CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

domingo, 20 de junho de 2010

Um dirigente que prioriza o ideológico - Povo coreano comemora os 46 anos da entrada de Kim Jong-Il para o Comitê Central do Partido do Trabalho


Recebemos um texto da embaixada coreana no Brasil que mostra o grande papel que o camarada Kim Jong-Il teve na luta pela superação da crise econômica pela qual passou a RDP da Coreia nos anos 90. Não se tratou de uma liderança ocasional, como quem “pega o bonde andando”. Ao contrário, Kim Jong-Il mostrou-se como um revolucionário que se educava e forjava sua consciência na ação concreta da transformação da realidade, no dia-a-dia com as massas. Caracterizou-se, antes de tudo, por ser um dirigente que botava em primeiro plano a formação ideológica das massas populares. Como um dos principais dirigentes da UJTS e mais tarde do PTC, sistematizou e desenvolveu a Ideia Zuche, contribuiu para sua consciente massificação e aplicação. Combateu as tendências avessas à linha revolucionária, como o oportunismo, o carreirismo e o burocratismo.
Boa leitura!



Um Dirigente que Prioriza o Ideológico



O dirigente coreano Kim Jong Il é um político que prioriza antes de tudo a formação ideológica. Orienta a Coreia Socialista com a política de priorização ideológica, baseando-se na fórmula de que o fundamental em todos os trabalhos é a idelogia e que ela decide tudo.

O Dirigente Kim Jong Il projeta estratégias, táticas e linhas políticas levando em conta as suas idéias e nos leva a compreender a realidade com a força destas.

Sua clarividência ideo-teórica se manifestou há muito tempo. Um pouco antes de ter iniciado seu trabalho (19 de junho de 1964) no Comitê Central do Partido do Trabalho da Coréia, definiu os pensamentos revolucionários do Presidente Kim Il Sung, fundador do Partido, como um sistema integral da idéia, teoria e metodologia do Juche, introduziu a diretriz de transformar toda a sociedade segundo as exigências da Idéia Juche, destinando esforços dedicados para sua materialização.

Na década de 90 do século passado, quando a Coreia enfrentava uma série crise imposta pela ofensiva anti-socialista das forças imperialistas, aprofundou-se ainda mais a idéia Songun que o Presidente Kim Il-Sung concebeu junto à Ideia Juche e adotou-a firmemente junto aos militares e à população. Divulgam-se em todo o país o espírito revolucionário dos militares que consiste na defesa de seu Líder com a própria vida se necessário, o cumprimento incondicional das ordens do Supremo Comandante e do heróico sacrifício. As dificuldades desse período foram superadas com poder espiritual. Em suas ininterruptas viagens de inspeção às unidades militares, Kim Jong-Il prestou atenção primordial a consolidar o Exército Popular da Coreia como uma potente força ideológica e de convicção. Graças à sua política do Songun que consiste em levar adiante o conjunto da causa socialista tomando o Exército Popular como o pilar do país e a força da revolução, a Coreia Socialista consolidou extraordinariamente sua capacidade geral com a militar como principal destas, e conquistou de modo memorável a sua soberania, sua dignidade nacional e seu socialismo.

O Dirigente Kim Jong-Il multiplica a força política do país mediante à consolidação da unidade monolítica do exército e do povo baseado na Ideia Zuche e no Songun.

Tendo cedo apresentado essa unidade entre o Juche e o Songun como a mais importante da revolução, esforçou-se por unir compactamente o trabalho ideológico com o prático dentro do exército e da população baseando-se na Ideia Zuche e no Songun. Considerando a unidade coesiva do Partido com o exército como um pré-requisito para fortalecer o sujeito histórico da revolução, fez estabelecer um estrito sistema de direção do Partido com as fileiras do Exército. Ao mesmo tempo, definiu como conteúdo essencial a identificação do Exército e do povo sua ideologia, seu estilo de luta no espírito revolucionário dos militares e com seus dinâmicos esforços para que logo se pusesse em pleno manifesto a ajuda recíproca entre ambos. Como resultado, a sociedade coreana converteu-se num indestrutível ente sócio-político, numa comunidade onde o destino de todos os militares e residentes estão unidos compactamente. Esta unidade monolítica, mais potente que uma arma nuclear, deve-se principalmente à capacidade estatal da Coreia do Songun.

O Dirigente Kim Jong Il botou em primeiro plano a ideologia das massas como chave mestra para registrar uma mudança na atividade econômica socialista.

Nos anos 90 do século passado, quando o país fazia frente a graves dificuldades econômicas, afirmou-se que a via principal para superá-las estava na máxima animação do fervor patriótico e no espírito de iniciativa de todo o povo. Em suas ininterruptas viagens de orientação, Kim Jong-Il motivou o povo a criar o espírito Kanggye e, desta forma, registraram-se inovações em Ranam, Rakwon, no Complexo de Songjin e entre outros. Esta chamada, de criar o espírito Kanggye, propagou-se por todo o país. Propagaram-se também mensagens de convicção e otimismo como “Damos mil risos mesmo com mil dificuldades. Pois bem, que então nós demos dez mil risos!” e “Vamos sorrindo que o caminho será árduo!”. Com essas mensagens de otimismo, viram-se êxitos inimagináveis no trabalho do povo coreano. Em tal curso, a economia coreana, ainda em processo de recuperação, deu saltos em todos os ramos. Apareceram em todos os cantos estabelecimentos de produção dotados de tecnologia de ponta e levou-se a cabo de maneira acelerada a reconstrução econômica do país.

Os notáveis êxitos registrados na economia coreana provam que a construção de uma potência econômica que o povo coreano se propõe a construir se tornará realidade num futuro não distante.

O povo coreano está seguro que, dentro de poucos anos, abrir-se-á a porta para uma grande e próspera potência econômica.

Fonte: Embaixada da RDP da Coreia
Tradução: Blog de Solidariedade à Coreia Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário