CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

sábado, 13 de abril de 2013

Vitória norte-coreana: EUA cedem novamente

Por André Ortega

Washington dispõe-se a retomar ajuda a Coreia do Norte se o país "realizar ações importantes" para abandonar seu projeto nuclear, disse o secretário de Estado dos EUA, John Kerry (via RT). Em viagem pela Coreia do Sul e com Pequim na agenda, o diplomata declarou que seu país está disposto a voltar a mesa de negociação.

"Seguiremos tentando convencer a Coreia do Norte a tomar a decisão correta. Se o fizer, estaremos dispostos a cumprir com nossas obrigações" foi o que disse John Kerry. As "obrigações" referidas aqui são as estabelecidas na declaração de 2005, quando Pyongyang recebeu a garantia  de ajuda energética em troca da redução gradual de seu programa nuclear. Com o descumprimento dessas obrigações, a República Popular retomou seu programa. Após recuar em suas provocações aéreas, os Estados Unidos cedem novamente com essa declaração. Não é a primeira vez que isso ocorre. O "Agreed Framework" de 1994 e a declaração de 2005 foram conquistados por vias parecidas - primeiro os Estados Unidos tentam sufocar a  Coreia com sanções, mas depois o fantasma atômico os faz negociar. É provável que a preocupação norte-americana tenha crescido com a ultima conferência do Comitê Central do Partido do Trabalho, onde se deu ênfase na ideia de que o projeto atômico não deve servir de moeda de troca com o imperialismo.

O que alguns chamaram de "ameaças insignificantes" surtiram um efeito devastador na política norte-americana, que mudou completamente o tom. O meu último artigo sobre o fato dessas "ameaças" terem dissuadido os EUA de seguir com suas provocações foi recebido com um ódio irracional e violento por parte de algumas pessoas. Com linguagem adequada a desentendimentos ginasiais, escandalosamente diziam que "o gordinho [líder norte-coreano] só está ameaçando", que "se os EUA quiserem, não deixarão um coreano vivo sequer". Me acusaram de ter invertido a realidade, mas os fatos falam a meu favor - pelo jeito a "vontade" dos EUA é ceder a "provocações vazias". Diz o provérbio legal romano: "Allegatio contra factum non est admittenda" , uma alegação contrária aos fatos não deve ser ouvida. Por isso, devemos ignorar o choro estridente daqueles falam sem investigar.

"A intenção norte-coreana é bem clara: forçar os EUA, recentemente prostrado arrogante em seu pedestal cuspindo sanções, a sentar na mesa de negociações. Kim Jong-il demonstrou genialidade diplomática ao forçar com seu projeto nuclear os americanos a negociarem num momento em que eles esperavam sufocar completamente a República Popular. Kim Jong-un está emulando a astúcia diplomática de seu antecessor, forçando a negociação está fazendo o melhor para a República Popular que é o combate as sanções. Não é de forma alguma "suicídio", é sim pragmaticamente a melhor opção frente as provocações militares e sanções econômicas - sem ferro não há pão, e assim faz sentido a política norte-coreana." ("O que a Coreia do Norte está fazendo?", 1/04/2013)


Kim Jong Il iniciou o projeto nuclear justamente com fins diplomáticos e de dissuasão. Tal estratégia fez Washington ceder diversas vezes (1994, 2005, 2013) e trouxe uma série de benefícios ao país (além da segurança externa; a ajuda energética, por exemplo). A Coreia ofereceu, diversas vezes, o seu projeto nuclear em troca de um tratado de paz (mais recentemente o fez em 2010, 2011 e 2012). Sua exigência segue sendo a mesma: um tratado de paz e a retirada das tropas norte-americanas do sul da península.  Kim Jong Un repetiu com sucesso a coragem de seu antecessor e novamente os Estados Unidos vão de uma postura agressiva para um tom mais conciliador (com seus interesses, claro). A história se repete e confirma o acerto da política norte-coreana: essa é a única abordagem capaz de forçar os Estados Unidos a sentar na mesa de negociação. provando errados aqueles que pensam que a potência pode fazer o que bem entende em sua política externa. A República Popular vem a uma década oferecendo seu programa nuclear em troca da paz, agora, depois do que aconteceu com o Iraque e com a Líbia, pode ser tarde demais.

Quer entender melhor a situação? Leia: http://www.realismopolitico.blogspot.com.br/2013/04/o-que-coreia-do-norte-esta-fazendo.html

13 comentários:

  1. Nunca eu li, tamanha besteira em tda minha vida. Ja passou da hora de alguém entrar la e tirar aquele ditador nanico de cena, nem a China a maior aliada dos comunas concedeu apoio, os US agiram de forma evitar uma guerra de grandes proporções, pois eles acabariam com a cn em 30 minutos no maximo. Eu nao sei em que a cn contribui para o mundo, mas uma coisa agora eles conseguiram, serão desnuclearizados tanto pela "aliada" China, quando pelos imperialistas, ou seja agora ele jamais dara outro pit e ficará dizendo que pode atacar tdo e todos. A Russia fez um comunicado ao gordinho de forma bem dura, do tipo ou vc abaixa o ton ou nos vamos abaixar, e ai, vao chamar os russos de imperialistas tb? Talvez a Russia demoaria um pouco mais de 20 minutos para destruir o pais inteiro, diferente dos US a Rússia quanto provocada passa por cima de tdo e tdos. Espero que esse gordinho, esse regime defendido por vcs caia, e as duas coreas se tornem apenas uma, rica e desenvolvida como a do sul, sem essa de regime popular, pq isso eh o que menos se ve por la.

