CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Lee Myung Bak impede sul-coreanos de participar de reunião pela reunificação


Lee Myung Bak - Lacaio do imperialismo.


A RPDC - República Popular Democrática da Coreia, em nota publicada em Pyongyang, condenou o governo da Coreia do Sul por impedir a participação de sul-coreanos nas comemorações do 10º aniversário da Declaração Conjunta de 15 de Junho sobre a Reunificação do país.

A reunião está prevista para realizar-se neste dia 15 de junho em Pyongyang com a presença dos integrantes sul-coreanos do Comitê de Execução da declaração. “O governo de Lee Myung Bak proibiu os sul-coreanos de participarem da reunião e todos os contatos entre os coreanos do sul com os coreanos do norte do país. Com isso Lee está suprimindo as forças pacíficas pró-reunificação ao mesmo tempo em que inventa o “caso do barco Cheonan” aumentando desmedidamente a tensão na península coreana”, afirmou a nota do governo da RPDC.

A Declaração Conjunta de 15 de Junho foi assinada em 2000 pela Coreia Democrática e a Coreia do Sul através dos Presidentes Kim Jong Il e Kim Dae Jung visando a reunificação pacífica e independente do país.

Desde que Lee Myung Bak tomou o poder em Seul seu governo vem sistematicamente descumprindo a declaração Conjunta. O governo da RPDC, ao contrário, não tem medido esforços para manter a luta pela reunificação e pelo entendimento entre os coreanos de todo o país. A questão torna-se difícil diante da influência negativa dos EUA que, com suas tropas militares ocupando o sul do país, apoiam o setor mais belicista da Coreia do Sul. E para manter a península em estado de tensão permanente se nega a transformar a trégua estabelecida pelo armistício de 1953 em um tratado de paz que ponha fim à guerra da Coreia.

Lee, encostado em Hillary Clinton, chegou ao ponto de usar o afundamento do barco Cheonan contra a Coréia Democrática como um golpe eleitoral, o que foi rejeitado pelo povo sul-coreano que o derrotou nas urnas o Partido de Lee nas eleições regionais realizadas na última semana. Lee exacerbou as provocações contra a Coreia Democrática, elevou as tensões na península aos píncaros, se descolou do povo e saiu prejudicado.

O sentimento a favor da reunificação da Coreia entre os sul-coreanos é muito forte, só não vêm os que preferem a divisão, o confronto e se negam em assinar a paz definitiva, anseio de todos os coreanos.

ROSANITA CAMPOS

Fonte: Jornal Hora do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário