terça-feira, 28 de julho de 2015

Atrocidades de guerra bioquímica perpetrada pelos EUA


Nesses dias, na Coreia do Sul causou um grande escândalo o caso da introdução de bacilos de antraz por parte dos Estados Unidos. Isto faz que o povo coreano volte a recordar as atrocidades da guerra bioquímica dos imperialistas ianques perpetradas na passada guerra da Coreia (25 de junho de 1950 até 27 de julho de 1953).

Durante esse conflito, os agressores ianques empregaram sem vacilação, armas bacteriológicas e químicas para assassinar os coreanos inocentes. Desde fevereiro de 1951 até julho de 1953, os ianques usaram amplamente as armas químicas contra 24 cidades, distritos e zonas da frente da República Popular Democrática da Coreia.

Dispararam numerosas bombas de gás tóxico não só nas bases do Exército Popular da Coreia, mas também nas cidades e aldeias pacificas e lançaram por aviões comida e dinheiro contaminados com substâncias venenosas causando muitas perdas humanas.

Os ianques assassinaram cruelmente os prisioneiros de guerra utilizando-os como cobaias de produtos tóxicos. Muitas pessoas foram exterminadas e invalidadas pelos testes de gás lacrimogêneo e outros produtos tóxicos com corpos vivos perpetrados nos campos de concentração de várias localidades inclusive as ilhas Koje em 1952.

Em 1951 e 1952, os grupos de investigação integrados pela Federação Democrática Internacional de Mulheres, a Associação Internacional de Juristas Democráticos e os cientistas progressistas do mundo percorreram os terrenos afetados na Coreia e publicaram em muitos meios de imprensa artigos, informes, comunicações, chamados, as cartas de protesto, etc. Por isso, foram reveladas plenamente ante o mundo as atrocidades dos imperialistas ianques que usaram armas químicas na Coreia.

Um membro do grupo de investigação da Federação Democrática Internacional de Mulheres disse que as barbaridades dos ianques perpetradas na Coreia superam os crimes do bando de Hitler e que os gringos são assassinos mais brutais do mundo condenando severamente os assassinos imperialistas norte-americanos.

Hoje em dia, os EUA que na passada guerra da Coreia intentou exterminar com a premeditada guerra bioquímica a nação coreana e ocupar toda a Península Coreana atua descaradamente para induzir a censura internacional a RPDC.

Mas os EUA estão equivocados. O exército e o povo coreano não esquecerá jamais os crimes históricos dos assassinos norte-americanos e receberão sem falta o preço do sangue.

Pyongyang, 25 de julho ACNC

Nenhum comentário:

Postar um comentário