CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

domingo, 21 de fevereiro de 2016

MINREX denuncia a “lei de fomento de sanção e a política anti-Coreia do Norte” dos EUA

 
O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da República Popular Democrática da Coreia deu a seguinte declaração:

Na atualidade, os Estados Unidos atuam com hostilidade mórbida contra a RPDC. O Senado e a Câmara do Congresso estadunidense aprovaram a “lei de fomento de sanção e a política anti-Coreia do Norte de 2016”, que foi posta em vigência oficial no dia 18 com a assinatura do presidente Obama.

Esta lei está composta por artigos destinados a impedir nossas normais atividades econômicas e comerciais e recrudescer a campanha psicológica e de “direitos humanos” para desintegrar o interior da RPDC.

São absurdas a vil sanção e a campanha psicológica dos EUA encaminhadas a impedir o cumprimento da linha de desenvolvimento paralelo da RPDC.

A sanção não surte nenhum efeito para nós que vivemos durante mais de meio século sofrendo pela brutal sanção e nos obrigou a fabricar por nossa própria conta até a bomba de hidrogênio. A sociedade internacional opina unanimemente que com a sanção e a ameaça não se pode resolver o problema da Península Coreana mas complicá-lo ainda mais.

Não podem ignorar que a campanha dos EUA, que questiona como ato de perturbação da paz nossas justas medidas de autodefesa, persegue a meta de derrotar o regime socialista da RPDC, centro da vida e felicidade do povo coreano.

Até esta data, EUA disse com frequência que a sanção e pressão não são para afetar o povo coreano e suas condições de vida. Mas, desta vez, revelou abertamente que a essência de sua política sobre a RPDC reside em asfixiar sua economia nacional em conjunto e derrotar seu regime socialista. O fato comprova que continua e ultrapassa o limite a política norte-americana de hostilidade a RPDC com a meta de eliminar fisicamente a existência de nosso Estado e povo.

O império americano pretende utilizar até o “problema de direitos humanos” como pretexto de sanção afim de derrotar o socialismo na RPDC. Mas, a brutal sanção econômica é a pior violação dos direitos humanos do povo coreano e o imperialismo será sentenciado por este crime. As manobras desesperadas dos EUA centuplicam a firme vontade do nosso exército e povo de defender até o fim o mais vantajoso regime socialista, onde todo o povo disfruta grandemente dos verdadeiros direitos humanos, e de levantar sem falta a potência econômica e a civilização dando prioridade ao auto fortalecimento.

Por mais que se intensifique a política estadunidense de hostilidade contra a RPDC, sustentaremos mais alto a linha de desenvolvimento paralelo da construção econômica e das forças armadas nucleares.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Façanhas de Kim Jong Il na confrontação nuclear com os Estados Unidos


Hoje em dia, a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) ostenta sua dignidade e poderio como potência militar dotada de até mesmo de uma bomba de hidrogênio.

Este evento que está sendo registrado na história nacional de cinco milênios é impensável a margem das imortais façanhas do Dirigente Kim Jong Il, que ao pôr em prática a política Songun, defendeu o país e a nação, o socialismo e a paz mundial desde as ameaças nucleares das forças hostis.

As duas confrontações nucleares que ocorreram entre a RPDC e os Estados Unidos a princípios das décadas de 1990 e 2000 foram na realidade um inflamado enfrentamento político e militar entre a RPDC e as forças aliadas multinacionais encabeçadas pelo império ianque.
Os Estados Unidos exerceram o isolamento político, o bloqueio econômico e a pressão militar sobre a RPDC, esta última que não obedece à ambição agressiva estadunidense e fez com que o primeiro ficasse desesperado para levar a catástrofe nuclear para a Península Coreana.
Aproveitando a queda do socialismo em vários países do mundo, o imperialismo e suas forças aliadas falaram continuamente do “fim do socialismo” e dirigiram a flecha de ataque para a RPDC, que avança com a bandeira socialista firmemente levantada.
Os Estados Unidos e a camarada nociva da Agência Internacional de Energia Atômica instigada pelo império, impuseram a “inspeção especial”, questionando as atividades nucleares com fins pacíficos da RPDC. Os Estados Unidos anunciaram a retomada da perfuração conjunta Team Spirit e iniciou uma grande mobilização de suas forças armadas agressivas até a Península Coreana e seus arredores.
A 8 de março de 82 (1993) da Era Juche, quando a situação da Península Coreana chegou a fase perigosa, o Dirigente deu a ordem do Comandante Supremo de declarar o estado de pré-guerra em todo o país, todo o povo e todo o exército. Em seguida, foi publicado em 12 de março a declaração do governo da RPDC da sua retirada do Tratado de Não Proliferação.
Os Estados Unidos firmaram o Acordo Básico RPDC-EUA, que tem como conteúdo principal o oferecimento da usina nuclear de água leve para a RPDC e enviou até uma carta de garantia do presidente.
Mas, voltou a intensificar a pressão anti-RPDC, questionando suas instalações nucleares pacíficas e anunciou ao interior e ao exterior o “OPLAN 5027”, um plano de ataque nuclear preventivo.

Para fazer frente a este plano, a República Popular Democrática da Coreia declarou que se verá obrigada a preparar a dissuasão nuclear. E realizou com êxito o teste nuclear, demonstrando para todo o mundo que a RPDC é um digno País possuidor de armas nucleares.
A RPDC superou, diante do arrogante Estados Unidos e se tornou uma potência político-militar e detentora de armas nucleares.

da KCNA

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Eterno Sol da Coreia do Songun

O grande companheiro Kim Jong Il salvaguardou o socialismo e o destino da nação por meio da política Songun (prioridade dos assuntos militares).

Herdando a ideia e a linha de conceder importância ao fuzil e aos assuntos militares, apresentados pelo Presidente Kim Il Sung, formulou o modo político do Songun e levou à vitória a luta de defesa socialista por meio de sua direção revolucionária da mesma maneira.

Desde que deixou em 25 de agosto de 1960 seus primeiros sinais de direção na Divisão Guarda de Tanques 105 “Seul” Ryu Kyong Su, esteve em suas contínuas viagens às unidades do Exército Popular da Coreia.

Particularmente, na década de 1990 aplicou em todas as esferas a política Songun, enquanto defendeu com firmeza o socialismo frustrando as manobras agressivas sem precedentes das forças imperialistas e reacionárias lideradas pelos Estados Unidos para asfixiar a RPDC. Em sua obra intitulada “A linha revolucionária do Songun é uma grande linha de nossa época e bandeira sempre vitoriosa da nossa revolução” e outras definiu a justeza e a originalidade desta linha e estabeleceu um sistema de direção estatal com o EPC como o poderoso centro da revolução e da construção, a política Songun como o modo principal da política socialista e ao Comitê de Defesa Nacional como sua coluna vertebral. E colocou a linha fundamental da construção econômica na época do Songun, consistente em dar prioridade à indústria de defesa nacional e, ao mesmo tempo, desenvolver a indústria leve e a agricultura, uma segura garantia para consolidar o poderio do país.

Muito consciente de que somente com o potente fuzil é possível salvaguardar firmemente o socialismo, dirigiu seus esforços para reforçar a potência militar.

Em suas incessantes inspeções a numerosos postos militares, entre outros a base “Pinos Enanos”, Panmunjom, a ilha Cho, orientou a converter todo o exército em tropas de firme ideologia e convicção e dispostas de potentes meios de ataque e de defesa, enquanto se empenhou para o armamento de todo o povo e a fortificação de todo o país. E inclusive, fez com que predominasse um ambiente em que o exército ajuda a toda a sociedade. Em um período tão difícil como a Árdua Marcha prestou primordial atenção ao desenvolvimento da autóctone indústria de defesa nacional e fabricar por própria conta modernos armamentos para fortalecer o poderio militar.

Em virtude de sua abnegação patriótica e sábia direção o exército e o povo coreanos desbarataram todas as frenéticas manobras das forças aliadas imperialistas encabeçadas pelos EUA para isolar e estrangular a RPDC, de modo que puderam salvaguardar seu regime socialista e o destino da pátria e da nação e preparar o cimento de eterna duração para a construção de um Estado poderoso e próspero.

A política Songun que o Dirigente Kim Jong Il aplicou deu lugar ao fato de que todo o exército se uniu como um todo compartilhando a mesma ideia e propósito com ele, se abriu uma nova era de apogeu na grande unidade militar-civil e se afiançou a solidariedade monolítica do líder, o Partido, o exército e o povo, eis uma garantia ideo-política para o avanço vitorioso na edificação de um país socialista, poderoso e próspero. O Exército Popular se converteu em uma força elite e se ampliou ainda mais o poderio militar auto defensivo do país, dando uma garantia para levar a um feliz término a construção do Estado poderoso e prospero valendo-se do Songun. O exército, força principal da revolução, enquanto defendia a pátria, se pós à frente da construção socialista, registrando conquistas e inovações em todos os domínios da construção de uma potência econômica.

Assim, graças ao Dirigente Kim Jong Il que, aplicando a original política Songun, levou a Coreia a uma posição da potência ideo-política e militar e assentou uma firme base para a construção de um Estado poderoso e próspero, tornou possível antecipar o luminoso porvir do país.

Hoje, quando a Coreia entra em uma época de mudanças históricas para o cumprimento da causa revolucionária do Juche, para enaltecer ao companheiro Kim Jong Um que herda tal como é a política Songun, no máximo cargo do Partido, do Estado e do exército, continua invariavelmente a história da revolução do Songun na Coreia e o Dirigente Kim Jong Il vive sempre como eterno Sol do Songun.

Do Naenara

Coreanos celebram o Dia da Estrela Luz

 
Os militares e civis coreanos celebraram solenemente o dia do nascimento do Dirigente Kim Jong Il. As ruas, aldeias, instituições, fábricas, empresas e fazendas nesta capital e em todas as províncias, cidades e distritos estão decoradas em cores de festa.

Os cidadãos de Pyongyang visitaram a Praça do Palácio do Sol Kumsusan para render sublime homenagem aos grandes Líderes Kim Il Sung e Kim Jong Il e passar momentos significativos no parque da praça.

Os militares, trabalhadores, jovens e estudantes de todo o país concorreram às estatuas de bronze e as imagens sorridentes dos grandes Líderes antecessores levantadas em suas respectivas localidades.

São incontáveis os visitantes à sede do XX Festival de Kimjongilias de Pyongyang e as exposições provincianas da mesma flor imortal.

Nas sedes das exposições fotográficas e de belas artes os visitantes vieram as obras alusivas às grandes proezas revolucionárias do Dirigente. Nos teatros, nas casas culturais e nos palcos ao ar livre da capital e outras localidades foram apresentadas atividades artísticas.

Também foram apresentadas canções na Fábrica Têxtil Kim Jong Suk de Pyongyang, o campo de construção do canal por gravidade Chongchon-Phyongnam, o campo de construção da base de gado da zona de Sepho, a Fazenda Cooperativa de Migok da cidade de Sariwon, etc.
Os jovens estudantes ingressaram na Organização Nacional de Crianças.  O barco de serviço combinado Mujigae, o Restaurante Okryu, o Chongryu e outras bases de serviço comercial e gastronômico serviram banquetes.

Os habitantes passaram momentos alegres no Aquário de golfinhos de Rungna, o cinema 3D de Rungna, o Centro de Patinação ao ar livre do Povo e o Centro de Tiro Meari. Os jovens e estudantes de várias localidades realizaram bailes festivos.

da KCNA

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Tudo o que você precisa saber sobre o novo satélite da Coreia Socialista



No último domingo, 7 de fevereiro de Juche 105 (2016), às 9h00min da manhã, a República Democrática Popular da Coreia lançou com total êxito mais um satélite ao espaço. É o Kwangmyongsong-4! O Kwangmyongsong-4 (que significa "Estrela Luz" em coreano, nome de um poema escrito pelo Eterno Presidente KIM IL SUNG) é um grande sucesso para a ciência nacional da Coreia Juche. No dia 2 de fevereiro o governo de Pyongyang notificou a Organização Marítima Internacional que realizaria o lançamento de algum artefato. Esse fato exclui o argumento usado por muitas mídias e "especialistas" de que a Coreia pegou todos de surpresa e ameaça a paz mundial. No dia seguinte ao lançamento, em 8 de fevereiro, o NORAD - Comando Norte-Americano de Defesa Aeroespacial - confirmou que o satélite foi lançado com sucesso e está funcionando.

Mas afinal, para que serve este satélite? Com o Kwangmyongsong-4 a Coreia Socialista agora dispõe de meios para fazer observações detalhadas de seu território, ajudando no controle de florestas e rios. O satélite também localiza áreas com recursos naturais, ajudando na exploração mineradora. O clima também pode ser estudado com mais rigor, auxiliando os fazendeiros da Coreia Socialista a alcançarem maiores resultados em seus cultivos, contribuindo com a economia nacional. Além disso, agora qualquer ponto da Terra está ao alcance e aos olhos da Coreia. O satélite também tem função de observação militar, ajudando imensamente no propósito de proteção nacional, propósito esse elevado diariamente pela brilhante Política Songun.

O exitoso lançamento do Kwangmyongsong-4 é fruto da grande atenção do Partido do Trabalho da Coreia à elevação da tecnologia nacional. É fruto também da liderança do Supremo Marechal KIM JONG UN que está à frente do povo coreano defendendo os interesses da Coreia. É uma questão de soberania e direito. Ninguém além dos coreanos pode decidir o que eles devem ou não fazer. Eles estão apenas exercendo seu justo direito de explorar o espaço. A Coreia Juche está entre a pequena lista de países do mundo que possuem tecnologia suficiente para lançar satélites ao espaço. O sucesso do Kwangmyongsong-4 é também, acima de tudo, resultado do inesgotável ímpeto de evolução e garra do povo coreano; centenas de cientistas e militares trabalharam juntos neste projeto que contou com a ajuda de milhões de trabalhadores e trabalhadoras coreanas.

Observadores militares da Coreia do Sul e do Japão observaram a trajetória do novo foguete transportador de satélite e concluíram que a Coreia agora dispõe de um mecanismo mais potente e rápido que os anteriores. Isso significa uma grande evolução da tecnologia norte-coreana e que muito em breve a Coreia pode lançar bombas em qualquer área do globo ou até mesmo em um futuro próximo levar seres-humanos ao espaço. Desesperados, os países imperialistas e suas colônias acionaram seus aparatos diplomáticos para condenar a grande façanha do povo coreano. Reuniram-se no Conselho de Segurança da ONU, organização esta que não passa de um fantoche do imperialismo estadunidense, para dialogar sobre novas sanções à Coreia, que tão somente testa seus limites e explora o espaço em seu legítimo direito.

O incrível feito de uma nação bloqueada econômica, diplomática e midiaticamente foi comemorado com muito fervor pelo povo norte-coreano. A TV estatal anunciou com grande tom de vitória o sucesso do lançamento do Kwangmyongsong-4 e, instantaneamente, milhões de coreanos foram às ruas comemorarem o feito. Os cientistas responsáveis pelo feito foram aclamados como heróis nacionais pelas ruas. Queima de fogos e manifestações civis pelas ruas e praças tornaram a semana dias de grande festa para o povo da Coreia.

A poucos dias de comemorarmos o dia do nascimento do Grande Camarada Eterno Dirigente KIM JONG IL, o povo coreano colocou no céu mais uma estrela, o Kwangmyongsong-4! Este grande acontecimento é prova de que o socialismo coreano é invencível e movido pelas massas populares. O povo coreano decidiu seu destino. E decidiu pelo socialismo, pela ciência, pela evolução, pelos grandes feitos.

VIVA O POVO COREANO E SUA GRANDE VITÓRIA! VIVA O GRANDE MARECHAL KIM JONG UN! VIVA O SOCIALISMO JUCHE! MORTE AOS IMPERIALISTAS E SEUS LACAIOS E AOS DIFAMADORES DO POVO COREANO! MANSE!

––» Confira abaixo algumas cenas inéditas recentemente liberadas pela KCTV.

»» Imagens do momento do lançamento do satélite Kwangmyongsong-4: https://www.youtube.com/watch?v=Rs6RAth4NVM

»» O Marechal Supremo KIM JONG UN realiza inspeções ao foguete e ao satélite (veja o satélite!): https://www.youtube.com/watch?v=DFmSgKm3Dbo

»» Cientistas e trabalhadores responsáveis pelo exitoso lançamento do satélite são aclamados nas ruas: https://www.youtube.com/watch?v=1sNyaBm2GiM

»» Concentração popular e manifestação na Praça Kim Il Sung: https://www.youtube.com/watch?v=vARwEomKGbQ

»» Queima de fogos em comemoração ao lançamento do satélite: https://www.youtube.com/watch?v=zgPKSFmc64k

»» Canção revolucionária 《Levar o nome da Coreia para o céu》: https://www.youtube.com/watch?v=q3bAK6JFP_g


por Lucas Rubio

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Tomando o Exército Popular como vanguarda do patriotismo


O Dirigente Kim Jong Il era um patriota sem igual que, sob a bandeira do Songun, defendeu firmemente a pátria socialista e preparou uma espada onipotente que garante o desenvolvimento independente do país e da nação.

Erguendo mais alto a bandeira do Songun, o Dirigente colocou o Exército Popular (E.P.) como a vanguarda do patriotismo.

Destacou que o E.P. constituía o grosso da revolução e o pilar do país. Ele considerou o exército não somente como o meio para a conquista do poder e da defesa nacional, como também a vanguarda na luta patriótica por forjar o destino da nação. Especificamente nas circunstâncias em que o país construía um Estado socialista poderoso e próspero sob a constante ameaça de agressão dos imperialistas, e em condições péssimas, considerou que não havia uma força mais confiável e preparada em todos os aspectos do que o E.P.

Durante todo o período da orientação da revolução, ele dirigiu o Exército Popular para que este cumprisse com responsabilidade o papel como o grosso da revolução e de vanguarda do patriotismo. Deu a maior atenção e força para preparar o Exército seguramente nos campos político e ideológico.

Ele elucidou o pensamento de que o exército revolucionário devia ser o exército do Líder e do Partido antes do que um coletivo armado contra os inimigos, e o aplicou invariavelmente na construção do exército. Levou a cabo de maneira dinâmica no seio do E.P. as tarefas de educação ideológica destinadas a formar militares fortes na ideologia e na fé, e os atendeu com o amor fraternal, considerando-os como companheiros de armas revolucionários.

A poderosa arma que aglutinava firme e fraternalmente o Comandante Supremo e os oficiais e soldados era o ardente amor e confiança do primeiro para os segundos.

Cada vez que visitava as unidades do E.P. recorria a quartéis, cozinhas, banheiros, depósitos e até mesmo pomares para a economia suplementar e provava até as iguarias. Durante a visita aos postos militares, na vanguarda, sem se esquecer da promessa feita aos pais que estão na retaguarda, chamou os filhos destes, que ali serviam, tirou fotos com eles e os atendeu com um amor paterno. Visitou até postos militares em regiões montanhosas e em ilhotas solitárias e uma vez, ao chegar em uma unidade nas vésperas do amanhecer, depois de uma longa viagem no turno da noite, aguardou até que ficasse de dia para não atrapalhar o sono dos soldados. Por isso os soldados do E.P. seguem-no, não apenas como Comandante Supremo, mas também como o pai que os cuida com um amor paternal, e materializaram com lealdade sua ideia e direção.

O Dirigente Kim Jong Il fez do Exército Popular um poderoso destacamento na frente militar anti-imperialista.

Definiu a batalha pela defesa nacional como a luta pela defesa do socialismo e a frente militar anti-imperialista como a linha vital mais importante da revolução relacionada com a existência ou ruína da pátria, o povo e a nação. Apresentou o E.P., como incomparavelmente mais forte que os demais coletivos sociais no espírito revolucionário, na combatividade, no caráter organizativo e na disciplina, como a tropa que defende a frente supracitada, como bastião da defesa da pátria socialista. Se dedicou totalmente a preparar o E.P. como uma força capaz de derrotar um a cem, equipada com um armamento moderno. A orientação revolucionária mediante o Songun do Dirigente, permitiu ao E.P. se preparar como exército mais poderoso nos campos da ideologia, força espiritual, capacidades operacionais e táticas, nos exercícios e no equipamento de armas.

Em um dia em outubro de 2005, o Dirigente Kim Jong Il, na reunião dos comandantes do E.P, destacou que graças à política Songun, pudemos superar com êxito a árdua marcha, defender fidedignamente o socialismo ao nosso estilo das maquinações antissocialistas dos imperialistas contra a nossa República e fazer brilhar em todo o mundo a dignidade do país e da nação.

O Dirigente apresentou o E.P. não somente como o defensor da pátria, mas também como o criador da felicidade do povo e da brigada de choque na construção de um Estado próspero e poderoso, e tomando-o como o pilar acelerou com energia a construção socialista em seu conjunto.

Durante sua ininterrupta inspeção sobre o campo das unidades militares, costumava dizer que o E.P. devia mostrar belas características da identidade do exército e o povo, amar a este e ajuda-lo ativamente, e seguir sendo exemplar em abrir brechas nos setores mais difíceis da construção do Estado poderoso e próspero.

Fez o Exército Popular encarregar-se tanto da defesa nacional como da construção socialista e acumular proezas laborais na construção de centrais elétricas de grandes dimensões, a nivelação de terras cultiváveis de enorme extensão, obras de canais de irrigação e setores complexos da agricultura, indústria elétrica e carbonífera.

O Exército Popular, sob a palavra de ordem de “Encarreguemo-nos tanto da defesa da Pátria como da construção socialista! ”, abriu caminhos para o avanço nos ramos mais difíceis da construção socialista. Graças aos seus esforços foram aumentadas em todos os lugares, inúmeras criações monumentais que representam a Era Songun e se registraram auges nos setores de carvão, eletricidade, agricultura e em outros importantes campos da construção socialista.

Em uma palavra o Dirigente Kim Jong Il criou o novo modo da construção de um Estado poderoso e próspero de colocar o Exército Popular como pilar da defesa nacional e da construção socialista e acelerar, com o espírito e estilo de luta do E.P., a construção socialista em seu conjunto.

A realidade coreana em que se registra um grande salto nessa construção pelo papel nuclear e na luta heroica do Exército Popular, tornou evidente que o caminho do Songun aberto pelo Dirigente de tomar este exército como vanguarda do patriotismo, constitui a via verdadeira de construir um Estado poderoso e próspero, a via autêntica do patriotismo.

do Naenara

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Informe da Administração Nacional de Desenvolvimento Espacial da RPDC

A Administração Nacional de Desenvolvimento Espacial da República Popular Democrática da Coreia divulgou informações sobre o exitoso lançamento do satélite de observação da Terra “Kwangmyongsong-4”.

O informe destaca:

Os cientistas e técnicos da Administração Nacional de Desenvolvimento Espacial da República Popular Democrática da Coreia exitosamente puseram em órbita o satélite de observação da Terra “Kwangmyongsong-4”, novamente investigado e desenvolvido segundo o plano do ano 2015 previsto pelo plano quinquenal estatal para o desenvolvimento espacial.

O foguete transportador “Kwangmyongsong” foi lançado às 9h do dia 7 de fevereiro do ano 105 (2016) da Era Juche no Campo de Lançamento de Satélites Sohae do distrito de Cholsan da província de Phyong-an do Norte y pôs corretamente na orbita correspondente o satélite de observação da Terra "Kwangmyongsong-4" 9 minutos e 46 segundos após o lançamento.

O satélite “Kwangmyongsong-4” está girando com ângulo de inclinação de 97,4º entre 494,6 km de altitude de perigeu e 500 km de altitude de apogeu e o ciclo é de 94 minutos e 24 segundos. No satélite estão instalados os aparatos de medição e comunicação necessários para a observação do planeta.

O sucesso completo alcançado no lançamento do satélite “Kwangmyongsong-4” se deve ao orgulhoso resultado da política do Partido do Trabalho da Coreia de dar importância às ciências e às técnicas, e constitui um evento de grande significado no desenvolvimento das ciências e das técnicas do país e da economia, da capacidade de defesa nacional do país exercendo com dignidade o direito independente do uso pacífico do espaço.

O fascinante vapor do satélite do Juche registrado no céu primaveral claro e azul quando se aproxima o Dia da Estrela Luz, máxima festa nacional da Coreia do Sol, é o presente da fidelidade dos cientistas e técnicos ao Marechal Kim Jong Um e o digno partido, Estado e povo da RPDC.

No futuro a Administração Nacional do Desenvolvimento Espacial da RPDC lançará muitos mais satélites do Juche, sustentando a política do grande Partido do Trabalho da Coreia de desenvolver as ciências no país.