CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

sábado, 16 de janeiro de 2016

EUA deve se acostumar com a posição da RPDC como possuidora de armas nucleares


O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da República Popular Democrática da Coreia publicou no dia 15 uma declaração sublinhando que o primeiro teste da bomba de hidrogênio realizado pela RPDC é uma justa medida auto defensiva orientada a defender a soberania do país, o direito de sobrevivência da nação e proteger a paz da Península Coreana e a segurança da região.

O porta-voz destacou que a PRDC concentra todas suas forças na construção de uma potência econômica, portanto não tem interesse na exacerbação da situação, nem sente a necessidade de provocar alguém, e prosseguiu:

Como o Primeiro Presidente do Comitê de Defesa Nacional da RPDC esclareceu em sua mensagem do Ano Novo, a primeira tarefa deste ano é o desenvolvimento econômico e o melhoramento da vida do povo, razão pela qual a RPDC necessita mais do que nunca a estabilidade da situação e um ambiente pacífico.
Dado que se transformaram em “habituais” os atos hostis dos Estados Unidos contra a PRDC, também se tornaram habituais os trabalhos da RPDC para materializar a linha de autodefesa do desenvolvimento paralelo da construção econômica e das forças armadas nucleares.

Agora, queira ou não, os EUA deverão se acostumar com a posição da RPDC como país possuidor de armas nucleares.

Como já declaramos, a RPDC fortalecerá por todos os meios a capacidade de ataque e represália nucleares frente a violação de sua soberania por parte dos EUA e a suas incessantes provocações e ameaças, mas, não as usará com imprudência.

Contudo, são vigentes todas as propostas apresentadas pela RPDC, inclusive a do cessar dos exercícios militares conjuntos de EUA e Coreia do Sul e a suspensão de nossos testes nucleares e a de acordo de convênio para garantir a paz e a estabilidade da Península Coreana e do Nordeste asiático.

É ridículo que os EUA falar de “provocação” da RPDC enquanto leva a situação a fase catastrófica ignorando as imparciais e justas propostas desta. A provocação que leva ao extremo a situação da Península Coreana, é cometida pelos Estados Unidos e os títeres sul-coreanos.

O reinício da radiodifusão psicológica dos títeres sul-coreanos significa uma provocação que não tem nenhum vínculo com o processo normal da linha paralela da RPDC.

Agora, os EUA trazem a nuvem da guerra nuclear introduzindo no sul da Coreia os meios de ataque nuclear estratégico, enquanto se desespera para aprovar na ONU a “resolução de sanção” com o objetivo de frear a construção econômica por via pacífica e o melhoramento da vida do povo da RPDC. 

Tais atos provocativos e hostis não se limitarão a agravar a situação na Península Coreana, mas se estenderão certamente à guerra.

Se o barril de pólvora explode, a responsabilidade recai sobre quem acendeu o pavio.


da KCNA (Korean Central News Agency)

Nenhum comentário:

Postar um comentário