quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Estados Unidos e Coréia do Sul farão novas manobras militares e ameaçam a paz na Península

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul definiram nesta quarta-feira (24) a realização, no próximo domingo, de mais manobras militares, em nova provocação após a troca de tiros ocorrida na terça-feira entre os dois lados da Península Coreana.


O anúncio da nova provocação aconteceu depois de uma uma conversa telefônica entre os presidentes Barack Obama e Lee Myung-bak. As manobras serão realizadas durante quatro dias no Mar Amarelo e contarão com a participação do porta-aviões nuclear americano George Washington, segundo detalharam as fontes oficiais sul-coreanas depois do contato entre Lee e Obama.

Segundo fontes militares americanas, a nova provocação foi anunciada à China, que no passado criticou os exercícios militares de EUA e Coreia do Sul nesta tensa zona marítima, próxima à costa chinesa. As forças americanas também planejam enviar pelo menos quatro navios de guerra para as operações militares, que serão realizadas em águas consideradas norte-coreanas pelo governo da República Popular Democrática da Coreia.

O governo sul-coreano admitiu que havia efetuado disparos em direção ao oeste da ilha de Yeonpyeong. O problema é que há uma disputa entre as duas Coreias sobre as fronteiras no Mar Amarelo. A RPDC considera que a ilha está em seu mar territorial, portanto qualquer disparo efetuado nestas águas é tomado como aberta provocação.

 
FONTE: PORTAL VERMELHO

17 comentários:

  1. Interessante, o conflito se dá pelo não reconhecimento das fronteiras marítimas. Pesquisei no google as palavras "Korea maritime boundary" (sem aspas) e encontrei alguns mapas, praticamente idênticos, da fronteira em questão. Imagino que sejam da versão na Coréia do Sul, pois mostram uma grande limitação à navegação da RPDC. Gostaria de ver um mapa que mostrasse como a RPDC considera que seja sua fronteira, mas não encontrei nenhum, será que os editores e colaboradores deste blog não poderiam procurar algum e postar no blog para esclarecer a questão?

    ResponderExcluir
  2. Agora sim, encontrei um mapa com as duas delimitações!
    http://img.terra.com.br/i/2010/11/23/1711324-9397-in.gif

    ResponderExcluir
  3. Caro blogueiro,se tu achas a RPDC um país assim tão maravilhoso e pacifista,porque que tu não fixas residencia neste lugar??Um país cujo território é quase do mesmo tamanho do RS e tem o QUARTO MAIOR CONTINGENTE MILITAR DO MUNDO com1.000.000 e meio de soldados creio que não possa ser um estado pacifista.Um país que até hoje sofre crises de apagões de energia elétrica e que sofreu durante a década de 90 uma grave crise de fome creio que não possa ser usado como exemplo positivo.Pesquise,leia,procure se informar mais sobre o conflito coreano.No momento que os EUA sairem da Coréia do Sul,a RPDC já estaria com seu comntigente militar mobilizado para invadir o sul e tomar toda a peninsula.Não é negócio pros EUA e C. do sul irromper o cessar-fogo de 1953,que,repetindo,creio que só irá ser irrompido no momento que as tropas americanas sairem do sul.O fato é de que a RPDC MORRE DE INVEJA do crecimento da C.do sul,basta ver a gama de produtos sul-coreanos disponiveis aí no mercado,educação e saúde de primeiro mundo,etc...ass:Leonardo Leal de Lima

    ResponderExcluir
  4. A RDPC é um país socialista que admiro bastante e que teve grandes conquistas desde que foi fundado, em 1948. Porém, não tenho porque fixar residência lá, pois nasci no Brasil, o melhor país do mundo, com uma cultura nacional belíssima, um país que não possui terremotos, climas extremos ou coisa do tipo e que possui um povo que se configura como altamente mestiçado, criando dessa maneira um espetáculo étnico dentro de um mesmo país. Amo minha pátria brasileira e tenho plena convicção de que ainda seremos o mais soberano dos Estados e que construiremos no Brasil um grande Estado Socialista.

    A Coréia Socialista é, como exaltam orgulhosamente seus compatriotas, o Bastião da Paz. O povo coreano ama como ninguém a paz porque sabe o que acontece quando a mesma é violada. O fato é que você, tão “informado” sobre o conflito na Península Coreana, simplesmente desconhece o desequilíbrio no quais ambas as partes da Coréia (Norte e Sul) encontravam-se do ponto de vista militar. A Coréia do Sul possui em seu território 38 bases militares norte-americanas. Nos anos 1970, o número de armas nucleares na Coréia do Sul, com altíssimo poder mortífero, passavam de mil. E isso, obviamente, NOS ANOS 70! Certamente, nos dias de hoje, o número de armas nucleares depositadas nas bases militares norte-americanas vai muito além disso.

    É certo que o povo coreano ama a paz e conhece o poderoso inimigo que está estacionado a poucos quilômetros de suas fronteiras. A Coréia Popular não quer ser um novo Vietnã, um novo Afeganistão ou um novo Iraque no qual os Estados Unidos invadem quando querem e de maneira impune. Dessa maneira, quando o povo coreano desenvolveu suas primeiras armas atômicas, em 2006, com o intuito de SE DEFENDER, de MANTER SUA SOBERANIA e de ACABAR com a situação de desequilíbrio militar pela qual passava a Península, foi acusado de violar o “Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares” que, por sinal, atendia muito bem aos interesses do imperialismo, haja visto que os Estados Unidos pensarão bem antes de invadir um país militarmente fortalecido e com alto poder de dissuasão. Foi também acusado de “desafiar o mundo”. Porém, até hoje não se falou sobre o alto poder bélico sul-coreano e norte-americano, esses sim ameaçadores da paz mundial.

    ResponderExcluir
  5. Sem o desenvolvimento das armas nucleares por parte da Coréia Socialista, o país já teria sido há muito invadido pelo imperialismo norte-americano. A História mostra que países débeis do ponto de vista militar podem possuir sua soberania violada sem muita dificuldade. Países como Afeganistão, Iraque, Vietnã, Camboja e entre vários outros países vítimas do imperialismo, eram países que não possuíam um poder bélico forte. Sabemos que a Coréia não será o próximo país da lista, pois a Política Songun soube desenvolver esse poder bélico. A Coréia cumpre como ninguém o velho ditado Songun segundo o qual a paz reside no fuzil. Com efeito, assim. O bloqueio e as sanções que a Coréia sofre por parte dos Estados Unidos, do Japão e da Coréia do Sul dificulta bastante a produção autônoma de energia elétrica. Porém, graças à fraternidade dos irmãos da República Popular da China, eles não passam mais por tais problemas e mantém sua produção no rumo do crescimento.


    A situação que você propôs anedoticamente “quando os EUA saírem da Coréia do Sul, a Coréia do Norte invade” assemelha-se muito com as causas da primeira Guerra da Coréia. Bastou a URSS deixar a Norte da Coréia em 1948 que os Estados Unidos, dois anos depois, resolvem “levar a democracia” ao Norte e provocam nada menos do que a morte de três milhões de coreanos, o arrasamento total da economia nacional, o uso de armas bacteriológicas contra a população civil e bombardeios que, segundo estatísticas, significariam mais de uma bomba por habitante. Além disso, quando você fala que “basta os EUA deixarem a Península para que o Norte invada”, você, mesmo que não saiba, está violando os princípios BÁSICOS do armistício assinado em 1953, que previa a retirada de quaisquer tropas estrangeiras do território coreano. Com efeito, a RDPC é um país livre de qualquer ocupação estrangeira desde 1958, ao passo que a Coréia do Sul é um país ocupado há mais de 65 anos. Ao propor uma situação como essa, você também ignora que o estabelecimento da paz na Península Coreana não se resume apenas à retirada das tropas militares norte-americanas (apesar de esse ser o ponto de partida FUNDAMENTAL para o estabelecimento da paz na Península). Em 1971, Pyongyang propôs a reunificação do país sob uma base confederativa (o país é um só, mas o Norte continua socialista e o sul continua capitalista) e a retirada das tropas norte-americanas. Também, propôs-se a redução do efetivo militar tanto do Norte quanto do Sul para 100 mil soldados. Infelizmente, com a intensificação da política do “roll-back” norte-americano, que recentemente enviou o maior porta-aviões estadunidense para a Península, e planeja novos exercícios militares visando causar uma nova guerra para o povo coreano, isso ainda está longe de se concretizar.

    ResponderExcluir
  6. Você também falou de uma suposta “inveja” que o Norte teria do Sul. Falou também de um “crescimento” sul-coreano que só existe para as multinacionais japonesas e norte-americanas no país, não para o povo. Caso você não saiba, a Coréia do Sul é um país sem qualquer soberania militar, econômica ou política. Há duas semanas, o governo títere de Lee Myung Bak fechou com os Estados Unidos um “acordo” de “livre”-comércio, no qual os importados norte-americanos poderiam entrar no país sem o pagamento de qualquer imposto ou taxa alfandegária. Barack Obama, ao referir-se a esse “acordo”, falou que “geraria emprego, renda e melhores condições de vida para os trabalhadores da América”. Obviamente, ao custo da pauperização agravada do povo sul-coreano, da miséria e da bancarrota. Os sul-coreanos, obviamente, não aceitaram tais “tratados” de maneira servil e passiva: Foram aos milhões protestar nas ruas contra os “tratados de livre-comércio”. A polícia política, obviamente, prendeu milhares de estudantes e trabalhadores enquadrando-os na maldita “Lei de Segurança Nacional” simplesmente por exigirem o direito básico à existência. Será mesmo que é disso que os norte-coreanos têm inveja? Sinceramente, realmente não parece que seja disso.

    ResponderExcluir
  7. A Guerra da Coreia começou na madrugada de 24 de junho de 1950 quando,após várias provocações de ambos os lados,principalmente do Norte de tomar a força o sul e implantar o comunismo em toda a península até que este finalmente viola o paralelo 38 e,com apoio da URSS de Stálin invadem o sul e tomam sem dificuldades Seul.Os EUA,com o apoio da ONU vão em ''socorro'' da C. do Sul,expulsam os comunistas do sul,levam a guerra até a fronteira com a China,que,entra na guerra ao lado do Norte e empurram as tropas da ONU(não foram só os EUA no lado sul-coreano)até a região do paralelo 38,onde então foi assinado o armisticio em 1953.A URSS,ao contrário de EUA e China,participou de forma indireta da guerra( já ouvisse falar dos famosos caças MiG-15 e de pilotos russos que foram até ases nessa guerra??)mas,independente de tudo,participou sim pois foi a URSS que fomentou o Norte a invadir e começar o conflito,foi ela o estopim da guerra(contra fatos não há argumentos).Acredito sim que no momento que os EUA se retirarem da Coreia civilizada,o Norte vai''babando''INVADIR O SUL pois o grosso das defesas sul-coreanas são as forças norte americanas,que,pelo poderio que tem,já teriam invadido o Norte a tempo porque seria uma guerra aberta,não as''escaramuças'' como no Vietnã,Iraque,Afeganistão...CONTINUA...

    ResponderExcluir
  8. CONTINUANDO...a Coréia do Sul é,ao lado do Japão e China(que cresce paulatinamente depois de sua abertura ao capital externo e com regime de semi-escravidão)as maiores potencias do Oriente disparado enquanto que a Coréia do norte é um a das nações mais pobres e atrasadas do mundo(contra fatos não há argumentos 2).Aquelas fotos que o sr. postou de que a saúde da RPDC é tão avançada como as de um país ocidental e tal(ironizando...)creio que aquela mulher da foto ou é esposa de um oficial das forças armadas da RPDC ou então é esposa de um alto comissário do Partido Comunista porque como se trata do país mais fechado do mundo(contra fatos não há argumentos 3),não acredito nem um pouco naqueles dados ali dispostos.E,pra finalizar,acredito que o sr. deve ser daquele tipo que odeia os EUA,o capitalismo,a Coreia do sul mas compra tenis da Nike fabricado na China,deve saborear um McDonnalds e uma Coca-Cola(ou Pepsi),deve sonhar com uma Hyundai Veracruz e tem um home-teater pra assistir os filmes de Hollywood e celular de última geração da LG(o ar de sua residencia deve ser LG também...)abraços!!ass:Leonardo Leal de Lima

    ResponderExcluir
  9. Sua versão (a versão do imperialismo, mais precisamente) carece das mais altas insuficiências. Antes de tudo, foram os Estados Unidos que decretaram a invasão ao Norte socialista e não o contrário. Devido à ausência da URSS na conferência da ONU que precedeu a Guerra da Coréia, os Estados Unidos usaram-se de todo tipo de manobras para falar sobre a “agressão comunista” ao Norte que, ironicamente, tinha seu território livre da ocupação soviética desde 1948. Foi sob a bandeira da ONU que os Estados Unidos invadiram a parte norte da Coréia. Só depois da invasão dos EUA que os países irmãos como China e URSS entraram na guerra. A Coréia do Norte, aliada aos irmãos socialistas, retaliaram os ataques norte-americanos e foram aos poucos libertando a parte sul da Coréia, marcharam até Busan ocupando quase 90% do território sul-coreano. Depois, os 15 países satélites dos Estados Unidos contra-atacaram covardemente contra a nação coreana. Inúmeras foram as atrocidades cometidas: Era comum entre os norte-americanos jogar bebês ao fundo de poços, estuprar as mães e matá-las depois. Felizmente, por uma ampla mobilização da opinião pública internacional, não foi jogada a bomba atômica em território coreano.

    O armistício assinado em 1953 depois da guerra previa a retirada de todas as tropas estrangeiras do território coreano. Em 1958, a China retirou suas tropas da Coréia do Norte. Porém, até os dias de hoje, os Estados Unidos VIOLAM o armistício e permanecem na Coréia do Sul violando a soberania do país e cometendo um sem número de desmandos. Os crimes cometidos pelos EUA na guerra até hoje não foram julgados, e o país permanece impune invadindo nações a torto e a direito.

    Uma nação como a Coréia do Norte, mesmo com grandes conquistas por conta das reformas democráticas realizadas na época pós-libertação de 1945, ainda encontrava-se débil tanto econômica quanto militarmente, portanto não tinha poder bélico para invadir um país ocupado pelos Estados Unidos.

    O povo coreano não quer a guerra. O sul manifesta-se constantemente contra as agressões contra o norte socialista (estranhamente, nada disso aparece na mídia) e repudia as tentativas de se provocar uma nova guerra na Península. Porém, caso os EUA ousem começar uma guerra que nem fizeram há 60 anos, jamais farão da Coréia o puteiro que fizeram nos anos 1950, pois os próprios norte-americanos sabem do poder bélico que tem o país, e sabem que a população encontra-se ARMADA e manifesta apoio IRRESTRITO ao governo socialista.

    ResponderExcluir
  10. A “potência” sul-coreana é a potência para os monopólios estrangeiros e para os norte-americanos, de maneira alguma para a população que vive sob um Estado títere. A Coréia do Sul, apesar de se figurar no 25° lugar na OCDE, configura-se como um dos países em que os operários mais trabalham: 2300h anuais, o que significa mais de 10 horas por dia. Os 40% dos trabalhadores vivem em empregos temporários e o restante trabalha sem carteira assinada (o que explica de certa forma a exploração gritante sob a qual são submetidos). 20% da população do país (o que traduz cerca de 8 milhões de pessoas) vive na mais absoluta miséria e no pauperismo. Os sul-coreanos desconhecem palavras como “seguro-desemprego” ou “aposentadoria”. Devido à falta de perspectivas e à miséria agravante, os suicídios acontecem em larga no país: mais de 30 mil anuais, ultrapassando o Japão. O governo nazifascista de Lee Myung Bak organiza inúmeras manobras para fechar sindicatos e reprimir trabalhadores e estudantes. Apesar de o livro “The World Factbook” ter se referido à Coréia do Sul como uma das “mais amplas democracias do mundo”, figura ainda no país a “Lei de Segurança Nacional”, que estabelece como pena MÍNIMA para sua violação a sentença de dois anos de prisão para aqueles que organizarem atividades consideradas “subversivas” ou “anti-Estado”. A imprensa internacional controlada pelas corporações mente descaradamente sobre a real situação do país e busca mobilizar a opinião pública internacional contra a Coréia do Norte, esconder a real situação do povo sul-coreano e mobilizar e legitimar os crimes dos Estados Unidos não só na Península Coreana como no mundo inteiro.

    ResponderExcluir
  11. Bom,pelo que entendi então TODOS OS LIVROS DE HISTÓRIA ESTÃO ERRADOS,A IMENSA MAIORIA DOS HHISTORIADORES ESTÁ ERRADA,todas as fontes que relatam sobre a Guerra da Coréia estão erradas,a imprensa mundial é toda ela pró-malvados ianques,a Coréia do Sul(malvada) é um país ditatorial nazifascista(deve ser uma reencarnação coreana do Hideki Tojo governando a Coréia do sul,hehehe...)enquanto que a Coréia do Norte(boazinha e oprimida,claro) é um paraíso democrático,não??Voces comunistas carregam todo esse ódio e rancor contra a História porque ela é contra voces,os anos de 1989 e 1991 acirraram ainda mais esse complexo de perseguição que voces tem de que o ''imperialismo ocidental sedento por sangue quer dominar o mundo e acabar de vez com os pobres e oprimidos de todo o planeta assim como eles acabaram com as democracias progressistas e populares do leste europeu no fim dos anos 80 que acabou resultando na queda da muralha anti-fascista-imperialista de Berlim em 89 e que culminou com o fim da maior nação de todos os tempos,a nossa eterna libertadora,a nossa querida,saudosa e amada União Soviética em 91''.Tu acreditas mesmo que TODOS OS COREANOS DO NORTE SÃO FELIZES EM SEU PAÍS ''DEMOCRÁTICO''??EM UMA NAÇÃO QUE O MEDO DE UM ESTADO ALTAMENTE MILITARIZADO IMPERA SOBRE A POPULAÇÃO TU VAIS DIZER QUE A CULPA É DOS EUA E DO SUL??Mesma coisa no Iraque de Sadam Hussein,o pavor que ele impunha sobre o povo iraquiano atraves de seu estado era tão grande que ele sempre se reelegia com 100% dos votos,quem era contra,A MORTE O ESPERAVA.Na RPDC é a mesma coisa,e ainda tem a propaganda anti-ocidental que a RPDC usa de forma bem feita para obter controle total da população.A Coréia do Sul é um país democrático,que tem eleições,multipartidarismo,um estado desenvolvido e altamente industrial.Lugar de desordeiro é em cana assim como em todo lugar civilizado,protesto é uma coisa,baderna é outra.Pergunte pra algum sul-coreano se ele faria questão de se mudar pro norte???Ass:Leonardo leal de Lima

    ResponderExcluir
  12. Gostaria realmente de entender qual foi a parte que o amigo ai em cima não entendeu.
    Os livros de história não estão ERRADOS acho que você entendeu o que o Alexandre disse ERRADO.
    ERRO emprega na maioria das vezes não conhecer o certo, a história nos nossos livros omite fatos que poderiam chocar a forma com que vivemos e nos apoiamos em nossos dogmas.
    Sobre a "LIBERDADE" na Coréia do Sul vou lhe perguntar uma coisa:
    " O que acha qeu acontece com alguém na Coréia do Sul que levanta uma bandeira Norte Coreana nas ruas, sai cantando musica da RPDC e fazendo apologia a RPDC? "

    Pense e pesquise antes de responder essa pergunta por favor.

