terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Residentes sul-coreanos nos Estados Unidos protestam contra lei repressora

Coreanos moradores dos Estados Unidos fizeram uma demonstração em frente ao consulado-geral sul-coreano em Los Angeles no dia 24 de janeiro, tendo como demanda o fim da “Lei de Segurança Nacional” [1] da Coréia do Sul.


Tais coreanos eram membros de uma organização que apoiava um comitê de medidas contra a supressão da liberdade de expressão, de atividades políticas e de pensamento na Coréia do Sul e organizações progressistas norte-americanas.

Os manifestantes destacaram que as autoridades sul-coreanas estão pondo em julgamento final sete membros da Federação Socialista dos Trabalhadores, incluindo O Se Chol, líder da Federação e professor honorário da Universidade de Yonsei.

As autoridades estão tentando punir os membros da Federação enquadrando-os na Lei de Segurança Nacional. Uma lei fascista, segundo eles.

Os manifestantes se dirigiram às autoridades sul-coreanas para acabar com a repressão à Federação, levantando a palavra de ordem “Pelo fim da Lei de Segurança Nacional”.



[1] A “Lei de Segurança Nacional” foi decretada logo após o início da ocupação da parte sul da Coréia pelos Estados Unidos. Tal lei estabelece que não são permitidas quaisquer “manifestações organizadas contra as ordens estabelecidas” e põe como pena mínima para a sua transgressão dois anos de prisão.

Fonte: Agência Coreana Central de Notícias (KCNA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário