CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

segunda-feira, 30 de maio de 2016

RPDC fortalecerá ainda mais as forças armadas nucleares, afirma porta-voz do MINREX




À pergunta de um repórter da KCNA, formulada no dia 28 sobre como Obama questionou as medidas da República Popular Democrática da Coreia para fortalecer as forças armadas nucleares, o porta-voz do MINREX da RPDC deu a seguinte resposta:

Recentemente, na ocasião da Cúpula dos 7 países realizada no Japão, Obama interviu em várias ocasiões censurando e denegrindo a RPDC.

Disse que a RPDC não somente “desenvolve armas nucleares, mas que também pratica atos para proliferá-las”, “constitui o maior obstáculo na realização do mundo sem armas nucleares” e que “as armas nucleares e o projeto de míssil balístico da RPDC gera a ameaça à região, aos Estados Unidos e ao resto do mundo”.

As bobagens de Obama revelam a medula podre dos EUA que acusa a outros países com o objetivo de encobrir sua natureza, país delinquente nuclear que impôs à humanidade a calamidade nuclear, e evitar a forte censura da sociedade internacional a seu país que persegue obstinadamente o domínio do mundo baseado nos armamentos nucleares enganando o mundo sob a máscara mentirosa do “mundo desnuclearizado”.

Obama falou descaradamente da desnuclearização precisamente no lugar destruído pela bomba atômica dos EUA.

O projeto de “mundo desnuclearizado, apresentado por Obama desde o início de seu mandato, partiu da má intenção para fortalecer ainda mais seus meios de guerra nuclear, por uma parte e, por outro, debilitar a capacidade militar de outros países.

Hoje em dia a astuta artimanha de dupla face do país norte-americano se viu condenada ao fracasso pelo devido rechaço da sociedade internacional.

Se os EUA têm tanto interesse na realização da desnuclearização do mundo, ele mesmo deve ser o primeiro a renunciar a estas armas mortíferas e mostrar-se exemplar ao abandonar a ameaça e a chantagem nucelares contra outros países e nações.

Os EUA, que maneja a espada nuclear e recorre à política hostil contra a RPDC, sonha com a renúncia nuclear da RPDC, o qual não passa de uma ilusão tal qual quem espera um frango sair de um ovo cozido.

Como já declaramos, fortaleceremos mais no qualitativo e no quantitativo as forças armadas nucleares auto defensivas mantendo permanentemente a linha estratégica de desenvolver paralelamente à construção econômica e a das forças armadas nucleares, enquanto existam a ameaça nuclear e as arbitrariedades dos imperialistas.

Também, a RPDC, responsável país possuidor de armas nucleares, cumprirá sinceramente o dever de não proliferação nuclear ante a sociedade internacional e se esforçará ativamente pela realização da desnuclearização do mundo.

Por mais que os Estados Unidos recorram à propaganda demagógica de converter o branco no negro, não poderão manchar jamais o prestígio da RPDC, potência nuclear da independência e da justiça.

Da KCNA

quinta-feira, 26 de maio de 2016

“Única saída dos EUA é abandonar a política hostil contra RPDC”


O jornal estadunidense Wall Street Journal destacou que no VII Congresso do Partido o Marechal Kim Jong Um disse que desenvolverá a dinâmica luta para eliminar com o poderoso dissuasivo nuclear a ameaça de guerra nuclear dos Estados Unidos, o qual demonstrou que a República Popular Democrática da Coreia tem a capacidade de ameaçar com o ataque nuclear no território principal dos EUA.

A revista de relações internacionais dos EUA, National Interest, destaca que ainda que as sanções da ONU e dos EUA se fortaleçam mais, quase não tem possibilidade de modificar a RPDC e somente o início das negociações torna-se a única saída porque ela legalizou a possessão das armas nucleares e apresentou esta como ideal do Partido.

Os prestigiados especialistas de situação e muitos meios de comunicação dizem que a RPDC, que realizou a minimização das ogivas nucleares para carrega-las nos mísseis balísticos, poderia fabricar de 20 a 100 armas nucleares até 2020.

Prosseguem que se buscam como agora a tática de alta pressão desejando a mudança da RPDC, se elevará ainda mais a posição da RPDC nas negociações nucleares no mandato do próximo presidente estadunidense, o qual servirá a ameaça e tarefa que os EUA devem solucionar urgentemente.

Esta voz do mundo se baseia na posição estratégica da RPDC ao entrar na primeira linha das potências nucleares e a atual tendência em mudança e desenvolvimento.

Assim destaca o diário Rodong Sinmun em um comentário divulgado nesta semana e prossegue:

O abandono da política hostil norte-americana contra a RPDC deve seguir a demanda das relações internacionais em mudança e desenvolvimento e também é útil para a paz e a segurança do mundo.

Não o mendigamos nunca. Não nos importa tanto o problema de retirada ou não desta política. Hoje, quando se torna mais aguda a confrontação entre a RPDC e os EUA, as autoridades estadunidenses devem ter em mente que a única saída de seu país não é outro senão o abandono da política hostil contra a Coreia Popular.

da KCNA

terça-feira, 24 de maio de 2016

Ideologia e cultura imperialistas adormecem o espírito saudável


Na atualidade, o trabalho de frustrar a penetração ideológica e cultural dos inimigos se apresenta como um problema importantíssimo, enfatizou o diário Rodong Sinmun em um artigo. E segue:

Hoje em dia, os imperialistas intensificam mais do que nunca a ofensiva ideológica e cultural reacionária para exterminar a aspiração independente e a causa socialista das massas populares.

A penetração ideológica e cultural dos imperialistas persegue o objetivo de divulgar a outros países a ideologia, a cultura e o modo de vida burgueses corruptos e reacionários e adormecer a sã consciência ideológica e classista das pessoas.

Ao dominar e saquear outros países, os imperialistas temem mais o poder do povo, disposto no aspecto político. Ninguém pode dobrar o povo preparado no ideo-político e classista.

Os imperialistas infiltram as ideologias e culturas burguesas com o objetivo de adormecer a consciência independente dos povos.

Se um homem relaxar minimamente a vigilância, pode contagiar-se inconscientemente com a ideologia e cultura decadentes. Eis aqui o caráter tóxico das ideias e culturas dos imperialistas.

Os fatos históricos ensinam a amarga lição de que se não se redobra a vigilância sobre a penetração ideológica e cultural dos imperialistas, não se pode defender as conquistas da revolução.

Para defender a causa independente das massas populares, a socialista, e conquistar seu avanço vitorioso há que frustrar com a ofensiva ideológica e cultural revolucionária as brutais e persistentes manobras dos imperialistas desejosos de impor suas ideias.

Da KCNA