CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

sábado, 30 de julho de 2016

Ato pelo 70º aniversário da lei de igualdade de direitos do homem e da mulher


Foi realizado no dia 29 no Palácio Cultural do Povo o ato central pelo 70º aniversário da promulgação da “lei de igualdade de direitos do homem e da mulher da Coreia do Norte”.

Em 30 de julho de 35 (1946) da Era Juche, o Presidente Kim Il Sung promulgou esta lei que estipula que as mulheres têm os mesmos direitos que os homens e podem participar livremente em todas as esferas da vida social como atividades políticas, vida laboral, educação, vida cultural, matrimônio e vida familiar.

Ao ato assistiram Choe Ryong Hae, Tang Hyong Sop, a presidente do Comitê Central da União de Mulheres Democráticas da Coreia, Kim Jong Sun, as funcionárias, heroínas, mulheres que foram recebidas pelos grandes homens do monte Paektu, e trabalhadoras dos ministérios, órgãos centrais e a cidade de Pyongyang.

O informe da ocasião esteve a cargo de Choe Ryong Hae, membro do Presidium do Birô Político e vice-presidente do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia. Disse que a lei de igualdade dos direitos do homem e da mulher, elaborada e promulgada pelo Presidente Kim Il Sung, é o autóctone programa de libertação da mulher e do movimento feminino.

“Graças a promulgação da lei, as coreanas puderam impulsionar a roda da revolução sendo dignas donas da sociedade e exercendo os direitos iguais aos do homem”, destacou. E seguiu:

Depois de assegurar as coreanas os autênticos direitos de vida, o grande Líder conduziu sabiamente a emancipação social delas.

Na luta para cumprir a autóctone causa da libertação da mulher, estão impregnadas as inesquecíveis façanhas da destacada dirigente do movimento feminino Kang Pan Sok e a heroína da luta antijaponesa Kim Jong Suk.

O Dirigente Kim Jong Il defendeu com firmeza a ideia das proezas de direção do Presidente sobre a solução do problema da mulher e formou as coreanas como verdadeiras revolucionárias da era do Songun.

A história de amor e confiança dos grandes Líderes, que formaram as mulheres como força poderosa, continua geração após geração sob a orientação do Marechal Kim Jong Un.

No mundo há muitos países e nações, mas não existem outras mulheres tão felizes como as coreanas que vivem dignamente com direitos e dignidade de donas do país.

Todas as mulheres devem enaltecer ao Presidente e ao Dirigente como eternos líderes do Partido e do povo coreano e como eterno Sol do Juche e defender com firmeza e glorificar eternamente as façanhas destes que dedicaram tudo pela dignidade e direitos independentes da população feminina.

Da KCNA

Nenhum comentário:

Postar um comentário