CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

domingo, 7 de agosto de 2011

Pioneiro da nova época da luta anticolonialista de emancipação nacional (*)

“O Presidente Kim Il Sung dirigiu e organizou a árdua luta armada antijaponesa sob a bandeira da Idéia Juche, e conquistou a Libertação da Pátria em agosto de 1945. Kim Il Sung é um grande líder que acumulou imortais conquistas na história moderna da Coréia e na luta anticolonialista de emancipação nacional”

São esas as palabras de Alba Chavez, presidenta do Instituto Latino-Americano da Idéia Juche.


Kim Il Sung, na época em que liderou
a luta armada anti-japonesa

Por meio da luta armada antijaponesa, o líder Kim Il Sung mostrou que os povos das colônias podem derrotar com suas próprias forças a dominação dos imperialistas e alcançar a causa da emancipação nacional. Durante o período da luta armada antijaponesa, um dos problemas de principio foi de encontrar corretamente em qual força se apoiar na luta pela libertação. O Presidente Kim Il Sung, por meio da Ideia Juche, demonstrou que as donas da revolução são as massas populares. Concebeu que o principio fundamental da luta de emancipação nacional dos povos deve ser conquistar a independencia com suas próprias forças.

E, aplicando ese principio à prática revolucionária, organizou e dirigiu o povo para alcançar a libertação nacional com as forças do próprios coreanos.

Em muitas de suas obras como “O Caminho a ser seguido pela Revolução Coreana” (junho de 1930), elucidou a opinião de libertar o país pelas próprias forças do povo coreano, e manteve-a como imutável principio durante toda a revolução e a construção socialista.

A Luta Armada Antijaponesa na Coréia, que avançou e triunfou com suas próprias forças sob a direção de Kim Il Sung, teve grande influencia ideológica e espiritual aos combatentes do mundo que lutavam por sua libertação nacional. Muitas personalidades progressistas do mundo disseram que a vitória do povo coreano naquela luta abriu uma nova época da luta anticolonialistas de emancipação nacional em que os povos oprimidos das colônias. Tais povos, que outrora não se consideravam mais do que objeto da história, passaram a ser sujeitos da mesma e forjaram seus destinos como protagonistas do desenvolvimento histórico e como donos de seu destino.

Naquele tempo o movimento anticolonialista de libertação nacional estava sendo levado a cabo em vários países por meio de vários métodos: luta grevista, levantes, insurreições, lutas armadas, etc. Porém, muitas fracassaram devido a concepções conciliadoras e à repressão dos colonialistas. O Presidente Kim Il Sung definiu a luta armada organizada como principal forma de luta anticolonialista de libertação nacional.

Partindo do principio fundamental de realizar a luta de independencia das massas populares e através das lições histórias extraídas da experiencia coreana e de outras colônias do mundo, apresentou o lema “Armas contra armas e violência revolucionária contra violência contra-revolucionária!” e fundou a Guerrilha Popular Antijaponesa (antecesora do atual Exército Popular da Coreia) em 24 de abril de 1932, para establecer a luta armada contra o dominio colonial japonês, logrando em agosto de 1945 a Libertação da Pátria.

A vitória nesta luta evidenciou que a violência contra-revolucionária só pode ser combatida com a violência revolucionária e que os agressores imperialistas dos povos devem conquistar a independencia por meio da luta armada.

O mérito do Presidente Kim Il Sung consistiu em deixar aberta uma nova época da luta anticolonial de libertação nacional no mundo. Tal mérito viverá para sempre na história da luta da humanidade pela independencia.

 
(*) Por ocasião dos 66 anos da vitória do povo coreano sobre o agressor japonês, traduzimos esta nota enviada pela Embaixada coreana no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário