terça-feira, 9 de maio de 2017

A justiça internacional é garantida por uma poderosa força

 

O máximo Dirigente Kim Jong Un, em seu informe sobre os trabalhos do Comitê Central apresentado ante o VII Congresso do Partido do Trabalho da Coreia, destacou que a humanidade progressista deve lutar com dinamismo para realizar a justiça internacional que conseguirá somente por uma poderosa força.

Os acontecimentos do cenário internacional no último ano comprovam uma vez mais o quão justa é a posição de princípios do PTC sobre a justiça internacional.

Devido às brutais manobras dominacionistas e intervencionistas das forças imperialistas encabeçadas pelos EUA, se viram desprezados abertamente os princípios básicos das relações internacionais e se qualifica a justiça como injustiça segundo os interesses das potencias.

As forças hostis tentaram converter o mundo em um caos com a teoria bandidesca segundo a qual seus atos de violação de direitos humanos são para “prevenir o crime”, e a luta anticrime dos países anti-imperialistas e independentes constituí uma “violação de direitos humanos”; e seus misseis são para preservar a “paz” e a “justiça”, e o desenvolvimento de mísseis de outros países são a “injustiça” que “perturba a paz”.

Abusando da velha ordem internacional baseado na injustiça, os EUA e seus satélites aplicam a pauta de dupla moral para intervir nos assuntos internos de outros países e aprovar as “resoluções” carentes de fundamento jurídico e atuam como se eles mesmos tivessem o direito de decisão.

Até alguns países, que advogam pela justiça, a imparcialidade e a não intervenção nos assuntos internos, titubeiam diante da coação dos Estados Unidos e atuam de forma vacilante para satisfazer seu interesse.

Sobretudo os incidentes ocorridos este ano na Península Coreana, o Oriente Médio e outras partes do mundo demonstram claramente qual é o remédio para alcançar a justiça internacional.

Quando os países do Oriente Médio não tomavam nenhuma medida após sofrer ataques de mísseis e bombas pela política de agressão da atual administração estadunidense, a RPDC, potência nuclear do Oriente, expôs a vontade de defender a justiça internacional e manifestou seu poder militar consternando aos provocadores.

A RPDC não se iludirá com nenhuma opção dos Estados Unidos e responderá sem vacilação alguma à guerra total com guerra total e à guerra nuclear com o ataque nuclear ao estilo coreano.

Ante o inesgotável poder militar e a vontade de vingança implacável da RPDC, se tornou um fracasso total o rumor da “crise de abril”, ou seja, a guerra neste mês na Península Coreana de que falavam tanto o imperialismo ianque e seus seguidores.

Como demonstra a realidade, não consegue espontaneamente a justiça internacional e há que conquista-la com as forças dos países independentes e anti-imperialistas.

Como já foi declarado, a RPDC redobrará a uma tremenda velocidade sua capacidade de ataque preventivo nuclear enquanto continuem a política hostil e chantagem nuclear dos Estados Unidos.

As medidas para o incremento das forças nucleares da RPDC se tomarão de modo sucessivo e múltiplo em qualquer momento e lugar que decida a Direção Suprema.

O mundo verá como a RPDC, que empunha firmemente o justo meio nuclear, controla e conduz ao arruinamento definitivo o EUA que esgrime a arma nuclear de opressão.

Da KCNA

Nenhum comentário:

Postar um comentário