CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

sábado, 30 de junho de 2012

Rodong Sinmun: Para o imperialismo, guerra é a saída para a crise


Por Ri Kyong Su

Historicamente, os imperialistas sempre buscam uma saída para a crise econômica através das guerras.

Na segunda metade da década de 1940, os Estados Unidos se encontravam numa crise econômica. Os monopólios armamentistas que ganharam altos lucros durante a Segunda Guerra Mundial através da venda de todo o tipo de suprimentos de guerra entraram em estagnação por conta da redução na demanda por equipamentos militares, numa época de atmosfera pacífica no mundo.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, surgiram novos países socialistas e o mercado socialista mundial foi formado. Países coloniais e semicoloniais conquistaram a independência e seguiram no caminho de uma nova vida. Isso reduziu drasticamente o mercado capitalista.

O Comitê para a Coordenação das Exportações da Área Comunista isolou o mercado dos países capitalistas e reduziram a área para a exportação de capital e mercadorias por parte dos Estados Unidos. Dessa maneira, os EUA começaram a buscar um caminho para a crise econômica cada vez pior através da tentativa de se iniciar uma nova guerra, a Terceira Guerra Mundial.

Os Estados Unidos designaram a Coreia como trampolim para iniciar uma nova guerra no continente asiático. Ameaças bélicas eram ouvidas frequentemente nos EUA.

Um jornal disse: “As autoridades dos Estados Unidos clamavam por uma nova guerra. Dificilmente seria possível acalmar a vontade das mesmas pela ambição de guerra”.


Em 25 de junho de 1950, os Estados Unidos iniciaram a guerra na Península Coreana.

Muitos anos se passaram desde então. Mas o método norte-americano de sair das crises através de novas guerras não mudou. Nos dias de hoje, a crise econômica fica cada vez mais séria. Junto com isso, aumentam os movimentos dos EUA para iniciar uma nova guerra contra a RPDC.

Os imperialistas norte-americanos devem tirar lições da derrota no passado na Guerra da Coreia e deixar de lado as provocações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário