quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Kim Il Sung: Fundador da República Popular Democrática da Coreia


Trata-se de Kim Il Sung (1912-1994), eterno Presidente da República Popular Democrática da Coreia enaltecido pelo povo coreano.

Logo cedo, com o propósito de levantar um país para todos e sem se ver restrito nem pelas teorias já existentes e nem pelas experiências alheias, partindo da posição independente, organizou o caminho de construção de um poder que defendeu os interesses dos operários, camponeses, soldados, intelectuais e outros setores dos trabalhadores e o assegurou. De sua direção da construção do Poder popular o que merece menção antes de tudo é a instituição do período da Luta Armada Antijaponesa para libertar o país da ocupação militar (1905-1945) do Japão, pelo governo revolucionário popular que defendia os direitos e a liberdade das pessoas nas bases guerrilheiras.

Apoiando-se nisto, imediatamente depois da libertação do país (agosto de 1945), Kim Il Sung traçou uma linha de construção do Estado de acordo com a realidade do país e em fevereiro de 1946 instaurou um poder de novo tipo, democrático, baseado na aliança operário-camponesa dirigida pela classe operária e apoiada pela frente única dos amplos setores do povo, o Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte como Poder popular democrático que cumpriu a imediata tarefa da revolução democrática, antiimperialista e antifeudal, a qual possibilitou ao povo coreano, exercendo o poder como dono da sociedade, impulsionar vigorosamente o empenha para realizar as reformas democráticas.

Para satisfazer o desejo secular dos camponeses que naquele tempo eram a maioria oprimida da população, proclamou em 5 de março de 1946 a Lei da Reforma Agrária de transcendência histórica e em seguida, a Lei do Trabalho, a Lei da Igualdade dos Direitos do Homem e da Mulher, a Lei da Nacionalização das Industrias Principais, etc., e praticou políticas democráticas nos setores da educação, da cultura, da administração jurídica, da fiscalização, etc. Como resultado na Coreia do Norte, as reformas democráticas foram realizadas em um curto espaço de tempo, e graças a elas em todas as esferas da vida social os resquícios coloniais e feudais foram liquidados, a industria nacional começou a ser ressuscitada, e se estabeleceram regimes democráticos na educação e na cultura. Em outras palavras, foi preparado o terreno socioeconômico da nova Coreia democrática. Com o exitoso cumprimento da tarefa da revolução democrática, antiimperialista e antifeudal, o Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte foi transformado em fevereiro de 1947 no Comitê Popular da Coreia do Norte, que cumpriu a tarefa da gradual transição ao socialismo e que serviu de fundamento da RPD da Coreia que foi estabelecida, tarefa que foi cumprida não com facilidade.

Imediatamente depois da libertação da Coreia, a situação interna e externa do país era muito complexa e tensa. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos, com o pretexto de “desarmar” o derrotado exército japonês, ocupou a Coreia do Sul, e como consequência a nação coreana se colocou em perigo de ser dividida. Estados Unidos dissolveu à força os comitês populares estabelecidos segundo a vontade da população e praticou a administração militar como um novo meio de dominação colonial. Em esta grave situação Kim Il Sung cismou em desbaratar as maquinações de cisão nacional dos Estados Unidos e em unir estreitamente todas as forças patrióticas do Norte e do Sul debaixo da bandeira da independência nacional. Em virtude disso, em abril de 1948 foi realizada em Pyongyang a Conferência Conjunta dos Representantes dos Partidos Políticos e das Organizações Sociais do Norte e do Sul da Coreia. A união dos democratas patriotas de ambas as partes serviu de terreno sociopolítico para a instauração de um governo central unificado.

Em maio de 1948, os Estados Unidos fabricou “eleições separadas” na Coreia do Sul e agravou mais a crise de cisão da nação coreana. Em junho do mesmo ano Kim Il Sung convocou os dirigentes dos partidos políticos e das organizações sociais da Coreia do Norte e do Sul para uma reunião consultiva, onde estabeleceu uma orientação de realizar brevemente eleições gerais da Coreia do Norte e do Sul para instituir um governo de todo o país. Em agosto do mesmo ano foram realizadas eleições da Coreia do Norte e do Sul e em setembro a histórica primeira sessão da Assembleia Popular Suprema.

Em 9 de setembro do mesmo ano foi instaurada a República Popular Democrática da Coreia, primeiro Estado democrático popular no Oriente. Kim Il Sung, fundador da RPD da Coreia, ocupou o supremo cargo desta por quase meio século, orientando o país e o povo. Sob sua direção a RPD da Coreia, menos de dois anos da fundação, venceu o agressor Estados Unidos que se gabava de sua “supremacia” do mundo na guerra coreana (1950-1953) e defendeu honrosamente a soberania e a dignidade nacional e depois do cessar fogo, terminou em curto tempo a reabilitação e a construção sobre os escombros, e em seguida efetuou com êxito a construção socialista de varias etapas.

Pelo motivo do 67º aniversario da fundação da República Popular Democrática da Coreia, invencível país socialista, rendemos a mais forte homenagem a Kim Il Sung

Nenhum comentário:

Postar um comentário