CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Sessões plenárias são realizadas pelos religiosos da RPDC


Ocorreram nos dias 15 e 16 nesta capital as sessões plenárias dos comitês centrais da Federação de Budistas da Coreia, a Federação de Cristãos da Coreia e a Associação de Católicos da Coreia com a participação dos presidentes das respectivas religiosas, os membros dos comitês da central e das localidades, os clérigos e crentes.

Nas ocasiões foram abordados os problemas referentes às medidas para apoiar e realizar a linha e a orientação sobre a reunificação da pátria apresentadas pelo Marechal Kim Jong Um ante o Sétimo Congresso do Partido do Trabalho da Coreia.

Foram dados informes dos presidentes e as intervenções.

Os oradores destacaram que a linha e a orientação apresentadas pelo Marechal para realizar a independência nacional, a grande unidade nacional, a garantia da paz e a reunificação mediante o sistema federal refletem a unânime aspiração e a vontade de todos os compatriotas e oriundos de um projeto de reunificação mais justo e realista e grande e imortal programa de reunificação, baseado na análise científica sobre a história da divisão nacional que perdura há mais de 70 anos e a realidade interna e externa, e prosseguiram:

As entidades religiosas e crentes do Norte, do Sul e do ultramar devem solidarizar-se entre si e não perdoar por mais tempo a horda malvada dos capangas de Park Geun-hye que pisoteiam brutalmente o sentido principal dos crentes levantados para a reconciliação, a unidade e a reunificação da nação.

Será definitiva a vitória final da reunificação independente graças ao enaltecer ao Marechal como salvador nacional. Ninguém poderá impedir a grande marcha pela reunificação dos compatriotas que avançam frustrando com a convicção invicta e o otimismo quaisquer desafios das forças anti-reunificação internas e externas.

Chamaram a todas as entidades religiosas e os crentes do solo sul-coreano esforçar-se à frente da abertura do grande ato pan nacional da reunificação, promover a reconciliação e unidade nacionais e mobilizar-se ativamente no movimento patriótico para abrir a segunda era de reunificação do 15 de junho.

Foram adotadas as resoluções correspondentes e acordaram enviar as cartas às entidades religiosas do Sul da Coreia.

Da KCNA

Nenhum comentário:

Postar um comentário