CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Enfrentamento e dialogo, guerra e paz são incompatíveis, comenta KCNA


Enfrentamento e dialogo, guerra e paz são incompatíveis, comenta KCNA

Pyongyang, 18 de abril (KCNA) – Na atualidade, as autoridades de alto escalão dos Estados Unidos falam com obstinação de dialogo, acrescentando que seu país “tem aberto as portas para que o Norte da Coreia tenha outra opção”, “Obama esclareceu em várias ocasiões que está pronto para o dialogo e as negociações se o Norte da Coreia participar com sinceridade no debate” e “não tem a intenção de atacar o Norte” etc.

Isto não passa de uma vil artimanha encaminhada a encobrir a natureza de seu autor, que prejudicou flagrantemente a soberania da República Popular Democrática da Coreia e criou a piora da situação na Península Coreana e quer evadir-se de sua responsabilidade a esse respeito.

Os EUA já perderam totalmente a honra para falar sobre o dialogo com a RPDC por haver cometido atos criminosos de banditismo anti-RPDC.

Fabricou as “resoluções de sanções” da ONU negando, sem motivo algum, o direito de lançamento de satélite da RPDC e levou à beira da guerra a situação da Península Coreana.

realizou os exercícios militares conjuntos com a introdução de enormes efetivos e apetrechos para ameaçar de ataque nuclear a RPDC, sem precedente na história.

Agora, enquanto fala de “dialogo” os super-porta-aviões de propulsão nuclear e outros meio estratégicos de ataque nuclear navegam nas águas litorâneas da Península Coreana esperando a oportunidade de atacar preventivamente a RPDC e foram despachados com urgência para a região operacional da Península Coreana, os submarinos nucleares e as tropas norte-americanas incluindo milhares de efetivos de infantaria da marinha.

Sob tais circunstancias falar sobre o dialogo, é a conduta suja dos que intentam imputar à RPDC a responsabilidade da agravação da tensão desta Península e o engano abominável para desviar a opinião pública mundial.

Os disparates dos EUA sobre o dialogo voltam a demonstrar que nunca se esgotaram suas ambições de guerra nuclear, de aceleração dos preparativos bélicos por trás do dialogo e de agredir a RPDC com forças armadas.

Igualmente, são outra demonstração de sua política de guerra nuclear e ação hostil contra a RPDC.

Não é casual que EUA tenha apresentado como condição do dialogo com a RPDC a continência da “provocação adicional”, o cumprimento dos deveres internacionais e a adoção da medida pela desnuclearização, etc.

Em uma palavra, isto significa demandar a RPDC depor as armas nucleares autodefensivas antes de iniciar as conversações com EUA.

E é o sofisma muito absurdo de que a RPDC se apresente frente a seu clube nuclear com as mãos vazias, renunciando a todos os seus direitos de autodefesa nacional e a sua capacidade.

A desnuclearização da Península Coreana, de fato, se acabou há muito tempo devido as manobras da guerra nuclear dos EUA.

É absurdo que os EUA falem de “renúncia nuclear” e “não uso de armas nucleares” porque é o autor, há decênios, da introdução das armas nucleares no Sul da Coreia e que engendrou o problema nuclear na Península Coreana ameaçando com as armas nucleares a RPDC.

O dialogo RPDC-EUA deve basear-se estritamente no princípio do respeito à soberania e a igualdade.

Enquanto EUA não renuncia a política hostil, a ameaça e chantagem nuclear contra a RPDC, não pode existir o dialogo sincero entre ambas as partes.

O enfrentamento e o dialogo, a guerra e a paz são incompatíveis.

Enquanto os EUA não cesse o ensaio de guerra nuclear, nem retire seus armamentos agressivos, a RPDC seguirá elevando o grau de enfrentamento militar de autodefesa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário