domingo, 8 de julho de 2012

O Presidente Kim Il Sung


O Presidente Kim Il Sung, a quem as pessoas progressistas veneram infinitamente, mostrou exemplo na ajuda sincera a outros países.

Durante sua vida, encontrou-se com personalidades de muitos países, particularmente com chefes e estadistas de países recém-libertados e em vias de desenvolvimento. Sugeriu aos mesmos que consolidassem a independência política, manter a soberania, renunciar à ideia de depender de países estrangeiros e construírem uma economia e cultura nacionais e independentes.

Kim Il Sung auxiliou países recém-libertados na solução de problemas nacionais.

Na década de 70, o presidente togolês, chefe de uma numerosa delegação, visitou a Coreia. Togo, mesmo que estivesse independente há mais de 10 anos, passava grandes dificuldades e contratempos na construção de uma nova sociedade devido às maquinações dos imperialistas, que se apoderavam das concessões econômicas no país, e procurava receber auxílio de outros países. Nenhum país os ajudou sinceramente. Dessa maneira, o presidente togolês buscou socorro a Coreia, que desfrutava de grande prestígio entre os países em via de desenvolvimento. Em sua entrevista com o presidente de Togo, Kim Il Sung conheceu a situação do país, que sofria por escassez de quadros nacionais. Kim Il Sung sugeriu que o país construísse uma boa escola do partido, que seria denominada Escola Superior de Aliança Popular e construída na capital, que formou por decênios vários quadros competentes, capazes de dirigir a construção de uma nova sociedade no país.

Kim Il Sung se interessou muito por lograr que os países emergentes se apoiassem em suas próprias forças.

Em março de 1981, o presidente de um país africano visitou Coreia e se entrevistou com Kim Il Sung, ocasião em que o primeiro solicitou ajuda para o melhoramento da agricultura de seu país.

Kim Il Sung percebeu que o presidente tinha interesse pelo desenvolvimento do sistema de irrigação, mais especificamente por bombas d’água. Nessa ocasião, disse a ele:

“Podemos dar a vocês bombas d’água de grande potência. Porém, no futuro, vocês também devem produzir com seus próprios recursos produtos como bombas d’água”. Junto com o presidente, Kim Il Sung mostrou a ele uma fábrica de bombas d’água. Durante a visita à gábria, explicou a ele com detalhe sobre a construção e o desenvolvimento e disse a ele que o ajudaria a construir a fábrica de bombas d’água. Porém, tratava-se de uma preciosa advertência dada aos países em vias de desenvolvimento que, mesmo sendo necessário receber ajuda de outros, o principal era, em todo caso, se apoiar e confiar nas próprias forças.

Mais tarde, enviou a esse país uma potente delegação de agricultura. A ajuda dos agrônomos coreanos aumentou fez aumentar notavelmente a produção agrícola.

Kim Il Sung não se manteve alheio ao sofrimento dos países emergentes.

Certa vez, Malta, país insular do mar mediterrâneo, se viu numa situação crítica em que deveria mudar uma chaminé da única central termoelétrica do país. Se a planta parasse sua produção por somente uma hora, o país inteiro seria gravemente afetado. Informado disto, Kim Il Sung enviou a esse país técnicos competentes, que levantaram chaminés novas, sem deixar de por em funcionamento a central termoelétrica.

O magnífico teatro sem telhado, levantado na capital de Burkina Faso, e o Palácio Nacional de Guiana, tido como o melhor edifício monumental da África, foram ambos construídos com a ajuda dada por Kim Il Sung. A cidade de Butiama, na Tanzânia, deu uma colheita abundante pela primeira na história também por sua ajuda.

A inapreciável ajuda de Kim Il Sung aos países emergentes não se limitou ao setor da economia.

Certa vez, um chefe de Estado de um país da África ocidental, que havia estabelecido um Poder de caráter progressista em seu país, com o fim de resolver o problema da fundação do Partido e outras questões na construção de uma nova sociedade, enviou seu mensageiro especial a Coreia.

Kim Il Sung concedeu audiência ao enviado e deu a ele instruções que serviriam de preciosas guias para a construção do Partido, do Estado e do exército. Mais tarde, fez tudo o que foi possível para que nesse país fosse efetuada com êxito a fundação do partido e a mudança no nome do país.

Entre os países que por efeito dos ensinamentos e da ajuda de Kim Il Sung, empreenderam a construção de uma nova sociedade, encontrava-se também Moçambique. Samora Machel, presidente da Frente de Libertação de Moçambique, que mesmo que houvesse conquistado a independência de seu país, sofria por não saber resolver problemas complexos como a construção do Estado e questões relacionadas à vida populacional, visitou a Coreia. Em seu encontro com ele, Kim Il Sung explicou com palavras fáceis experiências adquiridas pela fundação do partido, do Estado e do exército, sobre formação de quadros, organização de entidades sociais, e sublinhando a necessidade de se aplicar de maneira criadora e de acordo com a realidade de seu país as experiências alheias.

Não só ele, mas, também, Museveni de Uganda, Lansana Conté de Guiné, dirigentes e estadistas de muitos países que tomaram o caminho da construção de uma nova sociedade, se encontraram com Kim Il Sung para receber ajuda.

Kim Il Sung é realmente o grande herói dos povos progressistas que deu exemplo na ajuda sincera a outros países.

3 comentários:

  1. Parabéns pelo Blog. Já acompanho há algum tempo.

    Sugiro, porém, que retirem esse recém colocado "espaço publicitário".

    Fica complicado ver um anúncio do burger king entre duas notícias que falam de conquistas sociais e política anti-imperialista.

    As organizações do campo popular e revolucionário, para manter sua independência, não devem ser custeadas pelo capital.

    Um abraço,

    Jr.

    ResponderExcluir
  2. Da minha parte, não tenho nada contra publicidade no blog. Prq insfelizmente vivemos sob a égide do capital e precisamos sobreviver dentro desse contexto até a esperada revolução popular e democrática. Paciência Companheiros!

    O Grande Kim Il Sung é realmente o Presidente Eterno da Coreia e seus ditos e feitos servem de exemplo para os povos dos países do mundo.

    No YouTube já vi vários videos de encontros antigos e recentes com vários dirigentes progressistas de vários povos do mundo. Vale a pena conferir!

    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  3. O problema, camarada, é que no sistema capitalista quem financia dita as regras! Daí ser necessário às organizações populares garantir seus financiamentos com recursos oriundos da própria classe operária.
    Veja no que deu o PT, financiado pela burguesia desde a campanha de Lula em 2004...
    E o PSOL segue o mau exemplo, financiado pelo GERDAU em Porto Alegre...
    Tudo isso é ANTI-LENINISMO! Só deforma as organizações populares!

    ResponderExcluir