sexta-feira, 11 de novembro de 2016

“EUA deve mudar sua política sobre a Coreia”


Há pouco, o diretor de Inteligência Nacional de Estados Unidos confessou que está esgotada a sanção da administração Obama sobre o Norte da Coreia e é impossível a renúncia de armadas nucleares deste.

Este critério produz grandes repercussões por ter revelado o caráter absurdo da campanha de sanção e esmagamento da RPDC, que vem praticando os sucessivos poderes norte-americanos, incluso a administração Obama, e reconhecido sua derrota.

Os meios de imprensa estadunidenses e do Ocidente o estimaram como “realista”, “positivo” e “franco”.

A fala do chefe da inteligência estadunidense, quem apoia o estabelecimento e a execução das políticas da atual administração, é uma clara confissão do total fracasso da política estadunidense sobre a RPDC.

O império recorreu durante várias décadas à provocação política e militar, sobretudo, à chantagem nuclear, para exterminar a RPDC que avança pelo único caminho da independência, o Songun e o socialismo.

A campanha de sanção e pressão chegou ao auge durante o mandato de Obama.

Contudo, resultou um “fracasso estratégico” a “paciência estratégica” de Obama, segundo a qual os EUA esperam pacientemente impondo as sanções e pressionando a RPDC até que se renda e renuncie a suas armas nucleares.

A demente campanha anti-RPDC dos EUA e seus seguidores trouxe o resultado contrário como a elevação da capacidade de ataque nuclear e o autofortalecimento da Coreia Popular.

A atual posição estratégica da RPDC, modificada radicalmente, e todos os recursos obtidos comprovam perfeitamente que a teoria da força e a lei da selva dos EUA não surtem efeito algum no tratamento com este país asiático.

Os importantes meios de imprensa do mundo insistem em que foi “frustrada a política sobre a Coreia da administração Obama”, “há que reconhecer oficialmente o Norte da Coreia como Estado nuclear e trata-lo da mesma maneira que outras potências nucleares”, “se o vencedor das eleições presidenciais não mudar a direção de sua política para o problema nuclear norte-coreano, os EUA seguirão dando cabeçadas na parede”.

Vale a pena que os EUA pensem com juízo, dando ouvidos a tal opinião pública que se estende até o interior das camadas governantes.

Já chegou o tempo em que os Estados Unidos decidam a maneira de tratar a potência nuclear do Oriente.


Da KCNA 

Nenhum comentário:

Postar um comentário