quarta-feira, 30 de junho de 2010

A RPD da Coreia se desenvolve apesar de todas as ameaças do imperialismo norte-americano


Há 46 anos teve início o trabalho do atual dirigente do povo coreano Kim Jong Il no Comitê Central do Partido do Trabalho da Coréia. Seguindo o caminho desbravado por seu pai, fundador do Partido e construtor da nação coreana, Kim Il Sung, ele foi responsável juntamente com os dirigentes do Estado e do Partido pela realidade que pude observar em visita que uma delegação do Partido Comunista do Brasil realizou em 2008 à Pyongyang, a bela capital do país com cerca de 2 milhões e meio de pessoas. Um povo composto por uma etnia única -- são mais de 23 milhões de habitantes -- se desenvolve dentro de uma perspectiva socialista desde o final da década de 40 do século passado. Dois grandes pilares do desenvolvimento da Coréia foram a agricultura e a indústria pesada. E a defesa deste povo e do pais tem sido uma questão central da política governamental, assim como o trabalho permanente pela unificação da península coreana.

Para tornar possível estes grandes objetivos os dirigentes do Partido do Trabalho da Coréia adotaram uma ideologia revolucionária própria, como reflexo dos interesses das massas populares e uma exigência da era das politicas de independência nacional e da libertação do colonialismo e do imperialismo na Ásia. A unidade ideológica e orgânica do Partido e da construção do socialismo na Coréia foram conquistadas através da aplicação da filosofia da Ideia Juche, a identidade ideológica do Partido do Trabalho da Coréia. Contra essa obra se levantou o imperialismo norte-americano e seus aliados no Japão e na Coréia do Sul desde a guerra da Coréia no início dos anos cinquenta. De de lá para cá inúmeras provocações e tentativas frustradas de invasão da RPDC foram colocadas em prática, todas elas repudiadas e rechaçadas pela determinação e capacidade defensiva do povo e do Exército da República.

Atualmente nova onda de provocações estão em curso contra o povo e o governo da Coréia. A grande armação criada pelos serviços de inteligência estadunidenses em torno do afundamento da corveta sul-coreana Cheonan teve como objetivos não apenas alimentar o cerco imperialista contra a RPDC, mas também perseguiam derrubar a política japonesa do ex-ministro Hatoyama de transferir a base americana de Okinawa e por fim servir aos interesses escusos do governante reacionário da Coreia do Sul com dificuldades eleitorais. Tudo isso vai sendo desmascarado pelos fatos e pela atitude soberana e altiva da RPDC. Sob a direção de Kim Jong Il e do Partido do Trabalho da Coreia, o povo coreano saberá vencer mais esta onda de violência e de provocações, seguindo seu caminho de desenvolver o país e conquistar novas etapas na construção da nova sociedade, socialista e avançada.

Pedro de Oliveira - Blog Rumo Socialista

Nenhum comentário:

Postar um comentário