Norte (Surdos) x  Coreia do Sul (ouvintes de Bom Retiro/SP)
Local: Clube da Comunidade Roberto Russo
Rua dos Italianos, 1261. Bom Retiro – São Paulo/SP

02/12/2017 (sábado) – 15h30min
90 min – Brasil x Coreia do Norte (seleções de surdos)
Local: Campo de Futebol da Igreja da Cidade
Rod. Pres. Dutra, Km 145. Vila Tatetuba – São José dos Campos/SP

Vamos receber nossos amigos surdos norte coreanos com carinho acolhedor típico do povo brasileiro, por um esporte a favor da paz e da inclusão social.

Da Confederação Brasileira de Desportos de Surdos

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Barrar as tentativas de envenenamento ideológico e cultural dos imperialistas


Impedir que os imperialistas promovam a intoxicação ideológica e cultural é uma questão importante relacionada com o destino da causa socialista, a causa da independência contra o imperialismo e a vida e a morte do país e da nação.

Se o envenenamento ideológico e cultural for permitido, um sistema social é prejudicado e no fim das contas deixa de existir.

Isto é provado com eloqüência pelos trágicos colapsos de alguns países socialistas.

Os imperialistas propagaram a ilusão sobre o capitalismo, ao mesmo tempo em que publicações reacionárias, filmes e músicas corruptas se infiltraram massivamente nesses países.

Assim, houve uma dissolução e degeneração ideológica e moral generalizada entre o povo.

Aqueles que foram envenenados pela ideologia e cultura reacionárias passaram a odiar o trabalho e foram atraídos pelo capitalismo.

É claro que aqueles que descartam a fé revolucionária e vivem apenas por si mesmos, não podem defender o socialismo, a sociedade coletiva.

No final, as pessoas daqueles países apenas ficaram olhando os renegados socialistas baixarem e pisotearem a bandeira vermelha socialista. Esta não é uma história de tempos passados.

O século presente testemunhou mudanças de regime em diversos países. Isso se deve ao envenenamento ideológico e cultural e à guerra psicológica dos imperialistas, liderados pelos EUA.
A juventude é o objetivo principal desta campanha de envenenamento ideológico e cultural.

Se a educação ideológica deles é negligenciada, eles podem ser facilmente arruinados pelos envenenadores da sociedade. Por outro lado, é impossível derrubar o país com jovens politicamente e ideologicamente fortes e moralmente saudáveis.

Kim Sung Gol, no Rodong Sinmun

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Intervenção de Kim Su Gil no XIX Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários na Rússia.


O chefe da delegação do Partido do Trabalho da Coreia, Kim Su Gil, membro suplente do Birô Político do Comitê Central do PTC e presidente do Comitê do PTC na cidade de Pyongyang, pronunciou no dia 2 um discurso no XIX Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários, efetuados na cidade de São Petesburgo, Rússia.

A Grande Revolução Socialista de Outubro de 1917 na Rússia foi acontecimento social mais importante da história, um marco transcendetal na realização dos sonhos do proletariado de viver em um mundo sem exploradores nem oprimidos, desfrutando de uma vida comôda e equitativa, afirmou Kim, que prosseguiu:

O curso do desenvolvimento da história da humanidade no século passado revela que o capitalismo, por seu caráter reacionário e pelas contradições próprias de sua estrutura, não é a saída para a realização da felicidade e da dignidade que aspiram as massas populares, que a única esperança da humanidade está no Socialismo que possui uma vitalidade eterna devido o seu caráter científico e verdadeiro.

O Presidente do Partido do Trabalho da Coreia, Kim Jong Un, em seu histórico informe apresentado no 7º Congresso do Partido, deiou claro que o socialismo é o ideal comum da humanidade, e a marcha dos povos em direção a esse ideal constitui uma lei do desenvolvimento da história.

O Partido do Trabalho da Coreia, em um ambiente de enfrentamento violento entre o socialismo e o capitalismo, optou pela construção do socialismo de estilo coreano centrado nas massas populares, levantado a bandeira do socialismo, desafiando o imperialismo ianque, líder das forças reacionárias do mundo.

Os surpreendentes êxitos, que ocorrem hoje em nosso país, provam a certeza de que o socialismo é uma ciência, assim como também a certeza de sua vitória.
Construir um mundo pacífico sem guerras é a meta da luta de nosso partido, e lutar pela paz e pela segurança da região e do mundo é nossa invariável posição.

A atual situação da Península Coreana evidencia de maneira muito clara que nosso arsenal nuclear funciona como uma força disuasiva que salvaguarda e garante a paz e a segurança da Península e da região Nordeste da Ásia, a soberania e os direitos a existir e a se desenvolver dando respostas contundentes aos atos de agressão e provocações de guerra nuclear do império ianque e seus satélites.

O Partido do Trabalho da Coreia, sem se importar com o que os outros dizem, jamais cederá um passo no caminho do desenvolvimento paralelo da construção econômica e das forças nucleares e, desta maneira, seguirá defendendo com firmeza nosso Socialismo centrado nas massas populares, garantindo a paz da Península e da região, pondo fim a fonte de perigo de guerra nuclear que impõe o império ianque.

O Partido do Traalho da Coreia sempre estará junto com os Partidos Comunistas e Operários do mundo, ombro a ombro, na luta para levar a cabo a luta pela causa do socialismo, futuro da humanidade, como já fez no passado.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O socialismo é invencível

Resultado de imagem para DPRK

Os Estados Unidos e seus aliados impuseram sanções e pressões contra a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) por várias décadas. Em 12 de setembro, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a "resolução sobre sanções" nº 2375 contra o RPDC. O país asiático não se dobrou e consegue sucessos surpreendentes na construção de um poderoso estado socialista.

Muitas pessoas no mundo colocam isso em questão.

Qual é o segredo da RPDC, que luta contra as forças imperialistas e hegemônicas há várias décadas e consegue, não só manter sua existência, mas também converter-se em um poderoso Estado socialista?

Muitos que visitaram o RPDC, por unanimidade, o atribuem ao mandato do grande líder.

Kim Il Sung (1912-1994), fundador da Coreia socialista e presidente eterno da RPDC, é um dos grandes homens reconhecidos pelo mundo.

Ele é maior que os três presidentes americanos juntos: George Washington, Thomas Jefferson e Abraham Lincoln, presidentes mais ilustres dos Estados Unidos, disse Jimmy Carter, ex-presidente dos EUA. Francois Mitterrand, ex-presidente francês, disse que o presidente Kim Il Sung era um grande chefe de Estado, o maior entre os que atuaram após a Segunda Guerra Mundial.

Também Kim Jong Il, presidente eterno do Comitê Nacional de Defesa da RPDC, é uma grande figura sem igual, que antes das grandes vicissitudes políticas do século XX e do extremo embargo e pressão da América do Norte e seus acólitos, manteve com firmeza e dignidade socialismo coreano. Pela primeira vez na história, ele definiu a política Songun (priorização dos assuntos militares) como a principal forma política do socialismo e tornou o país um poderoso país nuclear e capaz de fabricar e lançar um satélite artificial. Destruiu a teoria das conjecturas do colapso da Coreia do Norte em três dias, três meses e três anos, defendida pelo império e seus seguidores e abriu um amplo caminho para a construção de um poderoso Estado socialista.

Hoje, a RPDC, graças ao seu líder máximo, Kim Jong Un, congratula-se com seu esplendor de desenvolvimento. Pouco depois de assumir seu mandato, o Asian Times, jornal de Hong Kong, China, previu que Kim Jong Un seria registrado como um dos maiores heróis e patriotas nacionais na história de cinco milênios da Coreia, o que se converteu em realidade.

Diante da chama nuclear agravante dos Estados Unidos, ele apresentou a linha da promoção simultânea da construção econômica e da preparação das forças armadas nucleares e direcionou o país para aperfeiçoar tais forças.

Como resultado, a RPDC possui o míssil balístico intercontinental que alcançaria o território dos EUA e a bomba de hidrogênio ICBM, posicionando-se na posição de poder e mudando completamente a estrutura política do mundo.

Em vista do agravamento das restrições provocado pelas forças hostis, ele ordenou a todo o exército e o povo que erguessem a bandeira para fortalecer-se com seus próprios recursos. O exército e o povo do RPDC, com o espírito de fortalecer-se, conseguem sucessivos sucessos e avançam na promoção da ciencia, tecnologia e construção econômica, abrindo uma nova era de esplendor Mallima (cavalo lendário que corre 4 mil quilômetros por dia), neutralizando as restrições das forças hostis. "A RPDC sofre um embargo severo, mas a economia cresce. Especialmente no ano passado, ele viu o aumento máximo, que admirou o mundo", disse a Reuters e um jornal independente de Inglaterra, bem como outros meios de comunicação da imprensa ocidental.

Além disso, o líder coreano, seguindo a ideia de Kim Il Sung e Kim Jong Il, que pela primeira vez na história humana transformaram a política em amor em relação ao povo, fez do país uma grande família unida.

A realidade da RPDC, em que as pessoas apoiam sinceramente seu líder, chamando-o de pai e este consagra toda sua força proporcionar felicidades ao povo, é algo incrível e extraordinário.

O socialismo coreano, guiado pelo grande líder, é invencível.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Política sobre a Indústria de Defesa


Um aspecto importante da política da RPDC em matéria de defesa é construir a indústria de defesa nacional confiando nos seus recursos internos no princípio da autossuficiência.

Ao construir fábricas de munições após a libertação do país da ocupação militar japonesa (1905-1945), o povo coreano sofreu uma aguda escassez de tecnologia, equipamentos, materiais, fundos, técnicos e trabalhadores qualificados. No entanto, ele superou todas as dificuldades e julgamentos e implementaram sem titubear a política do Juche orientada para a indústria da defesa sob o princípio da autossuficiência, produzindo assim um aparato militar necessário para a construção do exército sem depender de outros países.

Outro aspecto da política da RPDC em matéria de defesa é desenvolver a indústria de defesa de forma moderna.

Grandes esforços foram direcionados para a modernização da indústria de defesa, bem como para tornar-se adequado para atender às demandas domésticas de equipamento militar de forma independente. Como resultado, o país agora é capaz de fabricar até armas nucleares, foguetes estratégicos e outros equipamentos de última geração sempre que são necessários. Isso proporciona uma garantia tecnológica e material segura para o fortalecimento da capacidade de defesa do país.

Do Naenara

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

RPDC condena invenção de lei sanção independente dos EUA



À pergunta sobre os EUA ter inventado recentemente outra lei infame de sanção para asfixiar a República Popular Democrática da Coreia, o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da RPDC respondeu no dia 3 o seguinte:

No dia 2, o presidente estadunidense Trump assinou o “projeto de lei de sanção sobre os adversários dos EUA”, aprovado no Congresso. Por seu resultado, fui adotada oficialmente como lei a sanção adicional dos EUA contra a RPDC, Rússia e Irã.

Isto não passa de atos desesperados daqueles aterrorizados ante nossas múltiplas e sucessivas medidas para o desenvolvimento das forças nucleares.

As manobras do país norte-americano que inventa arbitrariamente a lei de sanção e usa sem tom nem som a arma de sanção contra os Estados soberanos são atos imperdoáveis pela lei internacional.

O recente ato acima mencionado constitui um crime para aplicar sua lei nacional nas relações internacionais desafiando totalmente a Carta da ONU e a lei internacional.

Portanto, condenamos fortemente a “sanção independente” dos EUA e também todos os países devem refletir diante do ato ilegal deste país.

Resulta muito pobre o ato dos elaboradores norte-americanos da lei que atuam absurdamente sem compreender ainda a realidade e a causa de que a RPDC fabricou a bomba atômica, a bomba H e o foguete balístico intercontinental pese a duras sanções perpetradas durante mais de meio século.

Talvez os alvoroços de sanção dos EUA possam surtir efeito em outros país, mas não na RPDC.

A RPDC alcança sempre somente as vitórias graças ao Máximo Dirigente Kim Jong Un, possuidor de grande perspicácia, a extraordinária liderança e incomparável coragem e audácia, à frente da Revolução Coreana, e a unidade monolítica do exército e povo unidos compactamente em torno daquele, assim como o grande poderio do espírito de auto fortalecimento.

As manobras de sanção dos EUA duplicaram o indomável espírito e a inesgotável força de auto fortalecimento do nosso exército e povo, unidos compactamente em torno de seu líder, e fizeram consolidar mais sua capacidade de defesa nacional.

O segundo lançamento do teste do ICBM “Hwasong-14” da RPDC é a advertência séria aos EUA que atua desesperadamente ao ser derrotado reiteradamente no enfrentamento total com aquela.

As fanfarronas palavras beligerantes e a extrema ameaça de sanção dos EUA contra a RPDC, lhe põem mais alerta e preparada a esta e lhe dá mais justificativa para a possessão das armas nucleares.

Também no interior dos EUA é objeto de piada a anacrônica ilusão dos politiqueiros norte-americanos de derrubar com as sanções o elevado poder estatal geral e a posição estratégica da RPDC.

Os países que aderem a campanha de sanção dos EUA ao invés de condená-la não são senão os que instigam a piora da situação da Península Coreana.

Os Estados Unidos não devem gastar sua energia na absurda campanha de sanção anti-RPDC, mas devem pensar profundamente no remédio para garantir a segurança no seu território principal.

Da KCNA 

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Onda anti-RPDC levantada pela administração Trump


Depois do exitoso teste do lançamento do foguete balístico intercontinental “Hwasong-14” pela República Popular Democrática da Coreia, a administração Trump se levantou sem escrúpulos reclamando uma “ação global”.

Ao descrever a RPDC como “ameaça nuclear”, tenta intensificar ao máximo a sanção e pressão internacionais falando da “férrea reação” e “máxima pressão”.

Na coletiva de imprensa conjunta com o presidente polonês ocorrida no dia 6, Trump falou que é muito grave a ameaça proveniente do Norte da Coreia e demanda a todos os países fazer frente a tal ameaça. Acrescentou que o mundo deve mostrar ao Norte da Coreia que as más ações tem más consequências.

À pergunta sobre o que se pode fazer agora com o Norte da Coreia por via diplomática, feita em entrevista do dia 7 com o jornal Bretbart News Daily, o assessor de Trump, Sebastian Gorka, respondeu que os EUA fazem os países amigos, aliados e colegas exercer a pressão coletiva sobre a RPDC.

Há pouco, o Secretário de Estado dos EUA, Tillerson, declarou que seu país nunca aceitará a RPDC possuir armas nucleares e o porta-voz oficial do Pentágono apontou em uma conferência de imprensa que os Estados Unidos não deixará de fazer no futuro os exercícios militares na Península Coreana.

Falar da “ação global” questionando a justa e auto defensiva opção de um Estado soberano constitui uma demonstração da política autoritária ao estilo de Trump encaminhada a tirar proveitos próprios sacrificando os de outros.

Isto é um esforço agonizante dos mais assustados diante da posição estratégica da RPDC que eleva a um novo patamar.

Hoje em dia, não se aceita nunca a lógica criminosa dos EUA de que todo mundo deve se mobilizar na campanha contra um Estado soberano que não agrade ao império estadunidense.

Graças ao sucesso do lançamento de “Hwasong-14”, cresceu consideravelmente o efeito dissuasório de guerra das forças armadas nucleares da RPDC e por esta razão, se garante melhor a paz e a segurança da Península Coreana e da região.

A RPDC é a irrefutável potência nuclear e de mísseis de nível mundial.

Enquanto não se elimine política hostil e a ameaça nuclear anti-RPDC dos EUA, a primeira não poderá nunca suas armas nucleares e foguetes balísticos sobre a mesa de negociação e tampouco será possível o diálogo que discuta o cancelamento nuclear desta. Os ianques devem reconhecer esta realidade.   

Se os EUA mantiverem sua intenção de destruir o poderio geral e a posição estratégica da RPDC mediante a sanção e pressão, lhe serão enviados continuamente os “pacotes de presentes” de diferentes tamanhos.

A administração Trump precisa tomar consciência disto.

Da KCNA

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Demonstração do poderio invencível da Coreia do Juche


A RPDC teve sucesso no lançamento do primeiro teste de foguete balístico intercontinental de tipo Hwasong-14, efetuado no dia 4.

O disparo foi realizado para aumentar a altura e não teve nenhuma influência negativa à segurança dos países vizinhos.

O sucesso do primeiro ensaio de lançamento do Hwasong-14, último passo para completar as forças armadas nucleares do Estado, é uma manifestação da invencível força nacional da Coreia do Juche e do inesgotável poder da sua indústria de defesa nacional independente, fortalecidos e desenvolvidos vertiginosamente sob a bandeira da nova linha de desenvolvimento paralelo do Partido do Trabalho da Coreia.

Igualmente, constitui um grande evento que será registrado com letras maiúsculas na história da RPDC que vem ansiando século a século a poderosa capacidade de defesa nacional.

Com a posse do ICBM além da bomba atômica e da bomba H, se elevaram a um novo patamar o poder integral da RPDC e sua posição estratégica.

O fato tem o significado importante e especial em garantir a paz e a estabilidade da Península Coreia e da região, e significa além disso uma grande vitória da Coreia do Juche na confrontação anti-imperialista e anti-ianque.

Ainda em meio da pressão e sanção persistentes das forças hostis, consolidamos o dissuasivo nuclear, do qual nos sentimos orgulhosos.

Esclarecemos mais uma vez que o responsável que empurrou a RPDC ao desenvolvimento do ICBM é precisamente o país norte-americano que vem recorrendo perversamente durante várias décadas a sua anacrônica política hostil para exterminar a soberania e o direito à existência do país socialista.

Resultam muito justas as medidas da PRDC que possuiu e vem intensificando o dissuasivo nuclear auto defensivo frente às imprudentes maquinações hostis dos EUA e sua aberta ameaça nuclear.

Desta vez, as forças hostis puderam saber exatamente que os foguetes balísticos coreanos são ameaças ou não ao território estadunidense.

São muito absurdas as fanfarronices dos EUA efetuando frequentemente os testes de interceptação contra os foguetes balísticos da RPDC.

Os Estados Unidos não devem dar as costas à realidade de que todo o território está ao alcance do golpe da RPDC e os poderosos meios militares de represália estão nas mãos deste país asiático.

Hoje em dia, não se pode aceitar jamais para a RPDC a estratégia da força dos EUA que tenta provar a alguém falando da política de “máxima pressão e compromisso” sobre a RPDC.

Enquanto não se eliminem na raiz a política hostil e a ameaça nuclear dos EUA contra a RPDC, esta não poderá em nenhum caso sobre a mesa de negociações a arma nuclear nem o foguete balístico, nem retrocederá jamais do caminho já escolhido de ampliação das forças armadas nucleares.

Diante de tudo isso, os EUA deverão ter um novo modo de pensar se querem tratar-se hoje com a República Popular Democrática da Coreia.

Da KCNA

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Socialismo coreano é o independente


Por motivo do 20º aniversário da publicação da obra do Dirigente Kim Jong Il “Para manter o espírito Juche e a nacionalidade no processo revolucionário e construtivo”, o diário Rodong Sinmun publicou um artigo que segue:

A obra, publica em 19 de junho de 86 (1997) da Era Juche, esclarece os problemas de princípios para cumprir a causa socialista conforme seu caráter independente e as condições históricas e reais.

Desde sua publicação até hoje, a República Popular Democrática da Coreia se converteu em um intocável Estado socialista independente, autárquico e autodefensivo e vem desenvolvendo a excelente cultura e tradição da nação.

O socialismo do nosso país é o independente com forte espírito Juche e nacionalidade.

Nosso partido e povo vêm resolvendo todos os problemas surgidos na revolução e na construção segundo sua convicção e critério próprio.

O Partido consolidou a base política e militar do socialismo ao aglutinar todo o povo como um ente sociopolítico unido compactamente em torno do líder no ideo-volitivo e moral e ao multiplicar a capacidade de autodefesa nacional centrada no Exército Popular.

A economia nacional autárquica, que construímos enfrentando a escassez material, permitiu manter a independência política ainda em meio à situação severa e a flutuação econômica de alcance global, consolidar a base material e técnica do socialismo com o espírito de auto fortalecimento e melhorar as condições de vida material e cultural do povo.

Hoje em dia, sob a sábia direção do grande Partido, nosso país ostenta seu orgulhoso aspecto de potência independente que fomenta a superioridade da nação e satisfaz sua demanda e interesses.

 Da KCNA

terça-feira, 30 de maio de 2017

Estados Unidos complicam a situação da Península Coreana com provocações militares


Apesar das nossas reiteradas advertências, o imperialismo estadunidense comete mais atos de provocação militar para desatar a guerra nuclear.

Em 29 de maio, a famosa esquadrilha de B-1B chegou ao céu sul-coreano testar o lançamento de bombas nucleares.

A esquadrilha, saída da ilha Guam na madrugada deste dia, chegou ao céu sobre a zona marítima a 80 km ao leste de Kangrung do Mar leste da Coreia, próxima da Linha de Demarcação Militar, e levou a cabo os exercícios conjuntos de ataque a objetivos importantes da RPDC com aviões de caça e assalto do porta-aviões Carl Vinson que realiza agora no mesmo mar uma manobra naval conjunta com a marinha sul-coreana.

Ademais, executou junto com os aviões de combate das forças aéreas sul-coreanas o procedimento de ação combinada durante a navegação até o espaço aéreo da Península Coreana.

Esta provocação militar leva ao ponto de explosão a situação da Península Coreana com a agravante crise da guerra nuclear.

O inevitável do caso é que o treinamento de lançamento de bombas nucleares aconteceu na véspera dos exercícios de guerra anti-RPDC dos porta-aviões Carl Vinson e Ronald Reagan no Mar leste da Coreia.

A escalada de aventuras militares do império ianque evidencia que seu rumor de “diálogo” não passa de palavras hipócritas para desarmar a RPDC e manter sua ambição de eliminá-la com a arma nuclear.

Igualmente multiplica o ânimo de vingança do Exército Popular da Coreia disposto a exterminar de um golpe os fanáticos da guerra.

Os belicistas ianques não devem se esquecer nem por um momento que se exacerbarem a crise de guerra nuclear na Península Coreana, o próprio território estadunidense sofrerá imediatamente a devastação.


 Da KCNA