    ResponderExcluir
  2. Leiam o comentário acima, mais um inocente alienado pela lavagem cerebral da mídia capitalista, se não for um deles. Não sabe nem o significado da palavra democracia e se acha no direito de acusar alguém de ditador. Vamos ensina-lo então: a palavra democracia vem do grego dêmos=povo e kratos=poder, ou seja, poder do povo ou, ainda, poder que emana do povo. A mídia capitalista deturpou o real significado da palavra para defender o seu interesse pessoal. Não confunda democracia com liberdade de expressão, são coisas totalmente diferentes. Por exemplo, nos países que relacionarei a seguir o poder não emana do povo, em nenhum deles o povo vota no seu governante, ou seja, não são democracias, portanto, são ditaduras: Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Espanha, Japão, Austrália, Nova Zelândia, Suécia, Noruega, Alemanha... São monarquias parlamentares, parlamentarismo ou, no caso dos Estados Unidos, o sistema eleitoral mais ridículo do mundo, onde delegados regionais elegem seu presidente dentro de apenas dois partidos CAPITALISTAS. Portanto, todos eleitos indiretamente, como nos países comunistas. A Coréia do Norte tem três partidos, eleição a cada 5 anos e o povo escolhe seus representantes, estes, elegeram Kim Jong Un, idêntico ao parlamentarismo. Ao contrário do que acontece no Reino Unido, o povo Francês tratou de se livrar do seu rei fanfarrão, decapitando-o e, agora, eles, além de não precisarem mais pagar as contas do Rei, (o povo do Reino Unido gasta mais de US$ 250 milhões/ano com a velha fanfarrona) votam diretamente no seu presidente. Veja bem, não que isso vá mudar alguma coisa, devido ao poder dos donos do capital, eles é quem, realmente, elegem os representantes, através do financiamento das campanhas caríssimas, os representantes em qualquer nação capitalista, que deveriam representar os interesses da maioria, acabam, assim, representando a minoria burguesa, são os lobbys ou, se preferir, as bancadas dos representantes dos banqueiros, dos empresários e dos latifundiários. Não há a bancada dos sem teto, sem terra, sem emprego, sem salário digno, sem qualidade de vida, sem dignidade, sem nada, pois, estes, não tem dinheiro para comprar os políticos. Agora, vamos falar de liberdade de expressão. Essa turma dos “SEM” que acabei de citar, pergunto: eles têm liberdade de expressão? ATENÇÃO: liberdade de expressão NÃO É, repito, NÃO É você ficar no bar, na rua, no semáforo distribuindo panfletos e gritando, num megafone, suas ideias e pensamentos. Liberdade de expressão é você falar no Jornal Nacional da Rede Globo (se você não entender isso é porque a lavagem cerebral dos donos do capital cegou você definitivamente, sem cura) debatendo com o mesmo tempo de duração para ambas as partes e sem edição. Não aqueles debates políticos entre um candidato dos donos do capital contra outro candidato dos donos do capital e, sim, debate entre os SEM e os COM, entre os pobres e os ricos, entre os explorados e os exploradores, entre o patrão e o empregado e sem ameaça de demissão depois. Isso nunca existiu nem nunca vai existir, portanto, não há liberdade de expressão no capitalismo. (continua...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (...continuação) O que há é a ditadura do capital, não temos, sequer, o direito de defender a Coréia do Norte no Jornal Nacional da Rede Globo, somos obrigados a ouvir os absurdos dessa emissora calados. Isso sim é ditadura. Agora, aqui, um dos poucos, injustos, pelo pouco alcance, espaços que temos para defender nossos ideais, somos obrigados a ler pessoas alienadas como essas que não enxergam os absurdos que acontecem em baixo de seu próprio nariz, num país onde pessoas ganham menos de um salário mínimo, trabalho escravo, hospitais públicos, cadeias e as fundações casa para menores infratores desumanos, escolas públicas sucateadas, violência urbana que mata mais que as guerras, crianças nos semáforos, abandonadas nas praças, gravidas, drogadas, sem nenhuma perspectiva de futuro para ela ou seu bebê, populações gigantescas amontoadas em favelas sem saneamento básico, dominadas pelo tráfico de drogas e de armas, a prostituição institucionalizada, os jogos eletrônicos, filmes e novelas fazendo apologia às drogas e a violência, etc... Acorda pessoal, ACORDA!!! Os Estados Unidos, maior mercado mundial de prostituição e de armas de fogo sofrendo do próprio veneno com jovens invadindo escolas e matando todos, país que mais matou seres-humanos na história da humanidade (somados as guerras em que participou direta e indiretamente, mais, as armas que vende para o terceiro mundo se matarem uns aos outros), o caso Iran-Contras, onde apoiava (vendendo armas) o Sadam Husein do Iraque e, para lucrar mais, vendia escondido do povo americano, com o dinheiro do contribuinte, para o Iran, também. Os Estados Unidos apoiou (vendendo armas) o Bin-Laden no Afeganistão contra a União Soviética, o fato é retratado até no filme Rambo III. Os Estados Unidos tem vários recordes, país que mais matou seres-humanos em um curto espaço de tempo (as duas Bomba Atômica no Japão), aliás, único país a ter utilizado tal armamento de destruição em massa, trapaça de covarde, como a do Vietnã ao usar armas químicas. Sou obrigado a ler os Estados Unidos falarem mal do Kim Jong Um em TODOS OS NOTICIÁRIOS e nenhuma voz se levanta contra este país maldito que manda seus jovens para guerras ao redor do mundo para morrerem ou voltarem mutilados, com o único intuito de lucrar, sim, guerra é lucro, a indústria bélica americana financia a campanha dos candidatos para isso, porque vocês acham que todo presidente faz pelo menos uma guerra por mandato? Lucro. Guerra mais mortes = lucro. A inocência e alienação imposta pela mídia capitalista sobre estas pessoas é tal, que nem sabem da derrota humilhante que os Estados Unidos tiveram no Vietnã e terão, também, se invadirem a Coréia do Norte, a terceira maior forças armadas do mundo. Nem conhece os ganhos sociais da Coréia do Norte, mesmo com o embargo criminoso dos Estados Unidos, e as mazelas capitalistas sofridas pelo povo da Coréia do Sul como sofre, também, o Brasil. Acorda !!!

