quinta-feira, 28 de novembro de 2013

CEIJ realiza estudo sobre obra “Avancemos sob a Bandeira do Marxismo-Leninismo e da Ideia Juche”

Kim Jong Il dirige o VI Congresso do Partido do Trabalho da Coreia,
em outubro de 1980 

Foi realizada, na última quarta-feira (27/11/2013), uma reunião do Centro de Estudos da Ideia Juche em que foi lida a obra Avancemos sob a Bandeira do Marxismo-Leninismo e da Ideia Juche. Após a leitura, foram feitas anotações e discussões entre os membros sobre a obra em questão.

O artigo Avancemos sob a Bandeira do Marxismo-Leninismo e da Ideia Juche foi escrito em 5 de maio de 1983 pelo dirigente Kim Jong Il, por ocasião do centenário do falecimento e do aniversário de 165 anos de Karl Marx, fundador do comunismo e primeiro grande líder da classe operária internacional.

O dirigente Kim Jong Il trata do Marxismo, primeiramente, a partir de suas três fontes constitutivas da economia política, da filosofia e do socialismo. Desenvolvendo o artigo, Kim Jong Il demonstra que Marx e Engels foram os primeiros líderes a elaborar as diretrizes teóricas para dar um correto caminho para a luta da classe operária em emergência a nível internacional. Graças ao desenvolvimento do Marxismo, a classe operária foi capaz de conhecer de maneira científica os fins gerais de sua luta, a necessidade de sua organização num partido revolucionário para lutar contra a burguesia e derrubar o capitalismo, estabelecer a ditadura do proletariado, destruir pela base toda a exploração e opressão, e completar a missão histórica de conquistar a sociedade sem classes, a sociedade comunista. Lenin, continuando a causa revolucionária do proletariado iniciada por Marx e Engels, desenvolveu o Marxismo em ressonância com as novas condições da época do imperialismo e das Revoluções proletárias, dirigindo na Rússia a Revolução Socialista de Outubro e fundando, em 1917, o primeiro Estado de ditadura do proletariado no mundo.

A Revolução Socialista de Outubro exerceu enorme influência no movimento revolucionário de libertação nacional nos países coloniais e semicoloniais. E, como não poderia deixar de ser, também na Coreia, então oprimida pelo imperialismo japonês.

Kim Jong Il ensina que o camarada Kim Il Sung, liderando a Revolução Coreana sob a bandeira do Marxismo-Leninismo, concebeu a Ideia Juche de maneira intrínseca à luta por aplicar o Marxismo-Leninismo às condições concretas de seu país. À medida que o movimento comunista se desenvolvia a nível mundial, era necessário que cada povo de seu próprio país levasse à cabo sua luta de maneira independente, sem copiar realidades alheias, e contribuindo com a Revolução Mundial avançando com a luta revolucionária em seu próprio país. Partindo de tal entendimento, Kim Il Sung concebe a Ideia Juche como um princípio que, em síntese, significa que as massas populares são donas da Revolução, e a força motriz da Revolução e do processo construtivo. Sendo as massas populares as donas da Revolução e da construção, a Revolução avança à medida que se eleve o papel das mesmas como forças motrizes da Revolução.

Durante todo o curso do processo revolucionário e construtivo, os comunistas coreanos utilizaram a Ideia Juche para resolver problemas concretos que apareciam no decorrer da prática, sempre se atendo ao princípio de se apoiar nas massas e resolver os problemas partindo tão somente de suas demandas. Também na época do estabelecimento do poder democrático popular no norte da Coreia e da edificação socialista, por meio dos princípios da Ideia Juche, foi-se possível construir um Estado socialista autossuficiente na economia, independente na política e autossustentado em matéria de defesa nacional.

O dirigente Kim Jong Il, em tal artigo, estabelece também alguns componentes da linha geral do Partido do Trabalho da Coreia para a construção do socialismo: 1) Continuar a Revolução socialista sob a ditadura do proletariado na forma das Três Revoluções, técnica, ideológica e cultural, priorizando a Revolução ideológica que consiste em transformar todos os membros da sociedade segundo a ideologia da classe operária; 2) Com base no avanço das Três Revoluções, destruir as sobrevivências da velha sociedade que se manifestam nas velhas ideologias, culturas e costumes burgueses e feudais, sobrevivências as quais se entrelaçam com as diferenças entre operários e camponeses (portanto, entre cidade e campo, entre trabalho industrial e trabalho agrícola), entre o trabalho manual e trabalho intelectual, e entre as duas formas de propriedade socialista (de todo o povo e cooperativa, as quais se diferenciam pelo maior grau de socialização da primeira forma); 3) O papel do Partido da classe operária como Estado Maior da Revolução Socialista na época da ditadura do proletariado, onde este deve estar à frente de todo o processo construtivo na economia, na política e na cultura, ampliando cada vez mais seus vínculos com as massas e mobilizando-as para cumprir as tarefas da Revolução, utilizando-se dos corretos métodos de trabalho, avessos a todo tipo de autoritarismo e burocratismo, de ir às massas e compreender suas demandas concretas para resolvê-las.

Ao tratar da questão internacional, Kim Jong Il fala sobre a grande batalha travada pelo Partido do Trabalho da Coreia pela reunificação do país de maneira pacífica e sem intervenção estrangeira, pela força e vontade dos próprios compatriotas, em que pesem as dificuldades impostas pelo imperialismo norte-americano e camarilha reacionária sul-coreana. Evidencia a necessidade da unidade entre os partidos comunistas e operários do mundo com base na independência, não interferência em assuntos internos, e no anti-imperialismo.

Após a reunião, formou-se um consenso entre os membros do Centro de Estudos da Ideia Juche de se continuar a estudar obras dos líderes da República Popular Democrática da Coreia, Kim Il Sung e Kim Jong Il, e contribuir para a divulgação dos mesmos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário