sábado, 22 de agosto de 2015

Convocada reunião ampliada de emergência do CMC do PTC

Nesses dias, devido as incessantes provocações político-militares dos imperialistas norte-americanos e os fantoches sul-coreanos contra a República Popular Democrática da Coreia, o país está a beira da guerra.

Continua dia e noite a radioemissão psicológica dos gangsteres militares sul-coreanos contra a RPDC, reativada em toda a fronteira sob pretexto do caso da suspeita “explosão de mina” acontecida no dia 4 na zona desmilitarizada da parte ocidental da fronteira e chega a tal ponto que já não se pode cometer nenhuma negligencia mais a cruel operação de lançamento de folhetos contra a RPDC que se desenvolve mobilizando as entidades reacionárias.

A guerra psicológica contra a RPDC é em sua essência um aberto ato de guerra de agressão contra nós.

A respeito, o Estado-Maior Geral do Exército Popular da Coreia enviou ao Ministério fantoche de Defesa Nacional o ultimátum de que passará a forte ação militar se não houver a interrupção dentro de 48 horas a radioemissão psicológica anti-RPDC nem se retiraram todos os meios psicológicos.

Apesar disso, os gangsteres da casta militar sul-coreana, enlouquecidos na provocação contra a RPDC, voltaram a inventar inexistente caso de “disparo do projetil da Coreia do Norte” e tomando-o como pretexto cometeram uma imprudente loucura militar de disparar na tarde do dia 20 de agosto do 104 (2015) da Era Juche dezenas de projeteis para o sagrado território da RPDC.

Tais provocações político-militares dos gangsteres militares sul-coreanos que se desenvolve imprudentemente diante de nossos olhos, levam a situação do país a fase crítica de estouro.

Em relação com essa grave situação criada, foi convocada na noite do dia 20 uma reunião ampliada de emergência da Comissão Militar Central do Partido do Trabalho da Coreia.

O Máximo Dirigente do Partido, do Estado e do Exército, Marechal Kim Jong Un, Primeiro Secretário do Partido do Trabalho da Coreia, Presidente da Comissão Militar Central do PTC, Primeiro Presidente do Comitê de Defesa Nacional da República Popular Democrática da Coreia e Comandante Supremo do EPC, dirigiu a reunião.

Assistiram a reunião os membros do CMC do PTC, os membros do Comando Operacional do EMG do EPC, os chefes das grandes unidades combinadas de frente do EPC, os funcionários dirigentes dos órgãos do Ministério de Segurança Estatal, o Ministério de Segurança do Povo, o CC do PTC e os funcionários do ramo de assuntos exteriores.

A reunião ampliada de emergência da Comissão Militar Central do Partido do Trabalho da Coreia escutou o informe da Direção Geral de Reconhecimento do Estado-Maior Geral do Exército Popular da Coreia sobre o processo e a verdade sobre os atos de provocação militar dos inimigos produzidos na tarde do dia 20 nas zonas central e ocidental da frente e a situação geral dos inimigos.

Também revisou o estado preparativo até as 23h do dia 20 das grandes unidades combinadas da frente do EPC para entrar em operação e foram discutidas os planos de enfrentamento político-militar para acabar com as manobras de provocação de guerra dos inimigos. Foi examinado e firmado o plano operacional de ataque do Comando de Frente do EPC para passar o contragolpe, contra-ataque, em toda a frente segundo a situação inevitável.

Também, a CMC do PTC aprovou a decisão do Estado-Maior Geral do EPC que enviou as 17h do dia 20 um ultimátum ao Ministério de Defesa fantoche sul-coreano segundo o qual passará a fortes atos militares se não interromperem dentro de 48 horas a radiodifusão psicológica ao Norte nem retire todos os meios de guerra psicológica.

Na reunião ampliada de emergência, o Marechal Kim Jong Un deu a ordem do Comandante Supremo do EPC de que as grandes unidades combinadas da frente do EPC passará ao estado de guerra armado por completo que possibilita a entrada na operação inesperada e de declarar o estado de pré-guerra nas zonas de frente.

Foram nomeados e enviados de maneira urgente as frentes correspondentes os comandantes para dirigir as ações militares para disparar e destruir os meios de guerra psicológica e as operações militares das regiões para esmagar as reações dos inimigos se estes não interromperem dentro de 48 horas a radiodifusão psicológica.

E foram discutidos os problemas de medidas para converter no sistema de pré-guerra todas as unidades das zonas correspondentes incluindo os órgãos do Partido e do Poder, as organizações de massas, as instituições da defesa de segurança e a segurança do povo, a justiça e a fiscalização, as fábricas, as empresas e as fazendas cooperativas conforme a declaração de estado de pré-guerra nas zonas da frente.

Também foram apresentados os deveres e as tarefas dos funcionários do domínio de assuntos exteriores para revelar os detalhes dos verdadeiros aspectos da presente situação criada pela aberta e inesperada agressão dos inimigos.

Pyongyang, 21 de agosto ACNC

Nenhum comentário:

Postar um comentário