      Excluir
  3. concordo com o que li, no Brasil e na maioria dos países nos achamos livre mas nao somos...

    a maioria dos países e das pessoas idolatra os EUA, um país onde homens negros nao podem sentar e conversar com mulheres brancas em muitos estados (racistas)

    enxerguei muita coisa lendo por acaso esse blog

    ResponderExcluir
  4. Eu apoio plenamente a reunificação das coreias, contanto que a do sul, passe para o norte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos sul-coreanos são anti-americanos, contra a presença americana em seu país, são contra o capitalismo e a dependência e mazelas que o sistema trouxe a classe operária. Mais importante, a Coréia do Sul tem uma Lei de Segurança Nacional onde os sul-coreanos não podem fazer greve, protestos contra o governos e nem criar partidos comunistas. Os partidos comunistas que havia estão na clandestinidade e muitos de seus dirigentes sumiram ou foram assassinados pelo governo, como aconteceu aqui no Brasil, ambos, seguindo a cartilha assassina implantada nesse países pelos Estados Unidos. Como no Chile em 1.970, único país, até então, na história do capitalismo a eleger, no voto, um presidente comunista e ser atropelado pela Margaret Tatcher e os Estados Unidos, patrocinador de diversas ditaduras pelo mundo.

      Excluir
  5. Pra que a Corea do sul precisa de um partido comunista, se eles sabem como é viver no paraiso, basta atravessar a fronteira, porém a maioria prefere ficar sobre as guarras do cruel sistema capitalista, onde vc pode consumir o que quiser ter a liberdade de ir e vir, ser mais rico ou mais pobre que seu vizinho, poder trocar de carro a hora que seu bolso permitir, comprar produtos da marca x,y ou z e por ai vai. Eu por exemplo ja comprei minha passagem pra Corea do norte, passarei o resto de minha vida adorando o Kin qq coisa e trabalharei nas minhas de carvão ou em qq outra industria sucateada comunista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha o que o alienado aí em cima escreveu: "...pode consumir o que quiser...pode trocar de carro a hora que seu bolso permitir, comprar produtos da marca x,y ou z...". Isso é o capitalismo do comediante burguês aí em cima. Vou mostrar o texto dele para o pessoal da Rocinha, do Capão Redondo e das inúmeras favelas sem saneamento básico do país capitalista em que ele mora. Imaginem as crianças nos semáforos, nas praças e nas ruas fumando craque e cheirando cola para enganar a fome ouvindo do comédia que elas, pelo menos, "tem a liberdade de ir e vir" de um semáforo para outro, pegar a grana que conseguirem e comprar a cola "da marca x, y ou z" e matar a fome. O capitalismo dele é mesmo um paraíso, desde que você seja um burguês como ele. Com relação a Coréia do Norte, que por muito tempo foi mais evoluída que a do Sul, sofre um embargo criminoso dos EUA e dos seus capachos da ONU, para que comediantes tenham argumentos para criticar o regime.

      Excluir
    2. Assim como os americanos simpatizantes do regime cubano tem que ir para o México para poderem ir a Cuba, os sul coreanos tem que ir para a China para poderem ir a Coréia do Norte. Tanto EUA como a Coréia do Sul proíbem essas viagens, faz parte do criminoso embargo. Muitos sul coreanos simpatizantes do comunismo, que não foram assassinados pelo governo sul coreano vivem e trabalham na Coréia do Norte. Copiem este endereço e vejam o "paraíso" capitalista da Coréia do Sul. . Outra coisa interessante é o fato do testo fazer referência de conteudo negativista das minas de carvão da Coréia do Norte, será que no país dele não tem minas de carvão, não tem lixeiro, nem limpador de fossa, nem fábricas sucateadas sem condições de trabalho ou trabalho escravo no sertão nordestino? O direito de ir e vir da Coréia do Norte é para moradias em alvenaria gratuitas para todos, escolas públicas gratuitas para todos (não há analfabetismo), hospitais públicos gratuítos para todos (de primeira qualidade), parques de diversões, teatro, espetáculos culturais e, o que poucos sabem, o MAIOR ESTÁDIO DO MUNDO e o MAIOR ESPETÁCULO CULTURAL DO MUNDO o ARIRANG, maior e mais bonito que qualquer abertura de olimpíada.

      Excluir
    3. O endereço do "paraíso" capitalista da Coréia do Sul é o seguinte: http://www.rappler.com/world/14640-seoul-slum-life-in-the-shadow-of-gangnam-style

      Excluir
  6. qual é a diferença da diplomacia norte-coreana e a cubana que ainda convive com sanções econômicas fortíssimas?

    ResponderExcluir
  7. A diferença é que Cuba já é considerado, pelos EUA, como causa ganha, apenas uma questão de tempo, pois as reformas em direção ao capitalismo já foram e estão sendo feitas e, consequentemente, as sanções estão mais brandas. O único país comunista no planeta, hoje, é a Coréia do Norte. E, ao contrário de Cuba, tem bomba atômica. Qual o seu significado, qual a sua importância, não seria dinheiro jogado fora investir nisso? Não. Veja Israel, o filho adotivo dos EUA. Tem bomba atômica e ninguém, nem a ONU, questiona. Ninguém sabe nada sobre o seu programa nuclear, nem a ONU, nada de embargo, é claro. Acredito que pouquíssimas pessoas que estão lendo isso sabiam que Israel tem bomba atômica. É a força da propaganda da mídia capitalista (Pensamento Único) a serviço dos EUA. Então, quando os EUA e o seu fantoche, a Coréia do Sul, provocam a Coréia do Norte, fazendo exercícios e manobras militares, apontando armas, inclusive bombas atômicas, fazendo embargos criminosos para sufocar a qualquer custo a Coréia do Norte para que não consiga exportar (para ter dinheiro) e importar (com o dinheiro das exportações comprar alimentos, petróleo e carvão para gerar energia) e, assim, fazer propaganda na mídia contra a Coréia do Norte que não tem luz nem alimento, faz-se necessário tirar dinheiro, que poderia ir para questões sociais, e ir para a defesa do país. Veja os três países do “Eixo do Mal” segundo George Bush: Iran, Iraque e Coréia do Norte? Iran e Coréia do Norte tem bomba atômica. Teria, o Iraque, sido invadido se tivesse bomba atômica? Se tivesse o terceiro maior exército do mundo? Se tivesse um povo unido por um ideal? Os EUA invadiram o Iraque e mataram O PRESIDENTE DO PAÍS SEM TEREM PROVAS contra ele? E a ONU nada fala: fica caladinha, senta, deita, rola, de pé, morto!!! Voltando à Coréia do Norte, por incrível que pareça, o único país comunista sobrevivente é, dentre todos os comunistas que existiram, o melhor e mais bonito exemplo que poderia ter ficado para o mundo. Todos os outros apresentaram qualidades e defeitos, mas os defeitos, em vez de serem corrigidos, foram usados por oportunistas para desqualificar o sistema, sabendo que se beneficiariam com a mudança para o capitalismo. Parem para pensar, reflitam com imparcialidade, UM SISTEMA TIRADO DE UM LIVRO – DE UMA TEORIA, POSTO EM PRÁTICA e imediatamente alcançar um êxito jamais imaginado. Já, o da Coréia do Norte, tem pouquíssimos problemas (sendo, a maioria, de ordem externa, reflexos do fim de seus parceiros econômicos e dos embargos criminosos) e, quando eles apareceram, o povo se uniu como um só para solucioná-los: a união e o idealismo estão muito bem enraizados no coração do povo. Na visão dos EUA é inadmissível existir um país comunista, para eles a Coréia do Norte é como uma maça podre que pode contaminar as outras, portanto, deve ser eliminada. Para a humanidade deve ser um exemplo que o capitalismo é uma doença e tem cura. Vamos dividir e não multiplicar. Para um ter muito, muitos têm que ter pouco, é uma balança.

    ResponderExcluir
  8. Como é bom ver pessoas inteligentes e corajosas que buscam promover a verdade. Aproveitem este portal de conhecimento completo e super refinado... onde se faz a informação com argumentos precisos e científicos, e não como a Globo, Band, Uol, CNN, BBC e todas as outras mídias capitalistas, que destorcem e vendem uma ignorância sem tamanho para o seu povo. Ignoram qualquer tipo de senso de ética jornalística, tudo isso, para manterem o gozo de uma parcela minúscula da sociedade, enquanto o restante se contenta com a grande miséria que vos é oferecido.

    o Blog está de Parabéns!!

    ResponderExcluir