CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

domingo, 2 de dezembro de 2012

Ingleses se solidarizam com o novo lançamento de satélite da RPDC

A Associação para o Estudo da Política Songun da Grã-Bretanha, o Grupo de Estudos da Ideia Juche da Grã-Bretanha e a Korean Friendship Association inglesa publicaram uma declaração conjunta por ocasião do anúncio do Comitê Coreano de Tecnologia Espacial que um novo satélite artificial será lançado entre 10 e 20 de dezembro:

É realmente ótimo que a RPDC vá lançar outro foguete. O propósito do lançamento é uma manifestação de enorme poder tecnológico e científico da RPDC, que avança a largos passos para a construção de um próspero país socialista sob o banner do Kimilsungismo-Kimjongilismo e da liderança do respeitado Marechal Kim Jong Un.

O lançamento do novo satélite será outra vitória da ciência Juche da RPDC. As tecnologias e matérias-primas utilizadas são 100% nacionais. Desejamos à RPDC todo sucesso em sua empreitada!

Não há necessidade de a mídia imperialista fazer quaisquer comentários adversos quanto ao lançamento. Isso deve ser preocupação da RPDC e de mais ninguém. Outros países lançaram foguetes e satélites e não foram criticados. Recentemente, os títeres sul-coreanos reclamaram e propuseram uma tagarelice sobre uma suposta "comunidade internacional". Não há "comunidade internacional", mas somente Estados soberanos e independentes, cada qual com seus próprios direitos à autodeterminação. Alguém duvida que os títeres sul-coreanos tenham alguma inveja da RPDC? Os títeres sul-coreanos devem se calar. Mais ainda, os EUA e a ONU não devem tentar interferir em tal assunto. É direito soberano da RPDC lançar tal satélite.

Vitória para a RPDC!
Viva à ciência e tecnologia jucheanas!


- Associação para o Estudo da Política Songun da Grã-Bretanha
- Grupo de Estudos da Ideia Juche da Grã-Bretanha
- Korean Friendship Association inglesa

4 comentários:

  1. O que eles chamam de "comunidade internacional" não passa de materialização no campo político global das vontades das potências econômicas sobre o resto do mundo. Sob essa fantasia de "comunidade internacional", "interesses mundiais", ocultam-se as imposições de um pequeno grupo de países ansiosos para interferir (direta ou indiretamente, descarada ou sutilmente) na soberania de outros países para fazer valer seus interesses escusos.

    ResponderExcluir
  2. É bom ver que em um país tão conservador e reacionário como a Grã-Bretanha exista um núcleo organizado de pessoas que apoiam o socialismo Norte-Coreano.
    Como o camarada bem postou, a rataria burguesa do podre ocidente não deve se meter nos assuntos internos da Coréia do Norte.

    O que diz a Carta das Nações Unidas, por mais irônico que seja:

    "Os [Estados] membros deverão abster-se nas suas relações internacionais de recorrer à ameaça ou ao uso da força, quer seja contra a integridade territorial ou a independência política de um Estado, quer seja de qualquer outro modo incompatível com os objetivos das Nações Unidas" - ponto 4. (do art. 2) da Carta das Nações Unidas"

    ResponderExcluir
  3. Vi no YouTube um grupo de estadunidenses que me pareceu bastante progressista também, eles estavam protestando contra a exibição num cinema local de um filme sobre uma invasão fictícia dos EUA pela RPDC.
    Acho que tem grupos de amigos da Coreia no Canadá e na Alemanha também.

    ResponderExcluir