    Pense e olhe para a maioria dos uniformes militares da Coréia do Sul, (alguns dos simbolos usados são inclusive uma Águia Norte Americana.

    Analise que os Estados Unidos estão estacionados na Coreia do Sul desde o fim da Segunda Guerra Mundial, não deixa de ser uma ocupação.

    Agora uma coisa você não se enganou, o Sul é desenvolvido, com toda a certeza.
    Creio que mais vale ser pobre com dignidade do que rico se opinião própria.

    O sul não tem moeda, não tem presidente, não tem exercito próprio, sua cultura morre cada vez mais para ser substituída por uma cultura tecnológica sem o mínimo patrimônio nacional. (Nada que realmente tenha 'peso' considerável em alguma decisão)

    Não sou dono da verdade, mas pare e analise os fatos, as coisas tem que ser sempre como nos dizem??
    Branco é sempre branco? Verde é sempre verde? Azul é sempre azul?
    Sul é sempre mais democrático?
    Acho que o que falta é um ponto de vista de maior dualidade para a história e imprensa ocidental.

    Como diria Goethe:

    "Ninguém é mais escravo que aquele que falsamente se acredita livre."

    ASS: "O ANTI IMPERIALISTA QUE QUER VER UM FUTURO ONDE NENHUM PAÍS SEJA ISOLADO DOS DEMAIS, ESQUECIDO, UM MUNDO ONDE A POLÍTICA MONETÁRIA NÃO SEJA O CENTRO, ONDE AS PESSOAS APRENDAM A IMPORTÂNCIA DO TEMPO QUE LHES RESTA E DEIXEM DE SER ESCRAVAS DE UM SISTEMA QUE AS OBRIGAM A JUNTAR DINHEIRO DURANTE 60 ANOS ATÉ QUE SE APOSENTAM COM ESSA IDADE E MORREM AOS 70, ACHANDO QUE TERIAM UM FUTURO PARA DESFRUTAR.PRECISAMOS DE UMA ROTINA QUE VALORIZE OS VALORES HUMANOS NÃO OS ECONÔMICOS."

    ResponderExcluir
  13. Bom,pelo que eu sei,a República da Coréia é inimiga da RPDC e vice-versa,então,não tem como tu fazer apologia a um país inimigo por mais democrático que esse país onde o individuo admira uma nação inimiga sem que esse individuo tome alguma advertencia.Mesma coisa seria se um norte coreano desfilasse em Pyongyang com uma bandeira da R da Coreia e dos EUA e pisando em cima da foto do kim jong-il(bom,isso seria impossivel de acontecer,mas,imaginando...).Na questão dos uniformes,os sul-coreanos são sim bem semelhantes aos dos americanos,mas e o dos norte coreanos??Parecem com os uniformes do extinto exército vermelho!!!(ou vai dizer que não é???!!!)o exército chines também usa(ou usava)uniformes bem semelhantes(países comunistas geralmente usavam em suas forças armadas uniformes desse mesmo tipo).Se tu achas que vale mais ser pobre com dignidade do que rico sem opinião,bom,isso é uma opinião sua porque antes a RPDC era pobre e SEM opinião própria,já que ali era o quntalzinho da URSS até 1991.Agora é pobre e vive de migalhas da China,que se não fossem eles,esse blog não existiria.Pergunte pra algum sul-coreano o que ele preferia?Morar num país sem identidade,mas rico,próspero,respeitado,com oportunidades(pode até não serem tudo isso,mas são beeeeeeeeeeeeeeeeeeemmmmm maiores que no Norte) e democrático ou morar em um país com identidade,mas miserável,atrasado,com um maluco no poder que prefere gastar os seus parcos recursos construindo bombas atomicas???Repetindo:Os EUA saem do sul,o Norte toma conta.Ass:Leonardo leal de Lima

    ResponderExcluir
  14. Só mesmo sendo Anonimo pra falar as coisas como se soubesse mesmo, e ainda usando argumentos infantis. Só pra começar que nao é a "imensa maioria" que escrevem os livros didaticos, há muito de implantação politica nele. A história nao é "contra nós" muito pelo contrario, basta ver os documentos que o Wikileaks liberou que mostram como os EUA fazem diplomacia.

    Sobre todos os coreanos serem felizes, bom já dizia o ditado "é impossivel agradar a gregos e troianos", tem os descontentes no Sul e no Norte, só sendo muito alienado pra nao perceber isso. A RDPC nao foi quintal de ninguem e nem vive de migalhas, se você visse os relatorios da ONU até 1990 nao diria essas besteiras.

    Engraçado é que o argumento é sempre "país rico", mas do que adianta o pais ser rico se o povo é pobre? O Brasil é riquissimo mas ostenta niveis astronomicos de pobreza enquanto outros países mais pobres conseguem dar uma melhor educação, saude e segurança pra população. A RPDC da coreia oferece tudo isso que a Coreia do Sul nao oferece a todos os cidadãos, apenas aqueles que podem pagar. Ainda diz que a RPDC é "atrasada e miseravel" e nem sequer explica como, mas os fatos mostram coisas paradoxas como o fato de não existir favela na RPDC mas existem muitas na Coreia do Sul. O pais riqussimo com niveis bisonhos de emprego, saude, alta taxa de suicido provocada pelos mais diversos motivos...

    ResponderExcluir
  15. Pra ver um motivo da má fé desse pessoal. Acusam a RDPC de "Gastar muito" com seu exercito, mas são incapazes de ver que se nao manter um exercito forte como um país pode se defender? Os EUA ostentam indices de pobreza dos maiores da historia do país desde 1994 e gastam bilhoes e bilhoes em armamento, mas esses pobres podem ser esquecidos. Ninguem quer ser o proximo Iraque, de que adianta ter um exercito fraco e ter o país destruido logo e em seguida ter prejuizos enormes.

    RPDC começou um país do 0 , pois foi bombardeada na Guerra da Coreia mais do que Hiroshima e Nagasaki (embora nao tenham sido usadas bombas nucleares, a quantidade de bombas que o país recebeu somadas tinham poder muito maior). Qualquer país que sofresse tamanho dano nao teria se recuperado, vide Paraguai que por muito menos saiu de Provavel país desenvolvido para país em grandes dificuldades.

    ResponderExcluir
  16. Tigerrrrrrrrrrrrrrrrr Oróchi
    Tae uma figura emblemática nos comentários.
    Parabéns pelos fatos esclarecidos.
    Agregou muito conteudo para todos nós aqui.
    Falar a verdade com o fundamento das palavras ao nosso lado é o melhor que pode acontecer.

    ResponderExcluir
  17. E a Alemanha, que foi arrasada na segunda guerra, e em 20 anos ja era o maior PiB da Europa?!?! Claro que recebeu ajuda, mas a coreia do norte tb.

    Adimitam, o X da questao eh o modelo economico. O modelo economico norte coreano mata as pessoas de fome... se querem se solidarizar com a coreia, se solidarizem com a sua pobre populacao, que sofre os males do pior sistema do mundo.

    E repito, Ter que comer com ajuda dos inimigos eh dose... sem EUA e coreia do sul, atehparte do exercito da coreia do norte passa fome, nao recebe racoes o suficiente.

    ResponderExcluir