CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

terça-feira, 28 de junho de 2011

RPDC destaca amizade entre Kim Il Sung e Salvador Allende

Presidente Salvador Allende


Kim Il Sung, um dos maiores políticos do século 20, que fez destacados aportes à causa da independência dos povos no mundo e que encontrou mais de 70 mil personalidades estrangeiras, dentre elas chefes de Estado e de governo e líderes de partidos de muitos países, os quais admiraram suas nobres qualidades e seu amor ao ser humano.


Salvador Allende, que foi presidente da República do Chile, também foi uma das personalidades que Kim Il Sung conhecera.

Allende estudou medicina na Universidade de Santiago do Chile e obteve a graduação de doutor em neurologia. Ao analisar a realidade da sociedade compreendeu que era mais imperioso curar os males sociais que as doenças que afetavam a população.

Começou a buscar o caminho que conduzisse sua sociedade ao desenvolvimento independente e lia com grande interesse as obras do presidente Kim Il Sung, sentindo-se também um adepto da ideia Juche.

Allende queria tanto conhecer o líder do povo coreano que quando uma delegação cultural de amizade da Coreia fez uma visita ao Chile, convidou seus membros a visitar sua casa, onde expressou seu desejo de conhecer Kim Il Sung.

Em 1969, quando era presidente do Senado, vez uma visita à RPDC. O presidente Kim Il Sung o recebeu com alegria e amabilidade. Allende, muito emocionado, não sabia como agradecer-lhe. O líder coreano o qualificou como companheiro de armas, com quem lutava na mesma trincheira anti-imperialista e expressou que lhe alegrava muito ter um amigo como Allende no Chile, um grande país latino-americano.

Kim o tratava não como um hóspede que recém conhecera, mas como um velho companheiro de luta, com quem compartilhava alegrias e tristezas, a vida e o risco da morte há muitos anos, o que o impressionou bastante.

O chileno reafirmou sua fé na justiça e decidiu lutar com toda sua dedicação à causa da independência. Ao se despedir de Allende, Kim disse que ele ainda voltaria a seu país, afirmando que seriam "companheiros perpétuos na luta anti-imperialista".

Allende qualificou Kim Il Sung como personificação da independência e da justiça e lutou com entusiasmo pela construção de uma nova sociedade, para desenvolver seu país por meio de uma via independente. Em 1970 foi eleito presidente da república e começou a colocar em prática as reformas sociais e econômicas, no sentido de reforçar a soberania nacional e melhorar as condições de vida das massas trabalhadoras.

Eliminou a base militar e as estruturas culturais e econômicas americanas no país, que serviam para dominar e controlar o Chile. Recuperou as relações diplomáticas com Cuba e estabeleceu relações, então inéditas, com a RPDC, com a China, Vietnã e Mongólia.

Os Estados Unidos, alarmados diante da posição anti-imperialista e independente que o governo de Allende mantinha, incitou Pinochet e outros militares de direita para que desatassem em um golpe de estado, ocorrido em setembro de 1973.

Os golpistas o obrigaram a abandonar o palácio presidencial, prometendo que garantiriam sua segurança pessoal, mas Allende recusou a ordem afirmando que só os covardes se rendiam. Com 40 membros da guarda combateu com armas em punho, durante 7 horas, para defender o palácio até cair heroicamente.

O presidente Kim Il Sung expressou ao encarregado de negócios do Chile na Coreia seu profundo pesar com o assassinato de Allende. Ao se inteirar de que a irmã do falecido presidente emigrara para outro país e que estava com a saúde abalada, a convidou a visitar a RPDC para receber o tratamento médico adequado.

Posteriormente, o líder coreano falou em várias ocasiões de Allende e da revolução chilena. Durante um encontro que manteve com o secretário-geral do Partido Socialista do Chile, que estava em visita à Coreia, referiu-se a Allende, lembrando sua queda heróica em combate, e disse que o considerava como heroi do povo chileno, heroi da classe operária mundial.

Como se vê, o presidente Kim Il Sung considerou os partidários da independência e da justiça como seus velhos companheiros de luta, embora os visse pela primeira vez, e cumpriu fielmente sua obrigação com os companheiros e amigos.

No Chile e outros países latino-americanos se fala muito das relações de amizade e confiança entre os presidentes Kim Il Sung e Salvador Allende.

Fonte: Embaixada da RPDC no Brasil

Um comentário: